Category: P 36


CONTINUAÇÃO DE

https://tonigumauskas.wordpress.com/2010/05/08/p36-ato-terrorista-ou-simplesmente-cagada-part-01/

E

https://tonigumauskas.wordpress.com/2010/05/10/p36-ato-terrorista-ou-simplesmente-cagada%E2%80%A6part-02/

edição 1693 de 28/03/2001

Deu na Veja

http://veja.abril.com.br/280301/p_052.html

Sepultados no fundo do mar

A Petrobras mergulha em suspeitas
de negligência na tragédia da P-36

Resgate impossível Das onze famílias que perderam parentes na explosão da P-36, apenas duas puderam enterrar seus mortos. As outras nove tiveram de se conformar com o sobrevôo da área onde a plataforma afundou. A Petrobras considera impossível recuperar os corpos que estão submersos, devido à grande profundidade e ao tempo que já se passou desde o acidente.
Laerson Antônio dos Santos, 40 anos, casado, três filhos, operador Luciano Cardoso Souza, 46, casado, quatro filhos, operador Mário Sérgio Matheus, 40, casado, três filhos, técnico de segurança Geraldo Magela Gonçalves, 41, casado, dois filhos, técnico de segurança Adilson Almeida de Oliveira, 33, casado, sem filhos, operador
Emanoel Portela Lima, 40, casado, dois filhos, operador Ernesto de Azevedo Couto, 43, casado, três filhos, operador Josevaldo Dias de Souza, 38, casado, dois filhos, operador Charles Roberto de Oliveira, 34, casado, dois filhos, auxiliar de plataforma
Só dois enterrados
Sérgio dos Santos Sousa, 34, casado, um filho, mecânico Sérgio Santos Barbosa, 41, casado, três filhos, operador de produção

 

Poucas vezes o país assistiu ao vivo a imagens tão dramáticas quanto a do afundamento da maior plataforma de petróleo do mundo. Na terça-feira passada, terminaram as esperanças de salvar a P-36. Ela foi a pique carregando, presos às suas ferragens, os corpos estraçalhados de nove dos onze petroleiros que morreram ao tentar controlar o fogo. Parecia impossível dar dimensão ainda mais trágica ao caso. Mas na última quinta-feira, uma semana depois do acidente de Macaé, a história ganhou novo rumo com a divulgação de uma surpreendente informação que pode ser o elo que faltava para explicar o desastre. Nos três dias que antecederam as explosões da madrugada do dia 15, três boletins enviados pelo comando da P-36 à base de operação em terra avisavam sobre a ocorrência de problemas no sistema de ventilação da plataforma. A causa provável seria o entupimento do abafador de chamas. O equipamento, alertavam os informes, teria de ser substituído. Isso exigiria uma parada na produção, pois estava ele muito próximo dos queimadores de gás da torre. Menos de 24 horas após o derradeiro aviso, a monumental construção sofreu a explosão e adernou, afundando completamente cinco dias mais tarde.

A descoberta desses boletins pode evidenciar não só as causas do acidente. Pode também expor o que parece ser um sinal de descontrole da direção da Petrobras sobre a empresa. Na última quinta-feira, o presidente da estatal, Henri Philippe Reichstul, foi apanhado de surpresa pela notícia. Na verdade, ela só veio à tona porque a Federação Única dos Petroleiros (FUP) entrou em contato com um diretor da Petrobras informando que não estava conseguindo obter cópias dos boletins diários de operação expedidos antes da explosão da P-36. A FUP reclamava ainda que o sistema on-line das operações da plataforma estava fora do ar. Alertava, porém, para a existência de cópias extra-oficiais dos boletins circulando entre a categoria. A informação foi repassada ao diretor de produção e exploração da Petrobras, José Coutinho Barbosa, que prontamente entrou em contato com Carlos Bellot, gerente-geral da estatal na Bacia de Campos. Bellot confirmou que havia tirado o sistema do ar para preservar as informações.

A Petrobras fez então o que já deveria ter sido feito logo no primeiro dia do acidente. Convocou os gerentes da plataforma no mar e em terra para explicar o que havia acontecido nos dias que antecederam o desastre. Mas já era tarde. O constrangimento estava criado. Como era possível a direção da Petrobras desconhecer a informação de que problemas técnicos na P-36 iriam interromper a produção de 80.000 barris de petróleo por dia? É certo que o boletim não bancava ser necessário parar imediatamente, e sim só quando o abafador fosse trocado, o que parece significar que os controladores da operação não viam risco aos petroleiros embarcados. É certo também que, em caso de perigo, o gerente da plataforma tem autonomia para sustar a produção. O que não faz sentido é uma informação de tal calibre, que fatalmente traria prejuízos à empresa e ao país e que pode ter resultado na morte de onze pessoas, encalhar no terceiro escalão da companhia.

Panela de pressão – Nos dias 12 e 13 – portanto, poucos dias antes da tragédia –, o petroleiro Hélio Galvão chamou a atenção para um problema de “pressurização no vent da plataforma”. Em linguagem leiga, isso significa que estava ocorrendo um aumento da pressão interna nos vasos de uma das colunas de sustentação da plataforma. Ou seja, aumento de pressão num setor por onde passam gases. No dia 14, véspera das explosões, o supervisor Paulo Vianna alertava para a mesma situação. O problema da plataforma seria semelhante ao de uma panela de pressão com defeito na válvula – no caso, o abafador de chamas, o tal equipamento que teria de ser trocado. Sem ter por onde expelir vapor, a panela explodiria. É o que parece ter acontecido com a P-36, embora até a noite de sexta-feira não tivesse sido concluído o laudo sobre o acidente.

 

P36: Na época,a maior plataforma do mundo,agoniza.

OS HOMENS,RESPONSÁVEIS POR FATO DE TAMANHA GRAVIDADE,HOJE APARECEM COMO CRÍTICOS DO ATUAL GOVERNO.

Exemplo da mágica gestão tucana: A P36 sumiu... Seu dinheiro também.

ELES ATÉ,PASMEM,SE COLOCAM COMO ALTERNATIVA…COMO SE O BRASILEIRO NÃO TIVESSE NENHUMA.

FINALIZANDO,O PAÍS FOI LESADO.E NÃO SÓ FINANCEIRAMENTE.

PETROLEIROS FORAM DEMITIDOS E,PARA REDUZIR CUSTOS,FORAM CONTRATADOS TERCEIRIZADOS.

PETROLEIROS FORAM MORTOS.MORTOS PELA OMISSÃO E PELA INCOMPETÊNCIA.

AGORA ELES VOLTAM E DIZEM QUE O BRASIL QUER MAIS.

CABE AO BRASIL RESPONDER… 

 

Anúncios

ENQUANTO ISSO SERRA E O EIXO PSDB/DEM/PPS,VÃO TENTAR DESVIAR O FOCO DE TÃO RELEVANTE DESCOBERTA.

ELES QUE,NA ERA FHC,TENTARAM ‘DOAR’ A PETROBRAS AO CAPITAL ESTRANGEIRO…

OU MELHOR,PETROBRAX.

P36 Afundando,juntamente com nosso dinheiro nas mãos do governo FHC/Serra

http://noticias.r7.com/economia/noticias/anp-encontra-segunda-maior-reserva-de-petroleo-do-brasil-20100512.html

Do portal r7

ANP encontra 2ª maior reserva de petróleo do Brasil

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) estimou em 4,5 bilhões de barris o volume recuperável de petróleo em área que explora no pré-sal da bacia de Santos, o que se configura como a segunda maior reserva de petróleo do Brasil, atrás apenas do megacampo de Tupi.

O supercampo, batizado informalmente de Franco, está em área ainda não licitada pelo governo e poderá ser utilizado para a realização da operação de capitalização da Petrobras, em que a União cederia à estatal o direito de exploração em uma troca indireta por ações da companhia.

O poço foi perfurado pela Petrobras, contratada pela ANP para realizar o trabalho, em um prospecto com cerca de 400 quilômetros quadrados e detectou uma coluna com 272 metros de espessura efetiva com petróleo.

Segundo a ANP informou em nota, para a medir o poço foram usados os mesmos critérios que os utilizados em Tupi, o primeiro da região do pré-sal a ter a reserva divuldada.

– A avaliação levou em consideração os mesmos padrões de cálculos adotados para a acumulação de Tupi, da Petrobras. 

Tupi, o maior campo de petróleo descoberto no mundo nos últimos anos, tem reservas recuperáveis de entre 5 e 8 bilhões de barris.

O diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, afirmou que “parece se tratar de um dos poços de maior potencial já perfurado no país”, o que aumentaria o otimismo do governo brasileiro em relação à região, segundo ele.

A perfuração está sendo feita a 195 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro, em lâmina d’água de 2.189 metros. A ANP comprovou que o óleo encontrado no local é do tipo leve, de maior valor comercial por ser mais fácil de refinar. O poço está a 41 quilômetros a nordeste do prospecto de Iara, onde foi descoberto petróleo leve de 28 graus e reservas estimadas entre 3 e 4 bilhões de barris de óleo equivalente, segundo o comunicado.

A ANP informou ainda que já começou a perfurar o segundo poço para a chamada cessão onerosa, localizado a 32 quilômetros da primeira descoberta.

Os volumes encontrados pela ANP poderão ser utilizados para cobrir a parte do governo na capitalização da Petrobras, operação prevista para julho e que nessa formatação ainda depende da aprovação do Congresso Nacional. As reservas seriam concedidas pelo governo à Petrobras em troca das ações da empresa em uma operação indireta envolvendo títulos públicos, a chamada cessão onerosa.

A Petrobras necessita da operação de capitalização para levantar recursos suficientes para seu plano de exploração da região do Pré-Sal.

P51 na Bacia de Campos,marcando o sucesso da gestão Lula/Dilma

PRA QUEM NÃO VIU,VEJA TAMBÉM:

https://tonigumauskas.wordpress.com/2010/05/08/p36-ato-terrorista-ou-simplesmente-cagada-part-01/

CONTINUAMOS A SÉRIE QUE MOSTRA,NA PRÁTICA,O QUE OCORRE QUANDO TUCANO PÕE O BICO NA COISA PÚBLICA….

AGORA MOSTRAMOS OUTRA PÉROLA,QUE RETRATA BEM O QUE NOS ESPERA,CASO O PSDB RETORNE AO GOVERNO.

Revista Época,edição 185 de 03/12/2001

TRAGÉDIA

O risco Petrobrás

Recordista de mortes, a estatal é denunciada na Marinha pelo naufrágio da P-36

Desde março, quando a plataforma P-36 foi a pique no litoral do Rio de Janeiro, provocando a morte de 11 petroleiros e o naufrágio de um investimento de US$ 450 milhões, a direção da Petrobrás explica a tragédia pela falta de sorte. “Foi uma fatalidade”, disse na ocasião o presidente da Petrobrás, Henri Philippe Reichstul. Na quinta-feira, ao apresentar o resultado de cinco meses de trabalho, três exames de perícia e 30 depoimentos, a Procuradoria Especial da Marinha, órgão encarregado de apurar as causas e responsabilidades de desastres marítimos, apontou um dedo de acusação contra a empresa.

Em sua denúncia, a procuradora da Marinha Tereza Cristina Bevilacqua faz acusações graves. Diz que a Petrobrás privilegia o lucro em sacrifício da qualidade das operações. Afirma que a empresa colocou a P-36 em operação antes que a plataforma estivesse pronta. E que a companhia não se deu ao trabalho de treinar seus funcionários para uma emergência. Conforme a procuradora, a P-36 entrou em operação navegando num oceano de irregularidades. Na denúncia, Tereza Cristina Bevilacqua chama a atenção para o fato de um tanque de drenagem de emergência ter ficado de 10 de fevereiro a 15 de março quebrado, sem substituição, fato que, embora não esteja relacionado ao acidente, revela o descuido nas operações. Num processo que impressiona pela contundência, a Procuradoria da Marinha aponta falhas no projeto da P-36, indica erros na operação da plataforma e conclui pela responsabilidade da direção da Petrobrás. Acusa a diretoria da estatal, duas empresas certificadoras (responsáveis pela permissão de funcionamento da P-36) e cinco funcionários da própria plataforma pela tragédia. Feita a denúncia, cabe aos seis juízes do Tribunal se pronunciarem, o que deve ocorrer em fevereiro. Conforme ÉPOCA apurou na sexta-feira, o humor dominante entre os juízes é de indiciar o próprio Henri Reichstul.


Naufrágio da P-36 (RJ) Março de 2001O que aconteceu
Um tanque explodiu e vazou gás durante a manutenção. A plataforma afundou matando 11 petroleirosO que deu errado
A manutenção foi feita com a P-36 funcionando, o que é irregular.
Na operação de salvamento da plataforma, um tanque ficou aberto e encheu-se de águaComo ficou
A Procuradoria da Marinha denunciou a direção da Petrobrás. A Câmara Federal vai responsabilizar a empresa pelo acidente.http://epoca.globo.com/edic/20011203/brasil2a.htm

SERRA,AO AFIRMAR QUE “O BRASIL QUER MAIS”,DEVE ACREDITAR QUE O BRASILEIRO TENHA ESQUECIDO QUEM TRATOU O PAÍS COMO MERA MERCADORIA DE COMÉRCIO.

O Titanic brasileiro também afundou... Não devemos esquecer quem foram os responsáveis!

A LIÇÃO É DURA,PORÉM É NECESSÁRIO QUE SEJA APRENDIDA.
 
 
 

 

A matéria publicada em 17/07/2001 pela Folha:

Explosão na P-36 teve erros de projeto, manutenção e operação
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/plataforma.shtml

O acidente com a plataforma P-36 da Petrobras foi causado por erros de projetos, manutenção e operação, segundo relatório da ANP (Agência Nacional do Petróleo) e da Marinha. O relatório é bem diferente do que foi apresentado pela Petrobras no mês passado.

Segundo a ANP, a principal causa da explosão foi um problema no fechamento de uma válvula.

Entre as deficiências do projeto, estão até a classificação da área onde se localizava o tanque que explodiu, que não era considerada como área de risco.

De acordo com o relatório, deveriam ser utilizados dispositivos de detecção e contenção de gás e ainda equipamentos resistentes a explosões.

Outra deficiência no projeto é a ligação do tanque de emergência a um equipamento chamado “manifolde de produção”, onde ficam armazenados óleo e gás. Segundo o superintendente de Desenvolvimento e Produção da ANP, Oswaldo Pedrosa, só havia uma válvula isolando o tanque desse equipamento. O correto seria a existência de mais válvulas, para garantir o isolamento entre o tanque e os combustíveis.

SOMENTE APÓS O ROUBO,A TRANCA É COLOCADA…

Veja outra matéria da Folha,em12/04/2001:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u26850.shtml

A Petrobras estuda reduzir o efetivo de empregados terceirizados que trabalham para a empresa. A contratação de terceiros que hoje chegam a 100 mil, contra 34 mil da estatal é uma das principais reclamações dos sindicatos dos petroleiros. Para eles, os prestadores de serviço recebem treinamento deficiente.
“Estamos nos propondo a fazer uma análise global da terceirização e tomar as medidas necessárias”, disse o gerente-executivo de Segurança, Meio Ambiente e Saúde, Irany Varella. Questionado sobre a eventual redução da terceirização, disse que “não está descartada nenhuma hipótese”.

E O PSDB,QUE NO TEMPO DE FHC,LITERALMENTE AFUNDOU A PETROBRAS,HOJE TENTA VOLTAR…

E VOLTAR PARA QUÊ?

ELES DEIXARAM UMA EMPRESA DESACREDITADA E DESVALORIZADA.

AGORA,CASO ENTREGUEM A PETROBRÁS,ENTREGARÃO ALGO DE MUITO MAIOR VALOR.