Archive for junho, 2012


Afinal, não conseguiram fazer o mesmo no Brasil.

O general bandido Stroessner, que teve o Paraguai sob suas botas entre 1954 e 1989, se estivesse vivo, agora estaria orgulhoso.

Um país que hoje se considera democrático e no entanto dá apenas duas horas de ‘ampla defesa’ (e isso sem sequer comprovar que Fernando Lugo deu a ordem para o massacre de Curuguaty), merece respeito?

Golpe no Paraguai: Primeiro o aperto de mão, depois a apunhalada. E ainda chamam ele de Franco…

A repugnante democracia que o Paraguai apresenta ao mundo conta, aqui no Brasil, com apoiadores.

Os mesmos apoiadores que tentaram derrubar o governo Lula, acusando este de ‘mensaleiro’.

Eles, que não foram condenados (ou sequer julgados) por terem pago a parlamentares para aprovar o segundo mandato de FHC.

A oposição fracassou na tentativa do golpe brasileiro, Lula foi reeleito, saiu da presidência com aprovação recorde e ainda foi decisivo na eleição de sua sucessora, Dilma Roussef.

Do Opera Mundi:

PSDB afirma que não houve golpe no Paraguai e critica “interferência” do governo brasileiro

O impeachment do presidente paraguaio Fernando Lugo não tem unanimidade entre os partidos políticos brasileiros. A maioria dos partidos manifestou apoio ao chefe de Estado destituído, seguindo manifesto do PT, que classificou a ação do legislativo paraguaio de golpe de Estado. No entanto, o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), principal legenda da oposição, defende a decisão do legislativo paraguaio e critica a diplomacia brasileira.

Alguns partidos que carregam DEMOCRACIA no nome, não se mostram dignos de carregar palavra tão grandiosa.

Porém carregam assim mesmo, como tendo a necessidade de repetidas vezes afirmar que são democratas.

O DEM (sigla para ‘Democratas’) já foi PFL, já foi ARENA e apoiou a ditadura no Brasil.

O PSDB (‘Partido da Social Democracia Brasileira’) se diz democratico, mas agora se manifesta apoiando o recente golpe paraguaio (clique aqui).

Hoje esses partidos brasileiros estão em igualdade com os partidos paraguaios Colorado e Liberal (eles que derrubaram Fernando Lugo).

Eles são piores que simples golpistas.

Também são mentirosos. 

Veja também:

São Paulo, a capital da insegurança: Em plena onda de ataques, faltam coletes para policiais

♫ Eu quero ‘tchu’, eu quero ‘tcha’♪ Serra aposta em eleitor que não sabe votar…

Imagem: blogs.estadao.com.br

Anúncios

Quando foi eleito governador, Geraldo Alckmin colocou a Segurança Pública como prioridade em seu governo (clique aqui).

Após dois anos vemos que o governador ainda não cumpriu sua prioridade. 

Não adianta as autoridades darem entrevistas e mostrar estatísticas dizendo à sociedade que tudo está bem.

Estatísticas que serão questionadas e derrubadas em questão de horas (clique aqui aqui).

Não adianta o Comando Geral da Polícia Militar de São Paulo elaborar carta para tranquilizar policiais (clique aqui).

A sensação de insegurança em São Paulo é uma realidade.

A falta de planejamento e investimento coloca policiais em risco.

Coloca a sociedade em risco.

Da Band:

Major Sofner garante que há coletes para todos os policiais em horário de trabalho

26/06/2012

A falta de equipamentos em número suficiente obriga policiais militares, da capital e da Grande São Paulo, a fazerem “RODÍZIO” de coletes à prova de balas .

Um lote de coletes, cuja validade venceu em abril, foi recolhido no começo deste mês e, até agora, não há previsão de quando novos equipamentos serão entregues.

Os PMs, que antes levavam os coletes para casa, têm que deixar os equipamentos no quartel, se transformando em “alvos fáceis” de novos ataques no horário de folga.

Geraldo Alckmin foi eleito em São Paulo no primeiro turno. Foto: Fernando Borges/Especial para Terra

Prioridade: Geraldo Alckmin, quando foi eleito fez muitas promessas…

Deixar coletes  (que garantem a vida das pessoas) perder a validade, é o mesmo que condená-las à morte.

Enquanto isso, o governador Geraldo Alckmin garante que a corporação está em alerta por causa dos ataques; além do reforço do policiamento, as bases estão cercadas por cones (clique aqui). 

Enquanto o governador fala que a corporação está em alerta, os cidadãos estão em pânico.

Quando em campanha, Alckmin colocou a segurança como prioridade, era isso que ele tinha em mente?

Veja também:

♫ Eu quero ‘tchu’, eu quero ‘tcha’♪ O ‘arrastão’ correndo solto, os policiais sendo trucidados… A ‘alegria’ de Serra contrasta com a falta de segurança em São Paulo

Segurança Pública do tucano Alckmin coloca São Paulo de joelhos. Se os homens que deveriam proteger o cidadão estão sendo mortos, o que acontecerá com o cidadão?


O candidato que prometeu, se eleito permanecer no cargo até o final do mandato (clique aqui), foi eleito e abandonou a cidade de São Paulo após pouco mais de um ano.

O candidato que considera que Kassab fez uma boa administração (clique aqui), que foi responsável pela indicação de Hussain Aref Saab, chefe da máfia da aprovação imobiliária (clique aqui) agora quer voltar ao som do tchu tcha…

E o cidadão? O que tem a dizer a respeito?

Se o eleitor aceitar esse tipo de abordagem, é porque merece esse tipo de político.

Do Terra:

Com tchu-tcha, Serra quer alcançar ‘jovem popular’, analisa consultor

25/06/ 2012

Na convenção do último domingo, o PSDB divulgou o jingle de campanha do candidato José Serra à prefeitura de São Paulo. Tendo como base o refrão “Eu quero tchu, eu quero tcha”, do hit da dupla João Lucas e Marcelo, a letra diz “eu quero Serra, eu quero já”. Para o consultor político Diego Pudo, a escolha do estilo musical popular é uma tentativa de mudar a imagem do tucano e se aproximar do jovem eleitor. ”

Serra quer mudar de imagem?’

E, quer mudar por quê?

Será que a imagem dele é tão venal, para seu consultor político querer mudar?

Veja também:

♫ Eu quero ‘tchu’, eu quero ‘tcha’♪ O ‘arrastão’ correndo solto, os policiais sendo trucidados… A ‘alegria’ de Serra contrasta com a falta de segurança em São Paulo

Por escrito, tucano diz que cumprirá mandato, se eleito

José Serra levou para a Prefeitura de São Paulo homem suspeito chefiar máfia imobiliária, diz revista

Imagem: 22051998.blogspot.com

Os órgãos de imprensa malharam Lula e o PT em razão da polêmica foto com Maluf.

Porém será que vão dar espaço para a falta de sensibilidade e seriedade do candidato Serra?

Enquanto em São Paulo se nem os policiais, que deveriam dar segurança ao cidadão, tem tranquilidade de sair às ruas (clique aqui), qual será o sentimento do cidadão?

De alegria?

Do Terra:

Serra apresenta jingle inspirado no ‘tchu-tcha’ em convenção

24/06/2012

Boneco inflável dança ao som do novo jingle de José Serra, baseado na famosa música da dupla João Lucas e Marcelo. Foto: Marina Novaes/Terra

O pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, apresentou um jingle com uma sonoridade bem familiar para tentar emplacar nas urnas em 2012. Na convenção que oficializa o lançamento de sua campanha, realizada neste domingo na capital paulista, as caixas de som tocavam bem alto o refrão: “Eu quero Serra, eu quero já! Eu quero Serra já! Eu quero Serra já”, com a melodia da música “Eu quero tchu, eu quero tcha”, da dupla João Lucas e Marcelo.

Além do “Serra já”, a campanha tucana aposta no slogan “seguir avançando”. Por isso, nos telões, além das imagens do prefeiturável com militantes nas ruas, há as “hashtags” “spseguiravançando”, que o PSDB espera emplacar como tópico mais comentado no Twitter neste domingo.

A convenção tucana começou por volta das 9h e deve reunir figurões do PSDB, como o governador Geraldo Alckmin, o presidente do partido, Sérgio Guerra, além do prefeito Gilberto Kassab (PSD) – o PSD também realiza convenção hoje. Apesar da oficialização da candidatura tucana à prefeitura, Serra deve lançar-se ainda sem vice.

José Serra ainda terá que carregar o pesado fardo de dizer que Kassab fez um governo bom.

Será que ele fará isso com a mesma alegria?

E Alckmin? Que deveria zelar pela segurança pública em São Paulo…

Não dá para falar em Geraldo Alckmin, e não falar em abandono.

Em 2006, com essa turma no governo, São Paulo foi cenário de uma tragédia anunciada.

O crime organizado ganhando força,até mesmo dentro dos presídios paulistas.

E os policiais, sob a incompetência do governo tucano, servindo de alvo para criminosos (clique aqui).

Agora a imprensa, que geralmente protege os governos tucanos, anuncia nova tragédia.

E anuncia exaustivamente…

Enquanto isso o candidato Serra quer ‘tchu’.

Quer ‘tcha’.

E o cidadão/eleitor? Quer o quê?

Veja também:

Segurança Pública do tucano Alckmin coloca São Paulo de joelhos. Se os homens que deveriam proteger o cidadão estão sendo mortos, o que acontecerá com o cidadão?

Os números da Segurança Pública: Quando eles vão dizer a verdade??

Liberdade de Imprensa X Formação de Quadrilha: Revista Veja inocenta Carlinhos Cachoeira

A revista da editora Abril, a mesma editora que, sem licitação, vendeu 220 mil assinaturas ao governo Serra (clique aqui), estufa o peito para falar em liberdade de imprensa.

Eles falam e tentam enganar o espelho.

Porém, em tempos de inclusão digital, fica complicado a Veja vestir o traje da isenção.

Eles, que colocam Carlinhos Cachoeira como mero informante, na verdade foram importante instrumento de Cachoeira, de Demóstenes e de seus amigos (clique aqui e aqui)

As gravações da PF, aquelas que os advogados de Demóstenes tentaram desesperadamente invalidar (clique aqui), colocaram Cachoeira, Demóstenes e a revista Veja no mesmo barco.

Um verdadeiro Titanic…

Diferente da fantasia publicada pela Veja, a CPI do Cachoeira foi formada em cima do trabalho sério de policiais federais.

Em cima de escutas obtidas com autorização judicial.

A seriedade da polícia federal está a anos luz de uma publicação que, na capa, coloca um presidente da República levando um chute no traseiro (clique aqui).

O tablóide, que se intitula ‘indispensável’, coloca Lula e Collor como mentores da CPI do Cachoeira.

Está em destaque, na página 70 da edição 2275.

Segundo a Veja, CPI de Cachoeira ocorreu devido a uma aliança de Lula e Collor, com o único objetivo de constranger os julgadores do mensalão…

O leitor/eleitor/cidadão pode ser enganado durante um determinado tempo.

Porém a confiança, uma vez perdida, jamais será recuperada.

Essa realidade não pode ser alterada, nem mesmo com um milhão de capas de Veja.

Veja também:

Segurança Pública do tucano Alckmin coloca São Paulo de joelhos. Se os homens que deveriam proteger o cidadão estão sendo mortos, o que acontecerá com o cidadão?

Mais um escândalo na São Paulo de Kassab. Agora é a máfia da urna funerária…

Em plena temporada de caça, aberta pelos bandidos, o Comando da PM de São Paulo elabora carta para tranquilizar policiais.

Elabora carta? Enquanto os policiais são mortos?

Da Folha:

Comando da PM elabora carta para tranquilizar policiais após ataques

22/06/2012

O Comando Geral da Polícia Militar de São Paulo passou a última noite redigindo uma carta para ser distribuída aos cerca de cem mil policiais militares do Estado.

Até quando veremos derramado o sangue de quem trabalha?

O cidadão está farto da insegurança, patrocinada por governos fracos.

Governos que escrevem cartas, no lugar de melhorar as condições de trabalho daquele que dá segurança nas ruas.

Nós cidadãos já fomos vítimas da onda de sequestros relâmpagos (clique aqui).

Já fomos vítimas da onda de assaltos a caixa eletrônico (clique aqui).

Ultimamente somos vítimas da onda de assaltos a bares e restaurantes (clique aqui).

Agora os bandidos inauguram uma nova onda. E bem diante dos olhos daqueles que foram eleitos para cuidar de São Paulo.

A novidade são policiais sendo literalmente caçados por bandidos (clique aqui e aqui).

Policiais que, em virtude dos salários baixos, acabam tendo que recorrer ao chamado ‘bico’.

Os homens que devem dar um atendimento de excelência ao cidadão, na verdade estão exaustos, pois trabalham em jornadas múltiplas.

Policiais que não tem tempo para suas famílias, que mal tem tempo para dormir.

E tendo sono, fica difícil estar alerta…

A onda de policiais mortos, na verdade, é a reprise de um acontecimento triste.

Triste e vergonhoso.

Em 2006 a facção criminosa PCC ordenou a morte de policiais e agentes penitenciários (clique aqui).

O PCC naquela oportunidade humilhou o governo estadual, que teve que negociar o fim dos ataques com os bandidos.

Da Folha:

PCC ordena fim dos ataques; ônibus voltam a circular em SP

16/05/2006

Os ataques promovidos pelo PCC diminuíram, e os moradores de São Paulo tentam voltar à vida normal. Nesta terça, um dia depois de a cúpula da facção criminosa ordenar o fim dos ataques e rebeliões no Estado, o comércio abriu e os ônibus voltaram a circular na capital. O rodízio de veículos está suspenso na cidade.

Segundo o que a Folha apurou, o preso Orlando Mota Júnior, 34, o Macarrão, foi um dos principais interlocutores do governo. Ele e outros líderes do PCC deram a ordem de cessar os atentados. Reportagem publicada pela Folha Online no domingo já indicava a negociação entre o governo e presos. Na ocasião, a Secretaria da Administração Penitenciária negou qualquer acordo.
Nas conversas com representantes da Secretaria da Administração Penitenciária, a facção condicionou o fim dos ataques a benefícios a presos transferidos para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (620 km de SP). Entre as reivindicações estão a visita íntima e televisores para os presos em RDD (Regime Disciplinar Diferenciado). O sistema mais rígido proíbe esses dois benefícios.

Naquela época Geraldo Alckmin, que era governador e deixou o cargo pouco antes dos ataques para disputar a presidência, fugiu covardemente de sua responsabilidade.

E agora? Será que o governador que manda cartas e brinca com os números da Segurança Pública, vai começar a falar sério?

Veja também:

Os números da Segurança Pública: Quando eles vão dizer a verdade??

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM: “Kit arrastão” surge como novidade para quem quer curtir a noite paulistana…

Mortes de policiais podem ter sido motivadas por vingança, diz PM

Imagem: folha.uol.com.br

 

A eleição de Fernando Lugo, eleito democraticamente em 2008, após seis décadas de domínio de um partido único, incluindo os 35 anos do regime militar comandado por Alfredo Stroessner (1954-1989), foi um acontecimento marcante na história recente do Paraguai (clique aqui).

Ele foi eleito pelo povo, mas não é o povo quem decidirá seu destino…

O Senado, com ampla maioria oposicionista, deverá decidir sobre o processo de impeachment do presidente.

Da BBC Brasil:

Mortes no campo geram crise e processo de impeachment no Paraguai

21/06/2012

As mortes em um conflito agrário na semana passada no Paraguai provocaram uma crise que levou o presidente, Fernando Lugo, a afirmar nesta quinta-feira que não renunciará ao cargo. O discurso em rede nacional ocorreu minutos depois da aprovação por ampla maioria na Câmara dos Deputados da abertura de um processo de impeachment contra ele.

Fernando Lugo/AP

Lugo diz que vai se submeter a processo, mas reclama de perseguição política

“Não renunciarei ao cargo para o qual fui eleito pelo voto popular. Não interromperei um processo democrático e me submeterei ao processo político, como mandam as leis paraguaias, com todas as suas consequências, como indica a Constituição paraguaia”, afirmou o presidente.

É, de fato, muito perigoso o que ocorre aí do lado, no Paraguai.

Como um país que não consegue mostrar estabilidade política, poderá assumir compromissos internacionais?

Sobre as mortes ocorridas, aqui mesmo no Brasil, diversas reintegrações de posse acabaram em massacres.

Temos, por exemplo, o recente caso do Pinheirinho em São Paulo, ou o terrível episódio de Eldorado dos Carajás no Pará, onde dezenove sem-terra foram mortos pela Polícia Militar do Estado do Pará.

O caso do Pinheirinho vai para a Corte Interamericana de Direitos Humanos e ao Tribunal Penal Internacional (clique aqui) e, caso sejam condenados os responsáveis, esses não serão os chefes de governo, como não foram os chefes de governo responsabilizados pelo massacre do Pará (clique aqui). 

Almir Gabriel não foi cassado, assim como não será Geraldo Alckmin…

Vão cassar Fernando Lugo? E depois? Vão fazer um governo provisório-definitivo?

Já vi esse filme antes…

Ele não foi eleito pelo povo? Pois que seja convocado um referendo para que o povo, democraticamente, decida se o presidente Lugo deve sair.

Veja também:

Fernando Lugo: o ex-bispo que acabou com a herança de Stroessner no Paraguai

Após perder no Paraguai, Partido Colorado entra em crise

Gilberto Kassab, que encampou o projeto ‘cidade limpa’, não conseguiu limpar seu governo.

Quando deputado, Kassab operou caixa dois de R$ 27,4 milhões nas eleições de 2002 (clique aqui). Já como prefeito alugou tablets PC, pelo valor de R$ 138,9 milhões, valor equivalente a cinco vezes o custo para compra do modelo mais caro comercializado atualmente no mercado nacional (clique aqui).

Kassab, que nomeou para o conselho de empresas municipais seus aliados políticos e paga R$ 6 mil a cada um deles por uma única reunião mensal de duas horas (clique aqui).

O mesmo Kassab que permite uma verdadeira farra em seu governo, como os escândalos da Controlar (clique aqui) ou do Aprov (clique aqui).

E, quando o assunto é ganhar dinheiro sujo, nem mesmo a morte escapou…

Da Band:

SP: Funcionários da Prefeitura estão vendendo urnas funerárias usadas no Crematório da Vila Alpina

19/06/2012

Urnas funerárias “de segunda-mão” são reaproveitadas e vendidas ilegalmente por funcionários da Prefeitura de São Paulo, dentro do Crematório da Vila Alpina.
Para serem reutilizadas, as caixas de cobre são esvaziadas e as cinzas dos corpos, que estavam recolhidas, são “jogadas” no próprio terreno do crematório.
De acordo com uma funcionária que participa do esquema, as urnas funerárias reutilizadas são vendidas por R$90 e “não são nem lavadas”.

A falta de respeito é total.

Já que as urnas não são lavadas, nem dá para usar a expressão “lavou tá nova”.

E “segunda mão” é bondade do repórter…

As urnas podem até ser de “terceira” ou “quarta mão”.

As pessoas ali foram pais, mães, esposos, filhos. Mas não importa!

Por R$ 90 as cinzas são simplesmente descartadas como lixo.

Veja também:

ACM e Marco Maciel com Fernando Henrique, Sarney e Collor com Dilma, Maluf com Haddad… Qual é a diferença?
Primeiro Hussain Aref Saab, agora Aurélio Miguel: Vereador que tentou barrar estádio corinthiano é acusado de achacar shoppings

Imagem: carlosscoelho.blogspot.com

A política brasileira está se nivelando por baixo.

Partidos que em outros tempos não se misturavam, hoje são vistos juntos.

Em contrapartida, o ódio pode muito bem nascer de um amor desprezado.

Olhando a fotografia abaixo, nunca poderíamos imaginar que os veríamos em lados tão opostos.

E pior! Apoiados por aqueles que mataram a democracia.

Fernando Henrique Cardoso e Lula juntos distribuindo jornais e panfletos pela redemocratização, em plena ditadura militar.

Fernando Henrique Cardoso, quando não teve o apoio do PT para governar, recorreu ao falecido PFL (clique aqui).

PFL, que já foi ARENA, e hoje vive com o nome de DEM.

Foi o início do casamento demotucano e do ódio entre tucanos e petistas.

Tucanos, presentes e atuantes na luta pela democracia agora estavam lado a lado com apoiadores da ditadura, como Antonio Carlos Magalhães, Marco Maciel ou Jorge Bornhausen.

E petistas, também presentes e atuantes na luta pela democracia, passaram a ser inimigos mortais.

Quando Lula venceu o tucano Serra e se tornou presidente em 2002, o PSDB foi para a oposição raivosa.

A grande mídia, que em grande parte apoiou a ditadura, também apoiou Fernando Henrique.

O episódio da compra de votos para a reeleição de FHC (clique aqui), é um belíssimo exemplo de uma mídia parcial.

Enquanto FHC foi preservado, Lula quase recebeu o impeachement.

Proteção da mídia à parte, o senso de moral do político brasileiro, adepto da máxima do ‘é dando que se recebe’, não mudou muito.

E os petistas, para poder governar, acabaram adotando uma estratégia similar aos tucanos.

Dilma foi eleita em 2010 com uma confortável maioria no Congresso Nacional.

Confortável, mas não muito fiel…

Partidos como PMDB, PR, PP,PTB sempre tiveram relação tumultuada com o governo.

Relação marcada por pedidos e ameaças (clique aqui, aqui e aqui).

Sarney e Collor, que estavam com a ditadura militar, hoje apóiam Dilma Rousseff, a presidenta que foi presa e torturada pelos militares.

A recente aliança municipal entre Haddad e Maluf parece um pesadelo para muitos.

O apoio nefasto se fez necessário para tentar derrotar o tucano Serra.

Na verdade o que vemos é apenas mais um capítulo de uma velha história.

Velha e triste…

Veja também:

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM: “Kit arrastão” surge como novidade para quem quer curtir a noite paulistana…

A cidadania e a sacolinha: Consumidor abandonado pelo MP e pelo Procon é socorrido por ação civil pública

Imagem: jornalopcao.com.br

Pelo código de defesa do consumidor, quem paga e não recebe pelo que pagou, tem direito ao dinheiro de volta.

Porém em São Paulo, que tem cidadãos que pagam pesados impostos e recebem apenas o descaso e a incompetência, a vítima precisa encontrar novas alternativas.

Após quase vinte anos de governos tucanos, o cidadão de São Paulo não tem direito de sair de casa…

Do YAHOO:

Clientes de bares e restaurantes em São Paulo criam ‘kit arrastão’

13/06/2012

São Paulo teve o policiamento reforçado na noite do Dia dos Namorados para evitar onda de arrastões. Mesmo assim, para garantir, teve gente que saiu de casa com o kit arrastão, que é composto de R$ 50, um cartão de credito e o RG.

– Se ficar sem isso, rapidamente dá para cancelar, não tem problema. Prefiro me garantir – contou o comerciante Sérgio dos Santos, que aderiu ao kit.

Desde o começo do ano foram 18 arrastões. Na madrugada desta segunda-feira, os bandidos entraram em um bar e renderam 15 clientes.

Para conter a violência, os donos de restaurantes estão investindo em segurança. Em um deles o dono instalou 16 câmeras que monitoram o movimento do lado de fora e dentro.

– Estamos sentindo nos clientes, uma preocupação evidente. Quando eles ligam perguntam se tem segurança, se existe algum sistema de segurança no restaurante- afirmou Carlos Martignago, dono de restaurante há 15 anos.

Em outro restaurante, os funcionários usam um aparelhinho, batizado de botão do pânico. Quando acionado, ele dispara um alarme em uma central de monitoramento.

Câmeras, portão de ferro, cadeados, interfone. O reforço na iluminação da entrada também está entre as medidas que os restaurantes vão adotar para tentar combater a violência.

Em Moema, na zona sul da capital , na noite desta terça-feira, tinha polícia, que foi de bar em bar conversar com os donos: – As viaturas estão visitando os locais de maior concentração de pessoas, se apresentando para o gerente, para dar tranquilidade ao público e às pessoas que trabalham no local – disse o capitão da PM Daniel Komai.

O reforço foi uma determinação do governo de São Paulo para a noite dos namorados: quase 400 policiais a mais nas ruas, para inibir os arrastões a bares e restaurantes na capital. Deve ser assim em datas de grande movimento: esquema de segurança reforçado. No dia a dia, a polícia pretende contar com a ajuda da população.

– Queremos toda a comunidade ajudando, participando, no seu bairro, na sua rua, em toda a vizinhança, no sentido da maior segurança pública – pediu o governador Geraldo Alckmin.

Alckmin quer toda a comunidade ajudando.

Parece estranho isso.

Então pagar impostos, como o cidadão sempre pagou, é o quê?

Atrapalhar??

Talvez o que não está ajudando, é a forma como o cidadão vota…

Veja também:

A cidadania e a sacolinha: Consumidor abandonado pelo MP e pelo Procon é socorrido por ação civil pública

A truculência perde de novo: Vara da Fazenda Pública interrompe Nova Luz. Depois de perder para os ambulantes, justiça impõe nova derrota a Kassab

Imagem: wellingtonflagg.blogspot.com

O Procon e o Ministério Público se uniram com a APAS (Associação Paulista de Supermercados), para TIRAR O PLANETA DO SUFOCO, e se esqueceram que quase todos os produtos vendidos nos supermercados são embalados em plástico.

Ao assinar o  Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (clique aqui), os órgãos de defesa do consumidor e da sociedade, não trataram da substituição das garrafas PET, um verdadeiro câncer no meio ambiente.

As garrafas PET demoram até 800 anos para desaparecer da natureza (clique aqui), porém o assunto não parece relevante para quem diz querer TIRAR O PLANETA DO SUFOCO.

Cegueira: As garrafas PET saem todos os dias dos supermercados, direto para a natureza…

Entidades civis como o SOS CONSUMIDOR surgem para fazer o trabalho que o Procon e o MP deveriam ter feito.

Do Consultor Jurídico:

Ação pode obrigar supermercados a distribuir sacolas

11/06/2012

As sacolas plásticas podem voltar a ser distribuídas livremente nos supermercados, no que depender da associação SOS Consumidor. A entidade ajuizou, nesta segunda-feira (11/6), Ação Civil Pública contra a Associação Paulista dos Supermercados (Apas) para que sacolas plásticas à base de petróleo (SPPD) voltem a ser distribuídas.

Segundo a entidade, caso a prática não seja retomada, a Lei Federal 8.078 estaria sendo infringida, pois ela diz que os direitos previstos no Código de Defesa do Consumidor não excluem os que derivam dos princípios gerais do “direito, analogia, costumes e equidade”.

“O recebimento de sacolas plásticas, para o armazenamento das compras realizadas nos supermercados, constitui direito costumeiro do consumidor, mercê de anos de práticas comerciais estabelecidas pelos próprios fornecedores desse setor”, diz o documento, enviado à Vara Cível do Foro Central da Comarca de São Paulo.

Ainda segundo a entidade, a dignidade dos consumidores, “que são vistos pelas ruas equilibrando as compras”, foi afrontada, pois a Apas estimulou seus associados a abolir a distribuição de sacolas de forma repentina. Junto à ação, há um pedido de antecipação de tutela, a fim de que elas voltem aos supermercados o quanto antes.

A Apas também é acusada de não promover o da viabilidade da substituição das SPPD, conforme previa compromissado firmado com o governo paulista, e de não ter incentivado o desenvolvimento de projetos de conscientização ambiental.

“A presente ação visa também obrigar a ré a realizar os estudos a que se comprometeu perante o governo do estado de São Paulo (…) e, enquanto isso não ocorre, a promover, por meio de seus associados, a distribuição de sacolas plásticas suficientes para o acondicionamento digno das compras efetuadas pelos consumidores”, conclui a SOS no pedido.

Alguém acredita que os supermercados, que sempre contribuiram (e ainda contribuem) para a poluição do planeta, estão realmente preocupados com alguma coisa diferente do ganho financeiro? 

Você sempre comprou (e continua comprando) macarrão embalado em plástico, arroz embalado em plástico, feijão embalado em plástico…

Comprando refrigerantes em garrafas PET.

Esses monstros que ganham dinheiro e falam em TIRAR O PLANETA DO SUFOCO, na verdade matam nosso planeta.

E matam também os nossos direitos…

Veja também:

A truculência perde de novo: Vara da Fazenda Pública interrompe Nova Luz. Depois de perder para os ambulantes, justiça impõe nova derrota a Kassab

VERGONHA!!! Enquanto Kassab persegue vendedor ambulante, na Câmara Municipal de São Paulo tem funcionário que ganha mais que presidente

Imagem: sosriosdobrasil.blogspot.com


Segundo a 6ª Vara da Fazenda Pública em São Paulo, moradores e os comerciantes locais não foram consultados.

Em seu despacho, a juíza Alexandra Fuchs é bem clara:

“A gestão democrática da cidade implica na efetiva participação de pessoas e associações, representativas dos diversos segmentos da sociedade civil, no processo de organização, planejamento, execução e acompanhamento de planos, programas e projetos de políticas públicas para a modificação do ambiente urbano da cidade”.

Do Correio do Brasil:

Liminar suspende privatização do bairro da Luz, na capital paulista

8/6/2012

Luz

A Estação da Luz, no Centro de São Paulo, seria privatizada

A 6ª Vara da Fazenda Pública em São Paulo concedeu liminar obrigando a prefeitura da capital a interromper o edital de privatização do bairro da Luz, no centro da cidade, rebatizado pela administração de Gilberto Kassab (PSD) como Nova Luz. Com isso, ao menos até contestação e derrubada da decisão judicial, a atual gestão não poderá levar adiante o processo de venda de 45 quadras e das edificações daquela região.

Na decisão, a juíza Alexandra Fuchs de Araújo aceita o argumento apresentado pela Defensoria Pública do Estado e reforçado pelo Ministério Público Estadual de que os moradores e os comerciantes locais não foram consultados pela prefeitura.

Na ação inicial, os advogados indicaram que não houve consulta pública durante o processo de discussão do Conselho Gestor da Zona Especial de Interesse Social da Luz, responsável por aprovar, em abril, o Plano Urbanístico da Nova Luz. Na ocasião, os conselheiros da sociedade civil se queixaram que os documentos apresentados eram insuficientes para tomar uma decisão. Além disso, de acordo com a defensoria, foi escolhido para a reunião um lugar pequeno, que claramente não abrigava todos os interessados.

O centro velho de São Paulo merece ser revitalizado. Porém, para tanto, é vital contar com a participação popular.

Qualquer coisa que fuja disso, se chama CANETADA.

E São Paulo é grande demais, importante demais para ser governada na base da canetada.

Veja também:

Haddad com Erundina: Após flerte com Kassab, enfim o PT pode dar uma bola dentro…

VERGONHA!!! Enquanto Kassab persegue vendedor ambulante, na Câmara Municipal de São Paulo tem funcionário que ganha mais que presidente