Category: Cidadania


gravestone-cross-23441288973573aJ8

 

                        Às vezes não queremos pagar pelo parto e acabamos pagando pelo funeral…

As fontes dão conta de que Mariana de Oliveira Fonseca Machado, de 30 anos, professora de enfermagem da Universidade Federal de São Carlos, queria ter o filho em casa.

Ela também era especialista em Saúde da Mulher e vice coordenadora do curso de enfermagem da universidade.

Contratou uma doula (assistente de parto) e tentou por 48 horas dar à luz na tentativa de fazer um parto humanizado, mas não conseguiu.

Com as complicações apresentadas, precisou ser levada para a Casa de Saúde e Maternidade de São Carlos, onde passou por uma cesariana.

A criança, uma menina, nasceu saudável, mas a mãe acabou falecendo.

Uma tragédia.

Do UOL

Professora morre depois de tentar parto humanizado por 48h

Do R7

http://noticias.r7.com/sao-paulo/professora-morre-depois-de-tentar-parto-humanizado-por-48h-24072015

Professora morre depois de tentar parto humanizado por 48h

Do Estadão

http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,professora-morre-apos-tentar-parto-humanizado-por-48h,1731501

Professora morre após tentar parto em casa e passar por cesárea

Do G1

http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2015/07/professora-da-ufscar-tenta-parto-em-casa-por-48h-e-morre-apos-cesarea.html

Professora da UFSCar morre 11 dias após dar à luz em São Carlos, SP

Ou seja, no caso da professora, parece clara a intenção da mãe em ter a filha por parto humanizado (parto normal).

E a cesárea somente foi feita como medida emergencial.

A medida emergencial funcionou para salvar a filha, que nasceu saudável.

Fica a pergunta que jamais poderá ser respondida:

“Será que, se a opção pela cesárea tivesse ocorrido antes de 48h de sofrimento, a mãe também poderia estar saudável?

Ou, pelo menos, viva?”

Nunca saberemos.

O que sabemos é que um assunto como este sempre dá margem para especulação.

A universidade onde Mariana trabalhava já se manifestou.

E apresentou uma versão bastante curiosa sobre o fato:

Publicado no Estadão

http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ser-mae/a-enfermeira-mariana-morreu-depois-de-uma-cesarea-nao-depois-de-tentar-um-parto-em-casa-afirma-universidade/

A enfermeira Mariana morreu depois de uma cesárea, Não depois de tentar um parto em casa, afirma universidade

Em seu comunicado, a universidade relata que a professora chegou ao hospital para o parto em “perfeito estado de saúde”.

Mas se ela estava em “perfeito estado de saúde”, se ela (uma pesquisadora na área de Saúde da Mulher) tinha a exigência de ter a criança por parto normal…

Então por qual motivo o hospital fez a cesárea assassina?

Será mesmo que acreditam que as pessoas são idiotas?

Há muitos anos, minha irmã nasceu depois de mais de 23h do chamado “parto humanizado”.

Minha mãe e minha irmã sobreviveram por verdadeiro milagre.

Depois da quase tragédia, nasceram mais dois filhos.

Todos partos tranquilos.

Todos por cesárea.

Sabemos (e já foi bastante noticiada) sobre a máfia que se criou em torno dos partos.

Onde médicos A-D-O-R-A-M lucrar com cesariana.

Mas e o outro lado?

http://www.jornalnanet.com.br/noticias/8898/bebe-morre-apos-mae-passar-mais-de-27-horas-em-trabalho-de-parto-no-hgis
http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/rj-maes-denunciam-mortes-em-partos-humanizados-de-maternidade-municipal,15abf9be2e562410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html
http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2015/07/policia-investiga-morte-de-feto-no-stella-maris-em-caraguatatuba-sp.html
http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2012/05/bebe-tem-cabeca-arrancada-durante-parto-em-maternidade-de-aracaju.html

O outro lado é de dar medo…

Veja também:

Fúria Paulistana

As sacolinhas e a natureza. Você perdeu? Mas e a natureza? Será que ganhou?

 

Anúncios

Em São Paulo, foram tomadas medidas pela “presevação da natureza” pelos supermercados.

E as velhas sacolinhas foram banidas, dando lugar às chamadas sacolas biodegradáveis.

Para variar, a conta da “mudança ecológica” foi para o bolso do consumidor.

Os pequenos mercados ainda dão uma ou duas sacolinhas como cortesia ao cliente.

Já as grandes redes (que auferem lucros bem maiores) não movem um dedo por seu cliente.

Ou pelo meio ambiente.

E o meio ambiente?

Será que está sendo, realmente beneficiado pela medida “ecológica”?

O que colocamos nas sacolas biodegradáveis?

1 Garrafas PET. De refrigerantes, suco, água e outras bebidas.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO 450 ANOS.

https://tonigumauskas.files.wordpress.com/2012/06/garrafaspetnosrios.jpg?w=640

2 Latas de alumínio. De refrigerantes e cervejas.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO 200 a 500 ANOS.

3 Embalagens plásticas. Para macarrão, feijão, arroz, detergente, desinfetante, iogurte, etc.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO 450 ANOS.

3 Embalagens de vidro. Para azeitonas, palmito, champignon, doce de leite, etc.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO ATÉ 1 MILHÃO DE ANOS.

Clique aqui e veja estes a mais outros exemplos do que é vendido nos supermercados.

Sobre as embalagens plásticas, o cenário pode ser até pior (clique aqui).

E os supermercados acham que trocando a sacolinha estão fazendo uma grande coisa?

Mas e os inúmeros produtos embalados em materiais altamente nocivos à natureza?

Produtos que são, diariamente vendidos nos supermercados?

Isso pode?

Será que, ao concordarmos com isso, não estamos passando um recibo de estupidez?

Vamos continuar pagando pela sacolinha e fechando os olhos para todo o resto?

Será que não é o momento de deixar de comprar nas grandes redes para prestigiar quem nos oferece a tal sacolinha?

Será que não é o momento de começar a cobrar quem produz embalagens poluentes?

Afinal, preservar a natureza se faz com ATITUDES CONCRETAS.

E não com medidas paliativas e imbecis…

Veja também:

Tenta Esquecer-me (Mário Quintana)

Dia do beijo? Uma grande bobagem…

Imagem:sosriosdobrasil.blogspot.com

 

“No, I’m not going to the World Cup”.

 

Alguém se lembra disso?

E de Carla Dauden?

Alguém se lembra?

925263_622895137806565_2046281556_n

É provável (e bem provável) que, com o passar do tempo, cada vez menos pessoas se lembrem dela.

É o que ocorre com gente oportunista. 

Carla vive longe do Brasil (em Los Angeles) e, ao fazer o video onde diz “Não, eu não vou à Copa”, não se preocupou em gravá-lo em português.

O idioma de seu país.

Bom. Ao menos, imaginamos que a moça ainda considere o Brasil como “seu país”.

Ela não gravou em português. Ou seja, ela não estava falando com os brasileiros.

Não fala, porque não se preocupa de verdade com os brasileiros.

É o que ocorre com gente oportunista.

Naquele tempo (foi há um ano) tudo era especulação.

Ninguém sabia ao certo o que ocorreria em junho de 2014.

Mas chegou junho de 2014.

Chegou a Copa do Mundo.

E nenhuma previsão trágica se concretizou.

Causa espanto ver que Carla. Ela, que mora nos Estados Unidos, entenda tão pouco de propaganda.

Os Estados Unidos é a nação que mais investe em propaganda.

Nação que é tida como a que possui a economia mais desenvolvida.

Apesar de ter quase 50 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza

http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1348381-5602,00-POBREZA+NOS+EUA+ATINGE+MILHOES+DE+PESSOAS.html

 Apesar de o desemprego e a miséria obrigarem pessoas a viverem como animais.

 

 

Mesmo assim, o governo norte-americano pode se dar ao luxo de tirar da boca de todas essas pessoas para investir em propaganda.

Por que Carla não está criticando o governo norte-americano?

Ah. É claro. Quase me esqueci.

Ela não critica os Estados Unidos, porque ela é oportunista.

Porém, além do oportunismo, a moça também mostra uma imensa falta de visão.

Provável que ela não goste do PT.

Provável que deteste Lula.

Talvez o político mais inteligente que já tivemos.

Uma figura respeitada no mundo inteiro.

A Copa do Mundo, esnobada por Carla, foi conquista de Lula.

E foi uma grandiosa jogada de propaganda.

Na propaganda existe o investimento.

Mas também existe o retorno.

E o retorno costuma ser muito, mas muito maior.

O mundo está agora com os olhos no Brasil.

E não só nos estádios, na hospedagem, na locomoção.

O mundo está vendo e admirando a nossa maior riqueza.

O nosso povo.

Carla Dauden gravou um video onde disse em uma língua estrageira.

 

“No, I’m not going to the World Cup”.

 

Pois podemos responder à ela.

E em bom português.

 

“Não, não venha! Você não fará a menor falta…”

 

Está sendo votado nesta quarta-feira (10) na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei nº 4330/04 que permite a terceirização em todas as atividades das empresas (clique aqui)

Projeto de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO).

Na terceira reunião da Mesa de Negociação Quadripartite, formada por representantes das centrais sindicais, governo, parlamentares e empresários, realizada nesta terça-feira (9), a bancada patronal rejeitou as alterações no PL propostas pela bancada sindical.

Caso o projeto seja aprovado como está, a classe trabalhadora sairá com um prejuízo histórico.

Tanto que as centrais sindicais já se comprometeram a tornar público o nome dos parlamentares que apoiarem o projeto de Mabel (clique aqui).

Mas o que o polêmico projeto tem de tão ruim?

Vamos resumir a proposta de Sandro Mabel:

bancariose.com.br
O grande empresário não precisa mais contratar funcionários. Para isso, ele vai encarregar diversas empresas “Zé Bunda” para fazer.

Teoricamente não se percebe grandes mudanças. Porém o grande empresário tem um nome, uma imagem a zelar.

E isso vale muito.

Diferente da empresa “Zé Bunda”. Eles podem deixar de recolher INSS, FGTS e podem prejudicar a vida de diversos trabalhadores.

Trabalhadores que trabalham na grande empresa, mas com vínculo com o “Zé Bunda”.

E depois, quando a bomba explodir, vai explodir no colo do “Zé Bunda”. Ele perderá as diversas ações trabalhistas movidas contra ele.

Inadimplente, sem condições (ou vontade) de pagar, vai acabar sendo declarada sua falência.

Decretada sua falência pelo juiz, será dado início ao processo de execução coletiva dos bens.

Mas o “Zé Bunda” não terá bens em seu nome. E agora?

Agora, provavelmente, o grande empresário já terá outros funcionários produzindo.

Funcionários contratados, é claro, por outra empresa “Zé Bunda”.

Não é um “avanço” a proposta do tal Mabel??

E o cara ainda tem nome de uma bolacha dura e ruim…

Leia a integra do projeto (clique aqui).

E depois decida sobre quem está com a razão.

Sandro Mabel e a bancada patronal. Ou os sindicalistas (que representam os interesses da classe trabalhadora).

Também será interessante para decidir em quem não votar, nas próximas eleições…

 Veja também:

Projeto da Terceirização: CUT divulgará nomes de deputados que votarem contra a classe trabalhadora

Trabalhadores vão para as ruas no dia 11 de julho contra o projeto de Sandro Mabel: Não à Terceirização!

Imagem: bancariose.com.br

Tem muita gente bancando o “revoltadinho das ruas”, mas agora vai ficar contra a reforma política.

Aqueles que defendem a democracia na teoria, na prática defendem outra coisa.

Plebiscito não é ouvir 10 mil, 20 mil, 50 mil pessoas nas ruas.

Isso não é democracia.Não chega a ser.

É, no máximo, um São Paulo X Corinthians.

Plebiscito é ouvir milhões de pessoas nas ruas.

ISSO SIM É OUVIR A MAIORIA ABSOLUTA!!

É OUVIR OPINIÃO DO POVO!!

O resto é brincadeira de criança mimada.

Quem fez a proposta recebeu mais de 55 milhões de votos (clique aqui).

Dá só uma olhada em quem  se colocacontra a idéia de dar voz ao povo…

Do BRASIL 247:

SERRA: PROPOSTA DE PLEBISCITO É “ABSURDA”

images-cms-image-000321791

25/06/2013

Para ele, é “fora da realidade” e “sem pé nem cabeça” a realização do plebiscito. “Tem que aprovar uma lei no Congresso Nacional. Se aprovar, marcar a data, fazer horário eleitoral para o povo ir votar. Quanto demora? Seis meses. Depois tem que eleger os membros da Constituinte. Em pleno ano eleitoral [2014], uma confusão dessas, porque ela ouviu falar em reforma política?”, questionou.

Ao falar em reforma política, será inevitável falar em financiamento de campanhas.

Teremos que falar em empreiteiras e grandes empresários que colocam milhões, turbinando a campanha de certos candidatos.

Candidatos estes que, depois de eleitos, vão ajudar seus “amigos” em licitações de obras públicas e processos de privatizações.

É um ótimo negócio para todos, menos para o povo.

E o povo (aquele que sempre é passado para trás) não será ouvido.

Essa é a idéia de políticos como Serra.

Andaram dizendo que “o Brasil que acordou”. E será que o Brasil ficará quieto vendo isso?

Veja também:

Justiça Federal reconhece fraude na privatização da Vale

O lado político das manifestações que se diziam “sem partido”

Imagem: http://www.brasil247.com

Do Facebook:

Captura de tela de 2013-06-22 17:23:28

O cidadão publicou a foto na rede social, classificou outra pessoa como “TRAIDOR” e “JUDAS”, ofendendo sua dignidade e ainda pediu que ela fosse compartilhada e divulgada.

Pois estamos divulgando…

Porém não concordamos com a prática ofensiva.

Fica a pergunta:

Quer dizer que “ele se vendeu ao PT”?

Por que ele não poderia “se vender ao PSDB”, por exemplo?

O partido que está a quase 20 anos no governo de SP e jamais reduziu o preço do metrô.

Que muito pouco investiu no metrô.

Quem pega o metrô na estação Corinthians Itaquera ou na estação Artur Alvim, todas as manhãs, sabe bem o que estou falando.

Mas o garotâo que posta a foto do “traidor” e aparece de paletó e gravata não deve saber o que é andar de metrô lotado.

Ele está pouco se lixando para o MPL e suas reivindicações.

Ele e seus amigos riquinhos.

Ele também deve querer acabar com as cotas de negros nas universidades.

Ou com programas de inclusão social como o Bolsa família ou o Minha Casa, Minha Vida.

Deve odiar pobre, acreditando que pobre somente existe para servi-lo.

O rapaz que se chama Washington (como a capital dos Estados Unidos), utiliza as redes sociais para rotular um cidadão como “judas”.

É isso aí!! Vamos utilizar o direito democrático de persegui-lo.

Hoje ele é perseguido, amanhã poderá ser morto.

Trucidado como um Judas na sexta-feira da Paixão.

E tudo em nome dessa “nova democracia”.

Essa que mostra bandidos (ou melhor “cidadãos”) saqueando lojas, incendiando veículos e destruindo tudo pela frente.

Essa “nova democracia” é uma mentira.

Mas tome cuidado!!

Caso não concorde com ela, você também poderá ser perseguido…

Veja também:

Manifestante dizia: “Foda-se o Brasil, nacionalismo é coisa de imbecil”

O MPL E SUA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES

E se a história da segunda guerra mundial fosse registrada no facebook?

Imagem: facebook

17jun2013---manifestantes-chegam-ao-cruzamentos-das-avenidas-faria-lima-e-reboucas-em-pinheiros-zona-oeste-de-sao-paulo-no-5-protesto-contra-o-aumento-das-tarifas-do-transporte-coletivo-1371505262094_615x300

Temos visto uma mobilização espantosa por várias cidades brasileiras.

Belas manifestações, porém com momentos de selvageria.

Vimos manifestantes tentando invadir o Palácio dos Bandeirantes.

Também vimos no RJ, a tentativa de invadir a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Vimos também um veículo sendo incendiado.

Ao que parece, tudo isso é pela revogação do aumento de tarifas do transporte público.

Porém o buraco é bem mais embaixo…

Os nossos bolsos também são violentados por pedágios caríssimos (e isso não é de hoje).

Pagamos uma altíssima carga tributária e não temos, por parte do estado, investimentos em Segurança Pública.

Uma infinidade de filhos, filhas, esposos, esposas, pais e mães são assassinados todos os dias por criminosos (e isso não é de hoje).

A PM, importante instrumento do governador para agredir manifestantes, professores, moradores de rua ou dependentes químicos, é um verdadeiro fracasso para combater a criminalidade.

Policiais que recebem salários de fome e que trabalham em várias jornadas para complementar o salário.

Com tais condições de trabalho, fica bem difícil garantir a segurança da população (e isso não é de hoje).

Pagamos uma altíssima carga tributária e não temos, por parte do estado, investimentos em Saúde Pública.

Uma infinidade de filhos, filhas, esposos, esposas, pais e mães morrem todos os dias sem atendimento médico decente (e isso não é de hoje).

Também podemos dizer que foram assassinados.

Temos políticos que estão no poder há muitos anos (em São Paulo já são décadas), e não conseguiram dar ao povo o básico.

Não conseguiram dar respeito ao povo.

Apesar de não concordar com manifestações violentas, ver um número imenso de manifestantes batendo às portas de Alckmin não parece ser surpresa.

Esse senhor tem muitas explicações a dar.

Hoje pudemos ver uma grande mobilização.

E, caso ainda não notaram, não foi apenas por alguns centavos na tarifa.

Veja também:

Ato com 65 mil participantes fecha marginal Pinheiros, emSP, e chega ao Palácio dos Bandeirantes

SP: Movimento Passe Livre diz que só negocia revogação de aumento

Imagem: http://noticias.uol.com.br

Hebe, ao lado do povo, procurou exaltar aqueles que melhoraram sua vida.

Exaltou também a importância histórica de um país, ainda machista, ser governado por uma mulher.

Porém Serra, ao que parece, pensava diferente…

Tanto que, visivelmente constrangido, abandonou o programa da diva, antes de seu término.

Do Estadão:

Com tucanos na plateia, Hebe elogia Dilma e pede palmas para Dirceu

02/03/2011


Diante de uma plateia formada por tucanos, como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o ex-governador José Serra (PSDB), a apresentadora afirmou que esperava encontrar a mulher “brava” e “séria” da campanha eleitoral, mas que se deparou com um “amor de pessoa”. “Acho que ela vai fazer coisas muito boas. Ela é uma gracinha!”, afirmou.

A gravação teve a participação de, aproximadamente, 500 convidados na plateia, entre eles, o ex-chefe da Casa Civil e ex-deputado José Dirceu (PT-SP), réu do processo do mensalão. Além de cumprimentar Serra e Alckmin, Hebe anunciou a presença de Dirceu, que havia sentado numa mesa ao canto do estúdio. “Podem bater palmas para ele”, pediu a apresentadora ao público, que se mostrou inibido com a presença dele.

Se Dirceu gostou dos elogios a Dilma, o ex-governador de São Paulo preferiu não acompanhar toda a gravação. Na metade do programa, Serra levantou-se, deixou a mulher Mônica Serra à mesa que ocupavam, cumprimentou o ex-chefe da Casa Civil e ex-deputado do PT de São Paulo e não foi mais visto até o fim da gravação.

José Serra está acostumado a ver outro tipo de tratamento sendo dispensado a seus opositores.

Está acostumado ao pré julgamento.

Serra, ao lado da grande mídia, promoveu o linchamento moral de Dirceu e, em meio ao linchamento, não pôde admitir uma voz que se levante em apoio ao inimigo.

Ele se esquece do mensalão pago por ele à veiculos de mídia, que hoje se empenham em protegê-lo, atacando seus opositores (clique aqui).

Também se esquece do mensalão mineiro, envolvendo tucanos de destaque (clique aqui). 

Mensalão que não será julgado, de forma política, às portas de uma eleição.

Também se esquece do mensalão, pago pelo governo FHC, em troca de sua reeleição (clique aqui).

A indignação seletiva de Serra, largamente veiculada pela mídia, não era compartilhada por Hebe.

Ela estava acima disso.

Ela tinha opiniões próprias. 

Veja também:

Serra deu R$ 34 milhões à editora que publica a revista Veja quando era governador de SP

A compra de votos para a reeleição de FHC

Embora de importância crucial para a identificação de vítimas e infratores, a Papiloscopia ainda é desconhecida dentro da sociedade.

Dentro das polícias…

E, quem sofre os danos de tamanha ignorância, é o cidadão.

Do PERITOS DE FATO:

Papiloscopia: Não sabe o que é isso? E injustiça? Você sabe o que é?

25/09/2012

“Os policiais não perceberam a falsidade da identificação e não chegaram a colher as impressões digitais do indivíduo preso.”

Esse trecho da reportagem abaixo foi decisivo na vida de um cidadão brasileiro.

Ou melhor, na destruição de sua vida…

Do portal ETHOS:

9 anos depois de ser condenado, vigia que teve RG falsificado comprova sua inocência

25/09/2012
No último dia 31 de julho, Rafael da Silva finalmente teve sua inocência reconhecida. Após cerca de 9 anos, ele provou ter sido vítima de erro do sistema criminal. Desde 2003, havia sido condenado pelo crime de porte ilegal de arma, após o verdadeiro culpado utilizar documentos falsos em seu nome. Durante esse período, chegou a cumprir integralmente sua pena em regime aberto.

Sua absolvição foi determinada pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ-SP), após a Defensoria Pública de SP interpor um recurso de revisão criminal em seu favor.

O caso
Em janeiro de 2001, uma pessoa foi presa em flagrante por policiais militares pelo delito de porte ilegal de arma, na Rodovia dos Imigrantes. O caso foi registrado no 97º Distrito Policial da Capital. O acusado identificou-se como Rafael da Silva – e apresentou documentos falsos, contendo sua foto. O verdadeiro Rafael havia perdido seu RG alguns anos antes.
Os policiais não perceberam a falsidade da identificação e não chegaram a colher as impressões digitais do indivíduo preso.
O “falso Rafael” foi solto posteriormente, após obter liberdade sob fiança. E o inquérito continuou a tramitar, sob o nome do verdadeiro Rafael.
Ele descobriu que respondia a um processo criminal apenas em fevereiro de 2003, quando já estava condenado em primeira instância. Desde então, tentava comprovar sua inocência: como os policiais não colheram as impressões digitais da pessoa presa em flagrante, a Justiça não aceitava retirar seu nome do processo.Exames grafotécnicos também se revelaram inconclusivos, porque a pessoa presa não havia deixado mais do que algumas rubricas. Em 2005, Rafael foi condenado em segunda instância a uma pena privativa de liberdade em regime aberto.

A ignorância do policial que fez a abordagem do criminoso que utilizava um documento adulterado.

E mais.

A ignorância do delegado que indiciou o criminoso, sem uma avaliação pericial, acerca de sua real identidade.

Não suspeitaram estar indiciando um criminoso, com o nome de um inocente?

Um outro fato, bastante grave, não teve grande visibilidade.

UM CRIMINOSO DE VERDADE SE APROVEITOU DO PÉSSIMO TRABALHO PRESTADO PELO ESTADO PARA SE SAFAR.

Com tantos policiais envolvidos no caso, será que nenhum deles nunca ouviu falar na palavra FRAUDE?

Há tempos, o trabalho do Papiloscopista Policial (especialista em identificação humana, através de impressões e fragmentos de impressões digitais) é negligenciado.

Muitos policiais não conhecem o trabalho de um Papiloscopista Policial.

Porém, a ausência do trabalho de um especialista em identificação humana tem efeito trágico sobre o resultado da justiça.

Um papiloscopista não tem o reconhecimento pela sociedade ou a valorização profissional de um delegado, do um promotor, de um juiz…

Mas seu trabalho na identificação científica de autores de delitos é vital para o bom trabalho policial.

É vital para o bom trabalho judicial.

Caso contrário, após todo trabalho de policiais, promotores e juízes, tudo acaba indo por terra.

Um cidadão não pode se tornar vítima de um Estado irresponsável.

O Estado existe para servir o cidadão.

Mas, o que fazer quando ele já não serve mais?

Deve-se jogá-lo fora?

Ou deve-se consertá-lo…

Veja também:

PL 5649/09. Investimento em Segurança Pública

Com base em um vestígio, peritos papiloscópicos conseguem elucidar sequestros

Na noite desta sexta-feira (14/09), após um dia de trabalho desgastante, recebi a notícia do falecimento de uma querida amiga.

Ela morreu em sua casa, dormindo, vítima de um infarto fulminante.

Sua filha, ao encontrar o corpo, ligou imediatamente para a polícia e recebeu pronto atendimento.

Fomos encaminhados à delegacia de polícia da região, onde o delegado, após os procedimentos de rotina, achou melhor encaminhar o caso para os médicos do IML.

Ele poderia ter acionado o SVO (responsáveis por falecimentos por causas naturais) porém, devido ao histórico de demoras por parte do órgão da prefeitura (clique aqui), a autoridade preferiu encaminhar o caso ao IML.

O atendimento prestado pelo IML foi rápido e a causa-mortis de minha amiga foi “infarto agudo do miocárdio”.

Apesar do laudo do especialista, definindo como MORTE NATURAL, o órgão do serviço funerário de São Paulo preferiu proceder como em caso de morte violenta (clique aqui).

O laudo assinado pelo médico legista foi desconsiderado e tivemos que nos dirigir ao Forum Ministro Mario Guimaraes, para buscar a assinatura de um magistrado para proceder com a cremação (conforme vontade de minha amiga).

Por aqui a cruz tem duplo significado: Primeiro a morte do ente querido, depois o calvário de seus familiares…

Fica a pergunta: “UM JUÍZ TEM MAIS CONDIÇÕES QUE UM MÉDICO DE DEFINIR A CAUSA-MORTIS?”

Em caso afirmativo, “POR QUE ENTÃO O JUÍZ NÃO TRABALHA, LIBERANDO CADÁVERES?”

Conseguimos, após horas de estúpida peregrinação, a autorização para a cremação.

Ao que parece, a prefeitura (que comercializa sepulturas), tem maior interesse em fazer sepultamentos convencionais.

É engraçado que a prefeitura paulistana, tão preocupada com o meio ambiente, com as controvertidas brigas judiciais contra a sacolinha (clique aqui) ou com os escândalos da inspeção Controlar (clique aqui), ainda permita que o nosso solo seja envenenado pelos resíduos da decomposição cadavérica (clique aqui).

A cremação deveria ser objeto de incentivo!!!

E não de punicão…

Veja também:

Sacolinhas e cidadania: WalMart entrou com recurso contra distribuição gratuita? Simples… Não compre mais no WalMart

Infraestrutura e feriado: Em São Paulo isso não combina…

Imagem: wallpaper4god.com

Quando o assunto é relação de consumo, todos sabem quem sempre leva a pior.

A posição de inferioridade do consumidor em face ao poder econômico do fornecedor é um verdadeiro drama (clique aqui).

E quando o fonecedor é um WalMart?

Uma verdadeira potência econômica…

Como fica o consumidor?

Da Band:

Sacolinhas de graça acabam neste domingo

12/09/2012

A novela das sacolinhas plásticas vai ganhar mais um capítulo neste domingo. A partir do dia 16, os supermercados não serão mais obrigados a distribuir as embalagens gratuitamente.

A decisão foi tomada no dia 8 de agosto pelo desembargador Torres de Carvalho, da Câmara Reservada ao Meio Ambiente do TJ (Tribunal de Justiça) do Estado de São Paulo, ao analisar um recurso do grupo WalMart.

Os supermercados, que continuam com aquele discursinho hipócrita de preservação do meio ambiente, se esquecem que comercializam produtos embalados em plástico.

A preservação ambiental de mentira: Vendo a quantidade de produtos embalados em plástico e comercializados pelos supermercados notamos que a única preocupação deles é o lucro fácil

É o arroz, o feijão, o macarrão, o papel higiênico…

Além dos refrigerantes vendidos em garrafas PET.

Eles, na teoria, se preocupam tanto com o meio ambiente, a ponto de entrar na justiça contra seus consumidores.

Se eles REALMENTE DESEJASSEM preservar a natureza, já não teriam teriam liderado um boicote aos produtos embalados em plástico?

Pois se os supermercados usam seu poder econômico para perseguir seus consumidores, ao invés de cobrar medidas ecológicas de seus fornecedores, então passou da hora de eles sentirem o gosto de um boicote de verdade.

Veja também:

Abaixo-assinado: Vamos retirar TODAS as embalagens plásticas dos supermercados!!

O CDC e a necessidade de tutelar a relação de consumo

Geralmente vemos recall de peças de automóveis (clique aqui), de aparelhos de TV (clique aqui), de lava-louças (clique aqui)…

Vemos recall de diversos produtos de uso em nosso cotidiano.

Porém, certos produtos foram criados para não apresentar falhas.

E, para tanto, devem ser submetidos a rigorosos padrões de qualidade.

Sua TV, seu lava-louças e até seu carro podem quebrar.

Daí você envia para o conserto.

Mas, e quando o preservativo “quebra”?

O que fazer??

Do Terra:

Recall: 625 mil camisinhas correm risco de ter micro furos

24/08/2012

Camisinhas podem conter "micro furos", de acordo com a fabricante

O recall que envolve 624,8 mil camisinhas da fabricante Olla foi convocado porque as unidades podem conter “micro furos”, que tornam o preservativo impróprio para uso, uma vez que reduzem a eficácia na prevenção de gravidez e na transmissão de doenças. Segundo informações comunicadas pela Hypermarcas, responsável pela Olla, nesta sexta-feira, o recolhimento das camisinhas é preventivo.

Mais cedo, o Procon-SP notificou a empresa para que mudesse, em 24h, o texto do comunicado de recall porque a empresa não havia detalhado a expressão “desvio de qualidade”, usada para comunicar a necessidade de troca dos produtos. Segundo o órgão, sem informar o defeito apresentado, o recall não cumpriu com as exigências da legislação.

Além de apresentar problemas com seu produto, a Hypermarcas, responsável pela Olla, também apresentou problemas em comunicar o real problema para o seu consumidor.

Na verdade, eles só esclareceram o consumidor, após a notificação abaixo.

Da FUNDAÇÃO PROCON SP:

Recall Olla

24/08/2012

Fundação Procon-SP, notifica, nesta sexta-feira (24/8), a empresa Hypermarcas para que regularize, em 24 horas, o texto do comunicado de recall de lotes do preservativo Olla, divulgado pela imprensa. No texto, a empresa não detalha o que diz ser “desvio de qualidade”, conforme exige a legislação vigente.

“É inadmissível que um comunicado dessa importância não traga informações claras sobre o defeito do produto e os riscos aos quais os consumidores estão expostos”, diz o diretor executivo da Fundação Procon-SP, Paulo Arthur Góes.

A Hypermarcas informou que identificou um possível desvio de qualidade nos lotes J12A0534, J12A0535, J12A0599, J12B0083, J12B0087 do preservativo Olla lubrificado promocional leve 8 pague 6 que pode tornar o produto impróprio para o uso e, por este motivo, está tirando o mesmo de circulação.

No comunicado a empresa orienta que em caso o consumidor localize algum produto destes lotes não utilizá-lo, guardar sua embalagem e entrar em contato com o SAC pelo telefone 0800 0126888 ou pelo email atendimento@olla.com.br, para realizar a troca ou reembolso do produto.

O Procon-SP orienta os consumidores sobre seus direitos e acompanha atentamente convocações desse tipo, como procedimento incorporado à sua dinâmica de trabalho. A empresa deverá apresentar os esclarecimentos que se fizerem necessários, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor, inclusive com informações claras e precisas sobre os riscos para o consumidor.

Oquedizalei

O Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 10, estabelece que: “O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

§ 1º O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários”.

Os consumidores que já passaram por algum acidente causado pelo defeito apontado poderão solicitar, por meio do Judiciário, reparação por danos morais e patrimoniais, eventualmente sofridos.

Fazer recall de preservativos é o fim da picada…

Os acidentes causados pelo defeito apontado podem ser, na melhor das hipóteses, uma gravidez.

Foi exatamente o que ocorreu, com os problemas com os anticoncepcionais Microvlar.

Porém o laboratório Schering teve que reparar danos causados a seus consumidores (clique aqui).

No caso dos preservativos Olla, além de uma possível gravidez, doenças bastante sérias também podem ser transmitidas, com o uso do produto defeituoso.

Ou seja, a Hypermarcas está mudando drásticamente a vida de seu consumidor.

E tudo porque ele comprou um simples preservativo.

O caso pode ser ainda mais grave que o dos anticoncepcionais.

Esperamos, realmente, que não.

Porém empresas sérias não podem sobreviver de esperanças.

Esse tipo de falha não pode ocorrer.

Mas já que ocorreu…

Medidas sérias devem ser adotadas, para que isso jamais se repita.

Veja também:

Esse é do povo: Serra vai à zona leste de São Paulo… DE HELICÓPTERO!!

Policiais federais, que humilharam e prejudicaram brasileiros, agora se dizem “preocupados” com provável mudança na segurança da Copa

Imagem: economia.terra.com.br