Tem muita gente bancando o “revoltadinho das ruas”, mas agora vai ficar contra a reforma política.

Aqueles que defendem a democracia na teoria, na prática defendem outra coisa.

Plebiscito não é ouvir 10 mil, 20 mil, 50 mil pessoas nas ruas.

Isso não é democracia.Não chega a ser.

É, no máximo, um São Paulo X Corinthians.

Plebiscito é ouvir milhões de pessoas nas ruas.

ISSO SIM É OUVIR A MAIORIA ABSOLUTA!!

É OUVIR OPINIÃO DO POVO!!

O resto é brincadeira de criança mimada.

Quem fez a proposta recebeu mais de 55 milhões de votos (clique aqui).

Dá só uma olhada em quem  se colocacontra a idéia de dar voz ao povo…

Do BRASIL 247:

SERRA: PROPOSTA DE PLEBISCITO É “ABSURDA”

images-cms-image-000321791

25/06/2013

Para ele, é “fora da realidade” e “sem pé nem cabeça” a realização do plebiscito. “Tem que aprovar uma lei no Congresso Nacional. Se aprovar, marcar a data, fazer horário eleitoral para o povo ir votar. Quanto demora? Seis meses. Depois tem que eleger os membros da Constituinte. Em pleno ano eleitoral [2014], uma confusão dessas, porque ela ouviu falar em reforma política?”, questionou.

Ao falar em reforma política, será inevitável falar em financiamento de campanhas.

Teremos que falar em empreiteiras e grandes empresários que colocam milhões, turbinando a campanha de certos candidatos.

Candidatos estes que, depois de eleitos, vão ajudar seus “amigos” em licitações de obras públicas e processos de privatizações.

É um ótimo negócio para todos, menos para o povo.

E o povo (aquele que sempre é passado para trás) não será ouvido.

Essa é a idéia de políticos como Serra.

Andaram dizendo que “o Brasil que acordou”. E será que o Brasil ficará quieto vendo isso?

Veja também:

Justiça Federal reconhece fraude na privatização da Vale

O lado político das manifestações que se diziam “sem partido”

Imagem: http://www.brasil247.com