Category: PiG


Fazem oposição, sem enxergar as realizações do Governo Federal.

E, por isso perderam em 2006, perderam em 2010.

E caminham para nova derrota.

Previram o total fracasso na execução das obras para a Copa:

veja

 

Fizeram a previsão de que os estádios não estariam prontos antes de 2038.

Erraram.

E erraram de maneira grotesca.

Um pedido de desculpas seria digno da parte deles.

O leitor, que ainda gasta o seu dinheiro comprando a revista, merecia isso.

Mas eles não tiveram essa dignidade.

Talvez seria melhor não mais tratar do assunto “Copa do Mundo”.

Afinal, eles mostraram que pouco entendem do assunto.

Mas eles insistiram.

Publiaram uma nova capa.

Desta vez com uma bonita torcedora.

Uma torcedora com os dentes perfeitos.

Uma torcedora loura.

capa380

Mas será que a torcedora de Veja é o retrato fiel do torcedor brasileiro?

O censo do IBGE mostra que não é.

http://oglobo.globo.com/politica/censo-2010-populacao-do-brasil-deixa-de-ser-predominantemente-branca-2789597

A revista que erra em suas previsões, também não enxerga o povo de seu país.

E pratica, sem a menor cerimônia, segregação racial em suas páginas.

Eles também afirmam que a Copa não deixará legado.

Bom. Eles podem afirmar o que quiserem.

Não precisam mais se preocupar com sua credibilidade.

Não precisam, pois a credibilidade já foi perdida.

E foi perdida há um bom tempo…

Anúncios

Fica no seu lugar. De onde não deveria ter saido.

Um lugar onde, de preferência, não possa nem ser ouvido.

O povo, para certos grupos políticos e midiáticos, tem que se informar vendo futebol e novelas...

O povo, para certos grupos políticos e midiáticos, tem que se informar vendo futebol e novelas…

Esse é o pensamento daqueles que, em 1964 apoiaram o golpe (clique aqui e aqui).

Esse é o pensamento daqueles que queriam o impeachment de Lula (clique aqui).

Lula que, por duas vezes, foi eleito democraticamente e deixou a presidência sob aprovação popular recorde.

Para eles a vontade popular, manifesta através do voto, não tem o menor valor.

Eles que se esqueceram do mensalão de Eduardo Azeredo, ex-presidente nacional do PSDB, e massacraram os réus da AP 470.

São eles que usam o aumento de combustíveis, algo comum nos tempos de FHC (clique aqui) para atacar Dilma e minimizam a redução nas contas de luz, algo inédito.

Porém um país que destina mais da metade de suas despesas para programas sociais (clique aqui), não pode estar distante de povo.

E o povo sabe disso.

Tanto que, depois de perder em 2002, a oposição e a mídia perderam em 2006 e perderam em 2010.

Além de, em 2012, perderem a maior cidade brasileira.

A oposição e a mídia estão sentindo isso.

E precisam fazer alguma coisa para sobreviver.

Da Carta Maior:

Imprensa e toga: a tentação do golpe

03/2/2013

Não deve ser motivo de surpresa que os membros dos dois campos (midiático e jurídico) se vejam empenhados em mudar as regras formais do jogo político, inaugurando uma série de eventos dramáticos com o objetivo último de deslegitimar o governo eleito pelo povo.

O natural para a estrutura midiática é dominar opiniões, vontades e votos.
É a estrutura midiática capaz de fazer o povo votar em representantes das elites.
Fazer o povo votar contra o povo.
Porém, no momento em que isso deixa de ocorrer, torna-se necessária a adesão e o fortalecimento de uma estrutura auxiliar.
Foi o que ocorreu em 1964, quando o partido das elites (a UDN), unido com a estrutura midiática, já não conseguia dominar opiniões, vontades e votos.
Precisavam de uma estrutura auxiliar.
Os militares.
Só não contavam que os militares, de estrutura auxiliar, se tornaria a principal.
Agora, mais uma vez, a estrutura midiática não se mostra capaz de dominar opiniões, vontades e votos.
Não se mostra capaz de fazer o povo votar em representantes das elites.
E, mais uma vez, vemos o partido das elites, unido com a estrutura midiática, buscando uma estrutura auxiliar para exercer o seu domínio.
Porém, dessa vez, não buscarão amparo com os milicos.
Em pleno século XXI, isso seria inconcebível…
Então, já que não podem mais torturar e matar adversários, vão colocar sobre eles todo o peso da lei.
Mesmo que a lei já não represente mais a justiça (clique
aqui).
O julgamento da AP 470 deixou isso bem claro.
Quando as luzes da imprensa e da justiça focalizaram apenas o lado vermelho do valerioduto.
Deixando de lado os verdadeiros criadores do “mensalão” (clique
aqui).
Vão torturar e matar reputações. Vão cassar direitos políticos.
Afinal, eles conseguiram nova estrutura auxiliar.
A estrutura da toga…

Veja também:

Metade dos gastos de Dilma vai para programas sociais

Por que o mensalão de Azeredo foi desmembrado?

Dois pesos e dois mensalões – JANIO DE FREITAS

Imagem: historiabrasileira.com

Para quem tem pouca memória, é bom dar uma breve passada pelos tempos de Fernando Henrique Cardoso.

E olha que, naquele tempo, ninguém sequer pensava em falar em redução nas tarifas de energia.

O PSDB "cuidando" do petróleo brasileiro... Lembram como era?

O PSDB “cuidando” do petróleo brasileiro… Lembram como era?

Da Veja:

Dinheiro fácil

Para fazer caixa, o governo aumenta
o preço da gasolina nas refinarias

09/12/1998

O motorista recebeu uma ferroada na boca do tanque na última sexta-feira. O governo autorizou as refinarias de petróleo a aumentar o preço dos combustíveis, as distribuidoras e os postos repassaram o aumento, e o resultado é que o litro da gasolina poderá ficar entre 6% e 8% mais caro. Quem não tem carro, da mesma forma, pode sentir alguma dor. O gás de cozinha também subiu. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, FGV, a inflação pode subir até 0,30 ponto porcentual em dezembro só por causa desse aumento. A gasolina é uma das charadas mais antigas e inquebráveis da economia brasileira. Em 1990, o barril de petróleo custava 28 dólares no mercado internacional — enquanto a gasolina valia o equivalente a 84 centavos de real. O preço do petróleo despencou. Custa agora 11 dólares o barril. O brasileiro não se beneficiou com a redução. Pagava na semana passada cerca de 80 centavos de real por litro. E agora deverá pagar ainda mais.

O aumento da semana passada faz parte do esforço governamental para arrecadar mais dinheiro, de forma a cobrir seus rombos. Se a gasolina fica mais cara, calcula Brasília, cresce a receita nos impostos cobrados sobre o combustível.

Aumentar combustíveis para cobrir rombos…

Bem diferente do que ocorre agora, quando a Petrobras libera reajustes com valores abaixo do esperado pelo mercado (clique aqui).

Bem diferente do tempo de FHC, quando tinha reajuste de combustível para cobrir rombo no governo.

Realmente, a oposição está cheia de moral para criticar o governo Dilma.

Veja também:

P36: Ato terrorista!! Ou simplesmente cagada… (part.01)

P36: Ato terrorista!! Ou simplesmente cagada… (part.02)

P36: Ato terrorista!! Ou simplesmente cagada… (part.final)

Imagem: loupigaroupi.zip.net

Ser tucano é ser neoliberal, é ser contra a máquina estatal (clique aqui e aqui). É, segundo eles mesmos, ser contra o atraso.

Diferente de ser tucano, ser serrista é ser contrário ao avanço.

Não sei o que é pior, o avanço tucano, ou o serrismo (que é o atraso dentro do avanço).

Azevedo e Serra: A análise política serrista não é feita com o cérebro, mas com o fígado

Veja abaixo um ótimo exemplo prático do que é ser serrista.

Da Veja:

Fiquem tranquilos, petralhas! Não me furtarei a lhes dar motivos para babar!

29/10/2012

Ter Reinaldo Azevedo do outro lado é, sem dúvida, uma vantagem para os petistas.

A curiosa figura relaciona o resultado eleitoral com o julgamento da AP 470.

E aponta os mais de 30% de abstenção como eleitores que não votaram em Haddad.

É engraçado…

Eles tampouco votaram em Serra.

Já que os “petralhas” são “quadrilheiros” e “mensaleiros”, por que então o eleitor não aplicou em Haddad uma sonora derrota?

Não votando no “preparado” Serra, acabaram permitindo a eleição do candidato dos “mensaleiros”.

Ao que parece, tem gente cega pelo ódio…

A curiosa figura começou também a julgar os tucanos que, segundo ele “já começaram a falar bobagem sobre o passado e sobre o futuro”.

Ainda, segundo ele, “a conversa mole sobre a renovação”.

Ainda bem que o PT não dispõe de um conselheiro como Azevedo.

O PT usou a “conversa mole”, e renovou com Dilma em 2010.

Também usou a “conversa mole” em 2012.

E a “conversa mole” venceu.

Mais uma vez.

Será que os tucanos virão com a “conversa mole de renovação”?

Ou será que ouvirão Azevedo?

E, dessa forma, virão em 2014 com o velho Serra?

Veja também:

Tucano indestrutível: Após ser arrebentado pelo ‘segundo poste’, Serra ainda diz que saiu revigorado…

Aliado de Serra, Kassab avalia governo nefasto e decreta: “Sucessor não resolve problemas da cidade em 4 anos”

Imagem: saraiva13.blogspot.com

Ou será que ouvem as grandes famílias midiáticas.

Ela, que não gosta de justiça.

Ao menos, aquela justiça que julga de acordo com os autos, e não de acordo com o clamor midiático.

Essa justiça, eles odeiam.

Justiça boa era aquela do sinhozinho, que chamava o capitão-do-mato para perseguir seus escravos.

Sua propriedade.

Até hoje, veículos que tem o controle da grande mídia, acreditam que a opinião popular é sua propriedade.

Fazem da informação, verdadeiro feudo.

“Há a profissão mais alta e mais honrosa do que a de soldado? Há profissão mais baixa e mais degradante do que a de capitão-do-mato?” – Joaquim Nabuco, sessão legislativa, 1887

Os Capitães-do-mato eram em sua imensa maioria pretos e mulatos forros (livres),  caçadores de escravos fugitivos, que capturavam a troco de recompensa, realizavam o  serviço por encomenda de latifundiários ou em busca própria por qualquer escravo que encontrassem em rota de fuga. Foi no Sec. XVII  que a Profissão se desenvolveu (clique aqui).

Hoje, para infelicidade de certos donos de jornais e revistas, não tem mais escravidão.

Porém, existe algo bem próximo disso.

Grandes nomes de nossa justiça podem sofrer influência de uma avalanche midiática.

E, dessa maneira, acabar servindo a seus interesses.

Se portando como verdadeiros capitães-do-mato.

Antes aberração, agora herói: Quem mudou tanto? A Veja? Ou o ministro…

Já parece, no mínimo estranho, o simples fato de fazer o julgamento da AP 470 às portas de uma eleição ou de impedirem seu desmembramento (clique aqui).

Enquanto isso, desmembraram o mensalão mineiro, que envolvia grandes nomes da oposição, como o ex-presidente nacional do PSDB (clique aqui).

O mensalão mineiro, que corre sério risco de prescrição (clique aqui).

A revista de Civita jamais gostou de Joaquim Barbosa (clique aqui), ou do que ele representa.

Jamais gostou da política de cotas para negros em universidade (clique aqui e aqui), jamais gostou das políticas de complemantação de renda, implementadas pelos governos Lula e Dilma (clique aqui).

É bom lembrar que o povo é formado, em sua maioria, por negros, pardos e mulatos.

Esse mesmo povo que deu a Lula uma aprovação popular histórica (clique aqui).

A Veja, que hoje exalta em sua capa Joaquim Barbosa, o herói da moda, outro dia tratava com escárnio a possibilidade da vitória de Barack Obama nas eleições dos Estados Unidos.

Veja:

Cadê o homem branco democrata?

07/01/2008

Que diabo se passa com o Partido Democrata americano, que tem como favoritos uma mulher e um negro com sobrenome islâmico e nenhum homem branco para enfrentá-los?

Para bom entendedor: tomo o par “homem branco” como apelo simbólico à tradição e à conservação de um modelo que, inegavelmente, deu certo e fez a maior, mais importante e mais rica democracia do mundo, que venceu, por exemplo, o embate civilizatório com o comunismo.

A Veja, que hoje exalta Joaquim Barbosa, na prática mostra que figuras como o ministro do STF são verdadeiras aberrações.

Os ‘jornalistas’ não querem ser chamados de preconceituosos. Porém colocam o sucesso da mais rica democracia do mundo no fato de seus líderes serem homens brancos.

Segundo eles, isso não é preconceito.

Então tá…

Veja também:

Por que o mensalão de Azeredo foi desmembrado?

Falta de memória ou sem-vergonhice? Serra critica administração federal no Ceagesp, mas esquece o esquema de corrupção na feirinha do Brás

Imagem: conversaafiada.com.br

Foi, sem dúvida, um desrespeito com o contribuinte que, após perder horas de seu dia de trabalho procurando o DETRAN, percebeu que tudo não passou de uma “pegadinha”. 

Um desrespeito ao contribuinte e também ao pobre leitor, que acredita estar bem informado, lendo o jornal…

Veja abaixo a pegadinha.

Do Estadão:

IPVA atrasado terá 70% de desconto

29/08/2012

Abatimento vale para quem pagar até o dia 6; na primeira leva, governo cobra 310 mil donos de veículos com placas terminadas em 4

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo vai cobrar Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 310.681 proprietários de automóveis que deixaram de pagar o tributo entre 2007 e 2012. Em caso de liquidação do débito até o próximo dia 6, a multa poderá ser paga com desconto de 70%. Quem saldar a dívida entre 16 e 30 dias após a notificação (entre 7 e 21 de setembro) terá desconto de 60%.

“Nessas duas hipóteses não haverá incidência de juros de mora nem de atualização monetária referentes aos prazos de 15 ou 30 dias”, informa o aviso do órgão publicado no Diário Oficial do Estado de ontem. A primeira leva é para os contribuintes que têm veículos com placas terminadas em 4 com débitos desde 2007 até este ano.

A matéria, de aparente credibilidade e que até apresenta detalhes (como o números total de contribuintes que deixaram de pagar o tributo), na verdade não passa de uma obra de ficcção.

Agora, após os aborrecimentos e a perda de tempo, o esclarecimento de quem cobra o tributo.

Da Secretaria da Fazenda:

Pagamento de IPVA em atraso deve ser feito à vista e sem desconto

A Secretaria da Fazenda esclarece que a matéria “IPVA atrasado terá 70% de desconto”, publicada nesta quarta-feira (29/8) no jornal o Estado de S.Paulo (p. C4) traz informações incorretas e que podem induzir o contribuinte ao erro.

Abaixo vai a tentativa de explicação daqueles que deveriam ter o objetivo de informar.

Do Estadão:

IPVA atrasado não terá desconto

30/08/2012

Por uma leitura equivocada do Diário Oficial do Estado, um desconto concedido no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foi confundido com um suposto desconto de 70% na cobrança de débitos atrasados do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A informação foi publicada na matéria “IPVA atrasado terá até 70% de desconto”, no caderno Seu Bolso, na edição de ontem do JT.

É para ver “leituras equivocadas” que compramos jornal?

A queda de credibilidade pode explicar a queda na tiragem e a iminente extinção de alguns jornais (clique aqui).

Veja também:

Inúteis!! Eles merecem seu voto? Vereadores de São Paulo utilizam dinheiro público para projetos irrelevantes.

São Paulo abandonada: A cidade que recicla apenas 1% de seu lixo, não investe em infra estrutura, nem tampouco em educação ambiental

Imagem: fotolog.com

Eu já sabia! E, assim como eu, muita gente que não baseia suas opiniões em publicações de Veja/Cachoeira, Globo e demais lixos midiáticos.

Gente que gosta de ver provas materias, antes de sair julgando e destruindo pessoas…

Em 2011, conforme publicação do Portal R7, Jeferson já havia declarado que o “mensalão” não existiu (clique aqui).

“Silêncio absoluto para a petição de Roberto Jefferson ao STF, ontem, dizendo que não houve mensalão! Isso mesmo, declarado por seus advogados de defesa com todas as letras: não houve o “fato” mensalão, foi só “retórica”. Entenderam? Mensalão foi “modo de dizer”. Não teve. Ou seja: todas as acusações, sem provas, não eram fatos, eram factóides. Eram manipulações, mentiras.”

Porém o ódio de Jefferson por José Dirceu, aliado ao ódio da oposição e dos grandes grupos midiáticos, que tentaram derrubar Lula em 2005 (ao estilo Fernando Lugo) e fracassaram, tentaram emplacar Alckmin em 2006 e fracassaram, tentaram emplacar Serra em 2010 e fracassaram…

Roberto Jefferson: Sua mentira “salvou o Brasil”

Eles insistiram com o “mensalão”, publicaram matérias difamatórias e entraram nas casas e nas mentes de milhões de brasileiros, e agora dirão o quê?

Que, com todo seu poder econômico, não foram capazes de produzir provas robustas para condenação?

Ou que, para variar, o julgamento vai terminar em mais uma pizza?

É bem provável que a segunda opção seja a escolhida.

E mais uma vez o STF pagará o preço de uma ação patrocinada pelo ódio e pelo desejo de vingança.

O ódio de Jefferson por Dirceu possibilitou a ação de oportunistas. Na foto o senador Álvaro Dias (PSDB/PR) pedindo o impeachment de Lula

Patrocinada por sentimentos que causam a cegueira.

Do CorreiodoBrasil:

Mensalão foi mentira de Roberto Jefferson para derrubar José Dirceu, admite advogado

12/08/2012

O julgamento da Ação Penal 470, apelidado de ‘mensalão’ pela mídia conservadora, sofrerá nesta segunda-feira a sua maior reviravolta. Advogado do deputado cassado Roberto Jefferson, autor da denúncia de compra de votos por parte de um esquema audacioso, montado para que o Partido dos Trabalhadores (PT) permanecesse indefinidamente no poder, segundo a tese do ‘mensalão’, Luiz Francisco Corrêa Barbosa dirá à Superma Corte que tudo não passou de uma mentira, de uma invencionice de seu cliente. Os recursos entregues pelo PT ao PTB, no total de R$ 4 milhões, eram, na verdade, o cumprimento de um acordo para financiamento de campanhas municipais em 2004.

Agora veremos blogueiros pagos pela grande mídia, mais uma vez sem assunto, apelando para ataques rasteiros para tentar tirar o foco do assunto principal (clique aqui).

Veremos, mais uma vez, o ódio tomando espaço do debate democrático.

Afinal, quem não tem argumentos sólidos, precisa do ódio para sobreviver politicamente.

Veja também:

Roberto Jefferson diz ao STF que Mensalão não existiu, não foi “fato”, foi “retórica”!

”Dirceu me derrubou, mas salvei o Brasil dele”

Mensalão: Senador rele pedido do impeachment de Lula

Imagem: band.com.br/revistaepoca.globo.com

Qual seria o tamanho da indignação popular?

Caso todos os escândalos do governo FHC tivessem a exposição midiática do chamado “mensalão”…

E não foram poucos. Foram as privatizações, o caso Sivam (clique aqui), o Proer (clique aqui), o caso Marka/FonteCindam (clique aqui) e muitos outros.

Todos convenientemente “esquecidos” pela grande mídia. A mesma mídia que se mostra, há sete anos, TÃO ESCANDALIZADA com o “mensalão”.

Foram sete anos de ataques diários, promovidos pela grande mídia, controlada por quatro poderosas famílias (Marinho da Globo, Frias da Folha, Mesquita do Estadão e Civita da Abril).

Curioso que, no tempo do governo de Fernando Henrique, a mídia era bem mais dócil.

E possibilitou que o governo tucano pudesse “trabalhar” em paz.

Privataria: Serra e Landau seguram o punhal que seria cravado no peito do país

O tempo de FHC é o tempo de Serra (ministro do planejamento), é o tempo de Elena Landau, diretora de desestatização do BNDES no governo FHC e principal responsável pela elaboração do modelo de privatização da Companhia Vale do Rio Doce. Elena logo mostrou quais interesses estava a defender. Tão logo deixou o BNDES, tornou-se diretora do Opportunity (grupo de Daniel Dantas). Essas figuras, dentre outras, causaram um rombo dramáticamente maior que o chamado ‘mensalão’. Segundo o PGR Roberto Gurgel, o mensalão distribuiu R$ 141 milhões em propina, uma miséria perto do que FHC e sua turma tiraram do Brasil (clique aqui).

Só para citar a Vale do Rio Doce, após anos de massiva campanha pela venda da estatal nos anos 90, a Vale foi leiloada em maio de 1997. A primeira polêmica envolveu a cotação da estatal realizada pela corretora Marril Lynch, que a avaliou em R$ 10 bilhões. A empresa foi acusada de sub-avaliar jazidas e o conjunto do complexo industrial da empresa, com patrimônio superior a R$ 100 bilhões.

Mais tarde se descobriu que a corretora era ligada à empresa Anglo American, participante do leilão. A estatal foi vendida por apenas R$ 3,3 bilhões. Para se ter uma idéia, esse valor significa menos do que o lucro da empresa em apenas três meses. No ano em que foi leiloada, o lucro líquido da empresa foi de R$ 12,5 bilhões, mais de três vezes o valor de sua venda (clique aqui).

Enquanto isso a grande mídia jogava tudo para debaixo do tapete…

A mesma mídia, que gosta de trocar afagos financeiros com governos tucanos (clique aqui).

São eles que vão pressionar os ministros do STF (clique aqui e aqui) e que vão decidir quando o cidadão vai ficar indignado.

Eles, que muito ganharam com FHC (tirando do Brasil), tem saudade daqueles tempos. Os ataques raivosos a Lula, a Dilma e aos chamados ‘petralhas’ e ‘mensaleiros’ retratam bem o tamanho da saudade.

Veja também:

A festa dos ex-banqueiros

Dois pesos: Roberto Gurgel acusa PT de distribuir R$ 141 milhões em propina com o mensalão. O Sivan, do governo FHC desviou R$ 1,4 bilhão… E ninguém fica indignado??

Vídeo: Serra mandou FHC vender Vale e
Light

Imagem: conversaafiada.com.br

Ele diz que foi derrubado por José Dirceu.

Parece estranho que, após sete anos, ele ainda não saiba o que causou sua queda…

O presidente do PTB foi derrubado pelo video onde aparece como gestor de um esquema de propina (clique aqui).

Agora Jefferson, chefe de esquema de propina, se coloca como “salvador do Brasil”.

Do Diário do Grande ABC:

Jefferson diz que ‘salvou’ o Brasil de José Dirceu

06/08/2012

Presidente nacional do PTB e um dos 38 réus no processo do mensalão, Roberto Jefferson afirmou ter “salvado” o Brasil do ex-ministro José Dirceu, foco do seu ataque nas denúncias sobre a existência de um esquema de corrupção no governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

“A minha luta era com o José Dirceu. Ele me derrubou, mas eu salvei o Brasil dele. Isso para mim é satisfatório. Ele não foi, ele não é e não será presidente do Brasil. Caímos os dois. Não tenho no coração nenhum ódio, nenhum ressentimento contra ele”, afirmou.

Roberto Jefferson, que foi abastecido pelo valerioduto, que dançou no video onde Maurício Marinho, ex-diretor do Departamento de Contratação e Administração de Material dos Correios detalha a dois empresários um esquema de pagamento de propina gerido por Jefferson (clique aqui).
Que foi acuado e se sentindo abandonado pelo governo Lula (clique
aqui), partiu para o ataque ao cunhar (em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo de junho de 2005) a expressão “mensalão” (clique aqui).

Ladrão, mau-caráter ou herói nacional? O deputado cassado criou a expressão “mensalão” e, segundo ele mesmo “salvou o Brasil”

O termo “mensalão”, se tornou sucesso de mídia e Jefferson, antes gestor de esquena de propinas, agora aparecia como “gente boa”.

Ele foi transformado pela mídia, de bandido para herói nacional, em um passe de mágica.

Herói ou bandido: Na política e na mídia não é questão de mérito, mas de oportunidade…

Agora esse senhor dá entrevistas, falando que “salvou o Brasil de José Dirceu”.

Ele salvou o Brasil?

Então é ele, Roberto Jefferson, o MAIOR BRASILEIRO DE TODOS OS TEMPOS!!!

Em tempo: Roberto Jefferson recebeu alta neste domingo, após cirurgia e internação no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio (clique aqui). É curioso ver que o homem que, durante anos mamou nas tetas do dinheiro público pôde se submeter a cirurgia e tratamento, sem ser alvo de campanhas pedindo seu tratamento pelo SUS (clique aqui).

Na verdade é difícil saber o que é mais repulsivo, a impunidade completa ou a indignação seletiva…

Veja também:

Dois pesos: Roberto Gurgel acusa PT de distribuir R$ 141 milhões em propina com o mensalão. O Sivan, do governo FHC desviou R$ 1,4 bilhão… E ninguém fica indignado??

Marinho admite propina nos Correios e diz que “agrados” acontecem
desde 2002

Roberto Gurgel, em sua acusação, se esquece do maior financiador do “mensalão”… Daniel Dantas

Imagem: band.com.br

O termo “petralha” foi criado por um blogueiro que trabalha para a Veja.
A mesma publicação que, durante anos, vem sendo pautada pelo crime organizado (clique aqui).
Que foi usada como instrumento de chantagem pela mulher bonitinha de Cachoeira (clique aqui).
O mesmo homem que trabalha para a Veja e criou o termo “petralha”, tratou Demóstenes como um exemplo de cidadão.
Um homem de coragem (clique aqui).
Porém, apesar de não ter veiculação tão maciça quanto, por exemplo, o escândalo que injustamente destruiu Erenice Guerra, a corrupção no Brasil era mostrada.
Timidamente mostrada.
A matéria de 2010, mostra uma oposição deteriorada pela corrupção.
Mostra também a podridão de partidos da base aliada de Dilma.
Aqueles partidos que gostam de mandar recados à presidenta.

Está na hora de eles ouvirem um recado das urnas.

Do Sul21:
Desde 2000, 623 políticos foram cassados. DEM lidera ranking

Dos 623 cassados por denúncias de corrupção, quatro eram governadores e vices. Os demais são senadores e suplentes (seis), deputados federais (oito), deputados distritais (13), prefeitos e vices (508) e vereadores (84).

De acordo com a pesquisa do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), o DEM é o partido que lidera o ranking (69), reunindo 20,4% dos políticos cassados. O PMDB (66) aparece logo depois, seguido por PSDB (58), PP (26), PTB (24), PDT (23), PR (17), PPS (14) e PT (10). Na última posição está o PV (1), empatado com PHS, Prona e PRP.

No ranking dos estados, Minas Gerais é quem concentra o maior número de cassações (71), o equivalente a 11% do total. Em seguida, vem o Rio Grande do Norte (60), São Paulo (55) e Bahia (54).

A pesquisa ressalta que o número de cassações pode aumentar. De acordo com o movimento, outros 1,1 mil processos relativos às eleições de 2006 ainda estão em tramitação e podem levar à perda de mandatos.

A notícia, que está disponível até na Wikipedia, é uma verdadeira bomba no colo daqueles que se dizem melhores que os “petralhas”.

Os reflexos da corrupção foram vistos nas urnas.

O DEM, campeão de corrupção, foi praticamente extinto.

O partido que já contou com 105 deputados em 1999, após as eleições de 2010 ficou com 43.

Com a chegada do PSD de Kassab, o DEM levou mais um duro golpe e caiu para 28 parlamentares.

E o PSDB, em terceiro lugar no ranking da corrupção, viu o seu número de deputados cair quase pela metade.

Na eleição de 1998, quando Fernando Henrique Cardoso foi reeleito, o número de deputados federais do PSDB era de 99, caindo 46,46% e chegando a 53 nesta eleição (clique aqui). Atualmente está com 49 deputados.

Como toda regra tem suas excessões, apesar de ter um grande número de políticos cassados, o PMDB não teve variação tão expressiva.

O PMDB, vice-campeão da lista suja, tem trajetória curiosa. Na posse de 99, contava com 84 parlamentares, caindo para 69 em 2003, subindo para 90 em 2007 (a maior bancada naquela oportunidade) e voltando a cair em 2011.

Conta atualmente com 79 deputados.

É um aliado importante do governo, porém não muito confiável…

Já o PT (em nono no placar da corrupção), que contava com 59 deputados na posse de 1999, ficou com 87 após as eleições de 2010 (clique aqui).

Atualmente o PT é a maior bancada da Câmara dos Deputados.

O PSD, que promoveu severas baixas em diversos partidos (especialmente no DEM), atualmente conta com 47 deputados (clique aqui).

Atualmente o partido, cuja grande maioria foi da oposição ao PT, flerta com o governo Dilma (clique aqui).

Caso venham para a base, Dilma terá uma maioria mais folgada.

Folgada, porém traiçoeira.

Afinal, não são parlamentares que gostam do governo Dilma.

São parlamentares que gostam do poder.

Veja também:

Credibilidade na lona: Revista que foi pautada por Cachoeira agora se vê envolvida em caso de chantagem…
Quando pessoas se tornam números: Morrer na São Paulo de Alckmin se tornou corriqueiro…

Imagem: soldadonofront.blogspot.com

Até o experiente advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos achou melhor pular fora dessa canoa furada.

Da Folha:

Márcio Thomaz Bastos oficializa saída do caso Cachoeira

31/07/2012

O escritório do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos deixou nesta terça-feira (31) oficialmente a defesa do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A saída será protocolada no processo sem pronunciamento formal.

A detenção de Andressa Mendonça, noiva de Cachoeira, foi o estopim. Mas a crise já se alongava durante semanas.

Bastos saiu, mas ainda tem quem permaneça.

Mesmo correndo o risco de perder toda a CREDIBILIDADE.

Quando uma revista, não de fofocas mas de assuntos sérios (como política e economia), publica acusações sem provas de um ministro do STF contra um ex-presidente (clique aqui), no instante em que faz eco para tais acusações, se torna co autora (ou cúmplice).

Quando uma revista coloca seu trabalho a serviço de Carlinhos Cacheira e sua esposa bonitinha, mostra que não está preocupada em fazer o verdadeiro JORNALISMO (clique aqui, aqui e aqui).

Quando uma revista que não ataca o PSDB e, curiosamente, sua editora recebe do governo tucano de SP uma vultosa quantia (a título de assinaturas, sem licitação) e utiliza todas as suas forças para atacar partidos adversários (clique aqui).

Quando todas essas coisas (e muitas outras), cercam o nome de uma publicação…

É porque não existe mais CREDIBILIDADE.

Edição 2275 de Veja: Segundo a revista CPI de Cachoeira ocorreu devido a uma aliança de Lula e Collor, com o único objetivo de constranger os julgadores do mensalão…

E quando um veículo de informação perde credibilidade, é porque está perto de sua morte.

Formadores de opinião precisam ter credibilidade!

A Veja está morrendo afogada. E, no desespero de tentar salvar-se, vai tentar levar o máximo de pessoas consigo.

A Polícia Federal já relacionou a Veja com Cachoeira. E a CPMI? Vai fazer o seu trabalho com competência?

Veja também:

A justiça que agoniza: Sem provas, Gilmar Mendes acusa Lula de ajudar ‘bandidos’.

Gilmar, de mãos dadas com Demóstenes, de mãos dadas com Cachoeira, de mãos dadas com a Veja…

Liberdade de Imprensa X Formação de Quadrilha: Revista Veja inocenta Carlinhos Cachoeira

Juiz acusa: Veja fez dossiê para soltar Cachoeira

MPF: Cachoeira teria usado mulher para comandar negócios da prisão

Foi, sem dúvida, o assunto político mais comentado da semana.

Talvez o mais comentado do ano. Ou melhor, dos últimos anos.

Afinal, não é todo dia que vemos um senador sendo cassado…

Em quase 200 anos de existência do Senado Federal (clique aqui) isso ocorreu apenas duas vezes.

Porém, a histórica notícia não foi digna de uma mísera capa de Veja.

Nem sequer uma menção na capa foi colocada.

A revista, especialista em publicar capas atacando o governo federal e seus aliados, ‘se faz de sonsa’ quando o assunto é um de seus amigos…

Desprezando o julgamento crítico de seu leitor, a publicação semanal da Editora Abril que se intitula ‘indispensável’, preferiu esconder a notícia em suas páginas.

Preferiu falar sobre A BATALHA QUE VAI DEFINIR O SÉCULO XXI.

Mas eles ainda tem TODO O SÉCULO para falar nisso…

Para a Veja, o ideal seria ignorar a cassação do aliado Demóstenes, porém o fato é importante demais para ser simplesmente ignorado.

Na foto, podemos ver a capa da revista semanal, que começou a ser distribuida hoje.

A importante notícia aparece apenas na página 60 com o título: ‘ANTÍTESE CASSADA’.

Defensor intransigente da ética e implacável com as faltas de seus pares, Demóstenes foi colocado como principal expoente do DEM e potencial candidato à presidência da república.

Sua ‘dupla personalidade’ é colocada quase como uma doença.

Não é difícil notar uma certa tristeza naquele artigo.

Um desavisado, ao ler o artigo, vai ficar triste também…

Veja comparou Demóstenes a Renan Calheiros e Sarney, deixando implícito um julgamento demasiado duro por parte do Senado Federal.

Segundo a revista, a dureza do julgamento é atribuida a postura firme do agora ex-senador, que colecionou diversos inimigos.

O julgamento, feito com base em provas robustas e legais, toma forma de vingança pessoal.

A revista que tanto fala em ‘liberdade de imprensa’, não dá liberdade para que as pessoas saibam o que ocorreu nesta semana.

Eles sabem que uma capa de impacto chega a ser mais importante que o conteúdo da revista.

A maioria das pessoas que vão às bancas, não compram a revista e apenas olham a capa.

Para elas a cassação de Demóstenes não ocorreu.

A Veja conhece o cidadão.

E o cidadão? Conhece a revista?

Veja também:

Demóstenes corre o risco de ser preso

Possibilidade de Demóstenes reaver o mandato é quase nula