Transito

As horas passam.

06:00, 07:00, 08:00h.

Passam

como carros

na nossa mente.

Mas, na nossa frente

Os carros

estão parados.

09:00, 10:00, 11:00h.

Estado crítico.

O sol implacável.

A cabeça

pobre cabeça

quase tão quente quanto o sol.

O garoto do rodízio

de talão cheio.

Quase tão cheio

quanto a nossa paciência.

Pacíência…

Difícil encontrar a essa hora.

E

o dia nem chegou na metade.

12:00, 13:00, 14:00h…

Hora do almoço.

Talvez sim.

Talvez um lanche.

Falta de tempo!!

15:00, 16:00, 17:00h

O dia corre.

Tenho que correr.

Correr

contra o tempo.

Correr

Contra tudo.

Filas intermináveis.

Incontáveis.

Nos bancos

no trânsito.

Vou de Metrô.

Surpresa!

Fila

No Metrô.

Não posso reclamar.

Tem fila

para isso.

Filas virtuais.

No telefone

quem atende

não é uma pessoa.

Devem estar

ocupadas.

Talvez

em outras filas.

Não posso reclamar.

Desisti.

18:00, 19:00, 20:00h

Caminho de volta.

Todos estão

nas ruas.

Parece uma festa.

Mas

não tem ninguém contente.

A cabeça

Pobre cabeça

Ela pesa demais.

Os carros

Como sempre

Parados.

Gostaria de estar

em casa

Mas

tudo parece tão longe…

Na verdade

tudo ficou para amanhã.

Veja também:

As sacolinhas e a natureza. Você perdeu? Mas e a natureza? Será que ganhou?

Oportunidades

 

Imagem: www.b32.com.br