gravestone-cross-23441288973573aJ8

 

                        Às vezes não queremos pagar pelo parto e acabamos pagando pelo funeral…

As fontes dão conta de que Mariana de Oliveira Fonseca Machado, de 30 anos, professora de enfermagem da Universidade Federal de São Carlos, queria ter o filho em casa.

Ela também era especialista em Saúde da Mulher e vice coordenadora do curso de enfermagem da universidade.

Contratou uma doula (assistente de parto) e tentou por 48 horas dar à luz na tentativa de fazer um parto humanizado, mas não conseguiu.

Com as complicações apresentadas, precisou ser levada para a Casa de Saúde e Maternidade de São Carlos, onde passou por uma cesariana.

A criança, uma menina, nasceu saudável, mas a mãe acabou falecendo.

Uma tragédia.

Do UOL

Professora morre depois de tentar parto humanizado por 48h

Do R7

http://noticias.r7.com/sao-paulo/professora-morre-depois-de-tentar-parto-humanizado-por-48h-24072015

Professora morre depois de tentar parto humanizado por 48h

Do Estadão

http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,professora-morre-apos-tentar-parto-humanizado-por-48h,1731501

Professora morre após tentar parto em casa e passar por cesárea

Do G1

http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2015/07/professora-da-ufscar-tenta-parto-em-casa-por-48h-e-morre-apos-cesarea.html

Professora da UFSCar morre 11 dias após dar à luz em São Carlos, SP

Ou seja, no caso da professora, parece clara a intenção da mãe em ter a filha por parto humanizado (parto normal).

E a cesárea somente foi feita como medida emergencial.

A medida emergencial funcionou para salvar a filha, que nasceu saudável.

Fica a pergunta que jamais poderá ser respondida:

“Será que, se a opção pela cesárea tivesse ocorrido antes de 48h de sofrimento, a mãe também poderia estar saudável?

Ou, pelo menos, viva?”

Nunca saberemos.

O que sabemos é que um assunto como este sempre dá margem para especulação.

A universidade onde Mariana trabalhava já se manifestou.

E apresentou uma versão bastante curiosa sobre o fato:

Publicado no Estadão

http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ser-mae/a-enfermeira-mariana-morreu-depois-de-uma-cesarea-nao-depois-de-tentar-um-parto-em-casa-afirma-universidade/

A enfermeira Mariana morreu depois de uma cesárea, Não depois de tentar um parto em casa, afirma universidade

Em seu comunicado, a universidade relata que a professora chegou ao hospital para o parto em “perfeito estado de saúde”.

Mas se ela estava em “perfeito estado de saúde”, se ela (uma pesquisadora na área de Saúde da Mulher) tinha a exigência de ter a criança por parto normal…

Então por qual motivo o hospital fez a cesárea assassina?

Será mesmo que acreditam que as pessoas são idiotas?

Há muitos anos, minha irmã nasceu depois de mais de 23h do chamado “parto humanizado”.

Minha mãe e minha irmã sobreviveram por verdadeiro milagre.

Depois da quase tragédia, nasceram mais dois filhos.

Todos partos tranquilos.

Todos por cesárea.

Sabemos (e já foi bastante noticiada) sobre a máfia que se criou em torno dos partos.

Onde médicos A-D-O-R-A-M lucrar com cesariana.

Mas e o outro lado?

http://www.jornalnanet.com.br/noticias/8898/bebe-morre-apos-mae-passar-mais-de-27-horas-em-trabalho-de-parto-no-hgis
http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/rj-maes-denunciam-mortes-em-partos-humanizados-de-maternidade-municipal,15abf9be2e562410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html
http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2015/07/policia-investiga-morte-de-feto-no-stella-maris-em-caraguatatuba-sp.html
http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2012/05/bebe-tem-cabeca-arrancada-durante-parto-em-maternidade-de-aracaju.html

O outro lado é de dar medo…

Veja também:

Fúria Paulistana

As sacolinhas e a natureza. Você perdeu? Mas e a natureza? Será que ganhou?