Category: Alckmin


17jun2013---manifestantes-chegam-ao-cruzamentos-das-avenidas-faria-lima-e-reboucas-em-pinheiros-zona-oeste-de-sao-paulo-no-5-protesto-contra-o-aumento-das-tarifas-do-transporte-coletivo-1371505262094_615x300

Temos visto uma mobilização espantosa por várias cidades brasileiras.

Belas manifestações, porém com momentos de selvageria.

Vimos manifestantes tentando invadir o Palácio dos Bandeirantes.

Também vimos no RJ, a tentativa de invadir a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Vimos também um veículo sendo incendiado.

Ao que parece, tudo isso é pela revogação do aumento de tarifas do transporte público.

Porém o buraco é bem mais embaixo…

Os nossos bolsos também são violentados por pedágios caríssimos (e isso não é de hoje).

Pagamos uma altíssima carga tributária e não temos, por parte do estado, investimentos em Segurança Pública.

Uma infinidade de filhos, filhas, esposos, esposas, pais e mães são assassinados todos os dias por criminosos (e isso não é de hoje).

A PM, importante instrumento do governador para agredir manifestantes, professores, moradores de rua ou dependentes químicos, é um verdadeiro fracasso para combater a criminalidade.

Policiais que recebem salários de fome e que trabalham em várias jornadas para complementar o salário.

Com tais condições de trabalho, fica bem difícil garantir a segurança da população (e isso não é de hoje).

Pagamos uma altíssima carga tributária e não temos, por parte do estado, investimentos em Saúde Pública.

Uma infinidade de filhos, filhas, esposos, esposas, pais e mães morrem todos os dias sem atendimento médico decente (e isso não é de hoje).

Também podemos dizer que foram assassinados.

Temos políticos que estão no poder há muitos anos (em São Paulo já são décadas), e não conseguiram dar ao povo o básico.

Não conseguiram dar respeito ao povo.

Apesar de não concordar com manifestações violentas, ver um número imenso de manifestantes batendo às portas de Alckmin não parece ser surpresa.

Esse senhor tem muitas explicações a dar.

Hoje pudemos ver uma grande mobilização.

E, caso ainda não notaram, não foi apenas por alguns centavos na tarifa.

Veja também:

Ato com 65 mil participantes fecha marginal Pinheiros, emSP, e chega ao Palácio dos Bandeirantes

SP: Movimento Passe Livre diz que só negocia revogação de aumento

Imagem: http://noticias.uol.com.br

Alckmin já havia causado polêmica, ao aparecer junto com Ney Santos, ex-presidiário e ligado a organização criminosa PCC.

Ao que parece, eles combinaram o discurso.

Primeiro o governador.

Da Folha:

‘Quem não reagiu está vivo’, disse Alckmin sobre confronto da Rota

12/09/2012

Agora o bandido.

Do Terra:

‘Tá vendo o que dá reagir’, diz suspeito de matar garota em SP

22/10/2012

As frases parecem até que foram ditas pela mesma pessoa.

Parecem, mas não foram.

Não foram ditas pela mesma pessoa, mas se pode perceber a perfeita sintonia entre eles.

Sintonia que falta entre governo e polícia.

A falta de investimento em inteligência policial, a falta de um plano de valorização profissional para homens que arriscam suas vidas, buscando oferecer um pouco mais de segurança para a sociedade.

Diante da inércia do governo, podemos ver em São Paulo, policiais sendo literalmente caçados por criminosos.

Neste ano, já temos um aumento de mais de 40% de policiais assassinados (clique aqui).

E o número de baixas só faz aumentar.

No mês passado.

Mais de 70 policiais foram mortos em SP em 2012

Nesse mês.
Sobe para 81 o número de policiais mortos em São Paulo

Se nem sequer os policiais conseguem ter segurança, o que dizer do cidadão comum?

Cidadão que paga um preço altíssimo e não recebe retorno dos impostos pagos.

Até quando veremos o crescimento do crime e da sensação de insegurança em São Paulo?

Veja também:

Ladrões matam garota de 15 anos e debocham

Candidato da coligação demotucana é acusado de envolvimento com o PCC

Suspeito de elo com PCC movimenta R$ 6 mi por mês

Imagem: osamigosdopresidentelula.blogspot.com

Quem não vive em São Paulo, deve ter achado graça da notícia.

Porém, quem paga caro para ver a “despoluição” do rio e não vê nada, além do seu dinheiro desaparecer, não deve estar feliz.

Desde 1992, ouvimos a mesma conversa de despoluição do rio.

Mas, tirando a conversa mole, temos visto muito pouca ação afetiva (clique aqui).

A despoluição do rio passou pelos governos Fleury, por dois governos Covas, por Geraldo Alckmin, por Serra e voltou para Alckmin.

Tirando o primeiro, todos os outros governadores pertencendo a um único partido.

Até na tragédia,eles fazem propaganda…

Seria melhor que o governador se limitasse a pegar o nosso dinheiro suado, ficando calado.

Mas ele gosta de falar…

Do Estadão:

Alckmin quer barco turístico no Tietê

18/09/2012

Em três anos, o Rio Tietê terá passeios de bateau mouche como os do Rio Sena, de Paris, segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Nesta terça-feira, 18, durante a apresentação de uma das 564 obras em andamento da terceira fase do Projeto Tietê, Alckmin disse que, com a conclusão dessa etapa de despoluição, prevista para 2015, as águas do Tietê estarão sem odor e já terão alguma vida aquática. Por isso, seria possível, segundo ele, que o curso das águas se tornasse um novo ponto turístico da cidade.

Ponto turístico, o Tietê.

Partindo dessa linha de raciocínio, poderíamos ter outros pontos turísticos.

Poderíamos navegar pelas ruas, durantes as enchentes.

Poderíamos também fazer excursões para acompanhar os incêndios em nossas favelas.

Prá quem gosta de ver tragédias na TV, travestidas de “jornalismo verdade” (clique aqui), está inaugurada uma nova modalidade de turismo.

Talvez, realmente, seja bom.

Assim todos poderão ver de perto a incompetência de nossos governantes…

Obs: A postagem de hoje saiu, atendendo a um pedido especial.

Veja também:

Tietê: Limpo como a consciência tucana

Após 18 anos e US$ 1,6 bi, Tietê fica pior na grande SP

Imagem: tonigumauskas.wordpress.com

Quando as autoridades responsáveis pela Segurança Pública tratam perdas humanas como “um a mais”, é porque a situação se tornou caótica.

Morte de italiano é mais uma na escalada da violência, diz Secretário de Segurança (clique aqui).

“É um a mais que ocorre na capital. A gente lamenta, o DHPP [Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa] e o Deic [Departamento de Investigações Contra o Crime Organizado] estão fazendo todas as investigações para elucidar esse crime. Mas isso ocorre lá [no Itaim Bibi], ocorre na Cidade Tiradentes, ocorre em Itaquera. Lamentavelmente é a escalada da violência.”

Isso não é uma escalada, é um pouco mais, na verdade a violência cresce de forma assustadora.

E o estado mais rico da Federação, o que mais arrecada impostos e pedágios. Porém, na hora de dar retorno à população, eles entregam números (no lugar de trabalho)

No contexto nacional, com 38,19% do total,  São Paulo é o estado que mais arrecada impostos (clique aqui).

Ou seja, o problema de São Paulo não é falta de dinheiro para investir.

Ao que parece, o problema é quem decide onde o dinheiro deve ser empregado.

Porém enquanto discutimos o assunto, as pessoas seguem sendo mortas em SP.

Do Estadão:

Com 4 homicídios por dia, SP registra aumento de 47% nas mortes em junho

Capital volta a ter violência em níveis epidêmicos, conforme taxa da OMS; avanço nos assassinatos ocorre após ataque a PMs pelo PCC

26/07/2012

Os casos de homicídio na cidade de São Paulo cresceram 47% no mês de junho e lideraram a piora generalizada nas taxas criminais na capital em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 122 ocorrências, que vitimaram 139 pessoas na capital no período – mais de 4 por dia.

A capital, que desde o ano passado vinha conseguindo se manter abaixo do patamar de 10 homicídios por 100 mil habitantes (taxa que a Organização Mundial de Saúde, a OMS, considera como epidemia), registrou em junho 13 casos por 100 mil habitantes. A segurança pública na capital viveu um período atípico no mês passado, marcado pela tensão provocada pelo assassinato de seis policiais militares a mando do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Nos dias que se seguiram aos crimes, moradores de bairros da periferia de São Paulo, como Capão Redondo e Parque Bristol, na zona sul, reclamaram da ocorrência de execuções suspeitas de jovens.

Os índices de homicídio, no entanto, já vinham crescendo desde março. Tanto que o semestre também registra alta acumulada de 21,4%. Nos seis primeiros meses do ano, foram registrados 585 assassinatos na capital, taxa de 10,3 casos por 100 mil habitantes.

O aumento do total de conflitos é reforçado pelo crescimento das tentativas de assassinato, que saltaram 89% em junho, com 144 registros na capital paulista.

Latrocínios e resistência. Os casos de homicídios dolosos divulgados pela Secretaria de Segurança Pública não levam em consideração os mortos em confronto com a Polícia Militar nem os latrocínios, mortes resultantes de assaltos.

De “um a mais” em “um a mais”, ocorrem “muitas mortes a mais ” em São Paulo.

Enquanto isso o cidadão permanece votando no mesmo partido.

O mesmo que está no governo há quase vinte anos.

E permanece enterrando seus familiares e amigos. 

Veja também:

Quando o nazismo chega ao esporte: Em 2012 veremos as Olimpíadas, mas quanto tempo vão dedicar às Paraolimpíadas??

Cara de pau! Após abandonar a cidade, Serra vai fazer propaganda de Kassab e dizer que deixou São Paulo em “boas mãos”

Imagem: blogdoabdul.wordpress.com

Quando foi eleito governador, Geraldo Alckmin colocou a Segurança Pública como prioridade em seu governo (clique aqui).

Após dois anos vemos que o governador ainda não cumpriu sua prioridade. 

Não adianta as autoridades darem entrevistas e mostrar estatísticas dizendo à sociedade que tudo está bem.

Estatísticas que serão questionadas e derrubadas em questão de horas (clique aqui aqui).

Não adianta o Comando Geral da Polícia Militar de São Paulo elaborar carta para tranquilizar policiais (clique aqui).

A sensação de insegurança em São Paulo é uma realidade.

A falta de planejamento e investimento coloca policiais em risco.

Coloca a sociedade em risco.

Da Band:

Major Sofner garante que há coletes para todos os policiais em horário de trabalho

26/06/2012

A falta de equipamentos em número suficiente obriga policiais militares, da capital e da Grande São Paulo, a fazerem “RODÍZIO” de coletes à prova de balas .

Um lote de coletes, cuja validade venceu em abril, foi recolhido no começo deste mês e, até agora, não há previsão de quando novos equipamentos serão entregues.

Os PMs, que antes levavam os coletes para casa, têm que deixar os equipamentos no quartel, se transformando em “alvos fáceis” de novos ataques no horário de folga.

Geraldo Alckmin foi eleito em São Paulo no primeiro turno. Foto: Fernando Borges/Especial para Terra

Prioridade: Geraldo Alckmin, quando foi eleito fez muitas promessas…

Deixar coletes  (que garantem a vida das pessoas) perder a validade, é o mesmo que condená-las à morte.

Enquanto isso, o governador Geraldo Alckmin garante que a corporação está em alerta por causa dos ataques; além do reforço do policiamento, as bases estão cercadas por cones (clique aqui). 

Enquanto o governador fala que a corporação está em alerta, os cidadãos estão em pânico.

Quando em campanha, Alckmin colocou a segurança como prioridade, era isso que ele tinha em mente?

Veja também:

♫ Eu quero ‘tchu’, eu quero ‘tcha’♪ O ‘arrastão’ correndo solto, os policiais sendo trucidados… A ‘alegria’ de Serra contrasta com a falta de segurança em São Paulo

Segurança Pública do tucano Alckmin coloca São Paulo de joelhos. Se os homens que deveriam proteger o cidadão estão sendo mortos, o que acontecerá com o cidadão?


Os órgãos de imprensa malharam Lula e o PT em razão da polêmica foto com Maluf.

Porém será que vão dar espaço para a falta de sensibilidade e seriedade do candidato Serra?

Enquanto em São Paulo se nem os policiais, que deveriam dar segurança ao cidadão, tem tranquilidade de sair às ruas (clique aqui), qual será o sentimento do cidadão?

De alegria?

Do Terra:

Serra apresenta jingle inspirado no ‘tchu-tcha’ em convenção

24/06/2012

Boneco inflável dança ao som do novo jingle de José Serra, baseado na famosa música da dupla João Lucas e Marcelo. Foto: Marina Novaes/Terra

O pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, apresentou um jingle com uma sonoridade bem familiar para tentar emplacar nas urnas em 2012. Na convenção que oficializa o lançamento de sua campanha, realizada neste domingo na capital paulista, as caixas de som tocavam bem alto o refrão: “Eu quero Serra, eu quero já! Eu quero Serra já! Eu quero Serra já”, com a melodia da música “Eu quero tchu, eu quero tcha”, da dupla João Lucas e Marcelo.

Além do “Serra já”, a campanha tucana aposta no slogan “seguir avançando”. Por isso, nos telões, além das imagens do prefeiturável com militantes nas ruas, há as “hashtags” “spseguiravançando”, que o PSDB espera emplacar como tópico mais comentado no Twitter neste domingo.

A convenção tucana começou por volta das 9h e deve reunir figurões do PSDB, como o governador Geraldo Alckmin, o presidente do partido, Sérgio Guerra, além do prefeito Gilberto Kassab (PSD) – o PSD também realiza convenção hoje. Apesar da oficialização da candidatura tucana à prefeitura, Serra deve lançar-se ainda sem vice.

José Serra ainda terá que carregar o pesado fardo de dizer que Kassab fez um governo bom.

Será que ele fará isso com a mesma alegria?

E Alckmin? Que deveria zelar pela segurança pública em São Paulo…

Não dá para falar em Geraldo Alckmin, e não falar em abandono.

Em 2006, com essa turma no governo, São Paulo foi cenário de uma tragédia anunciada.

O crime organizado ganhando força,até mesmo dentro dos presídios paulistas.

E os policiais, sob a incompetência do governo tucano, servindo de alvo para criminosos (clique aqui).

Agora a imprensa, que geralmente protege os governos tucanos, anuncia nova tragédia.

E anuncia exaustivamente…

Enquanto isso o candidato Serra quer ‘tchu’.

Quer ‘tcha’.

E o cidadão/eleitor? Quer o quê?

Veja também:

Segurança Pública do tucano Alckmin coloca São Paulo de joelhos. Se os homens que deveriam proteger o cidadão estão sendo mortos, o que acontecerá com o cidadão?

Os números da Segurança Pública: Quando eles vão dizer a verdade??

Liberdade de Imprensa X Formação de Quadrilha: Revista Veja inocenta Carlinhos Cachoeira

Em plena temporada de caça, aberta pelos bandidos, o Comando da PM de São Paulo elabora carta para tranquilizar policiais.

Elabora carta? Enquanto os policiais são mortos?

Da Folha:

Comando da PM elabora carta para tranquilizar policiais após ataques

22/06/2012

O Comando Geral da Polícia Militar de São Paulo passou a última noite redigindo uma carta para ser distribuída aos cerca de cem mil policiais militares do Estado.

Até quando veremos derramado o sangue de quem trabalha?

O cidadão está farto da insegurança, patrocinada por governos fracos.

Governos que escrevem cartas, no lugar de melhorar as condições de trabalho daquele que dá segurança nas ruas.

Nós cidadãos já fomos vítimas da onda de sequestros relâmpagos (clique aqui).

Já fomos vítimas da onda de assaltos a caixa eletrônico (clique aqui).

Ultimamente somos vítimas da onda de assaltos a bares e restaurantes (clique aqui).

Agora os bandidos inauguram uma nova onda. E bem diante dos olhos daqueles que foram eleitos para cuidar de São Paulo.

A novidade são policiais sendo literalmente caçados por bandidos (clique aqui e aqui).

Policiais que, em virtude dos salários baixos, acabam tendo que recorrer ao chamado ‘bico’.

Os homens que devem dar um atendimento de excelência ao cidadão, na verdade estão exaustos, pois trabalham em jornadas múltiplas.

Policiais que não tem tempo para suas famílias, que mal tem tempo para dormir.

E tendo sono, fica difícil estar alerta…

A onda de policiais mortos, na verdade, é a reprise de um acontecimento triste.

Triste e vergonhoso.

Em 2006 a facção criminosa PCC ordenou a morte de policiais e agentes penitenciários (clique aqui).

O PCC naquela oportunidade humilhou o governo estadual, que teve que negociar o fim dos ataques com os bandidos.

Da Folha:

PCC ordena fim dos ataques; ônibus voltam a circular em SP

16/05/2006

Os ataques promovidos pelo PCC diminuíram, e os moradores de São Paulo tentam voltar à vida normal. Nesta terça, um dia depois de a cúpula da facção criminosa ordenar o fim dos ataques e rebeliões no Estado, o comércio abriu e os ônibus voltaram a circular na capital. O rodízio de veículos está suspenso na cidade.

Segundo o que a Folha apurou, o preso Orlando Mota Júnior, 34, o Macarrão, foi um dos principais interlocutores do governo. Ele e outros líderes do PCC deram a ordem de cessar os atentados. Reportagem publicada pela Folha Online no domingo já indicava a negociação entre o governo e presos. Na ocasião, a Secretaria da Administração Penitenciária negou qualquer acordo.
Nas conversas com representantes da Secretaria da Administração Penitenciária, a facção condicionou o fim dos ataques a benefícios a presos transferidos para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (620 km de SP). Entre as reivindicações estão a visita íntima e televisores para os presos em RDD (Regime Disciplinar Diferenciado). O sistema mais rígido proíbe esses dois benefícios.

Naquela época Geraldo Alckmin, que era governador e deixou o cargo pouco antes dos ataques para disputar a presidência, fugiu covardemente de sua responsabilidade.

E agora? Será que o governador que manda cartas e brinca com os números da Segurança Pública, vai começar a falar sério?

Veja também:

Os números da Segurança Pública: Quando eles vão dizer a verdade??

ANTES NÃO TINHA, AGORA TEM: “Kit arrastão” surge como novidade para quem quer curtir a noite paulistana…

Mortes de policiais podem ter sido motivadas por vingança, diz PM

Imagem: folha.uol.com.br

 

Pelo código de defesa do consumidor, quem paga e não recebe pelo que pagou, tem direito ao dinheiro de volta.

Porém em São Paulo, que tem cidadãos que pagam pesados impostos e recebem apenas o descaso e a incompetência, a vítima precisa encontrar novas alternativas.

Após quase vinte anos de governos tucanos, o cidadão de São Paulo não tem direito de sair de casa…

Do YAHOO:

Clientes de bares e restaurantes em São Paulo criam ‘kit arrastão’

13/06/2012

São Paulo teve o policiamento reforçado na noite do Dia dos Namorados para evitar onda de arrastões. Mesmo assim, para garantir, teve gente que saiu de casa com o kit arrastão, que é composto de R$ 50, um cartão de credito e o RG.

– Se ficar sem isso, rapidamente dá para cancelar, não tem problema. Prefiro me garantir – contou o comerciante Sérgio dos Santos, que aderiu ao kit.

Desde o começo do ano foram 18 arrastões. Na madrugada desta segunda-feira, os bandidos entraram em um bar e renderam 15 clientes.

Para conter a violência, os donos de restaurantes estão investindo em segurança. Em um deles o dono instalou 16 câmeras que monitoram o movimento do lado de fora e dentro.

– Estamos sentindo nos clientes, uma preocupação evidente. Quando eles ligam perguntam se tem segurança, se existe algum sistema de segurança no restaurante- afirmou Carlos Martignago, dono de restaurante há 15 anos.

Em outro restaurante, os funcionários usam um aparelhinho, batizado de botão do pânico. Quando acionado, ele dispara um alarme em uma central de monitoramento.

Câmeras, portão de ferro, cadeados, interfone. O reforço na iluminação da entrada também está entre as medidas que os restaurantes vão adotar para tentar combater a violência.

Em Moema, na zona sul da capital , na noite desta terça-feira, tinha polícia, que foi de bar em bar conversar com os donos: – As viaturas estão visitando os locais de maior concentração de pessoas, se apresentando para o gerente, para dar tranquilidade ao público e às pessoas que trabalham no local – disse o capitão da PM Daniel Komai.

O reforço foi uma determinação do governo de São Paulo para a noite dos namorados: quase 400 policiais a mais nas ruas, para inibir os arrastões a bares e restaurantes na capital. Deve ser assim em datas de grande movimento: esquema de segurança reforçado. No dia a dia, a polícia pretende contar com a ajuda da população.

– Queremos toda a comunidade ajudando, participando, no seu bairro, na sua rua, em toda a vizinhança, no sentido da maior segurança pública – pediu o governador Geraldo Alckmin.

Alckmin quer toda a comunidade ajudando.

Parece estranho isso.

Então pagar impostos, como o cidadão sempre pagou, é o quê?

Atrapalhar??

Talvez o que não está ajudando, é a forma como o cidadão vota…

Veja também:

A cidadania e a sacolinha: Consumidor abandonado pelo MP e pelo Procon é socorrido por ação civil pública

A truculência perde de novo: Vara da Fazenda Pública interrompe Nova Luz. Depois de perder para os ambulantes, justiça impõe nova derrota a Kassab

Imagem: wellingtonflagg.blogspot.com

Meu dia de trabalho já acabou.
Porém não tenho a menor idéia de quando vou conseguir chegar em casa.
O sr. Alckmin teve meses para negociar um aumento digno para os funcionário do Metrô, antes da data-base (1º de maio).
Estamos quase no final de maio e agora o Metrô chega com 5,71%, que não cobre nem os 6,5% da inflação de 2011.
QUE VERGONHA!!!

Do UOL:

Inflação em 2011 fica em 6,5%, quase estoura meta e é a maior em sete anos

06/01/2012

Da RedeBrasilAtual:

Metrô sobe proposta, e trabalhadores fazem nova assembleia

23/05/2012

Em audiência realizada no início da tarde de hoje (23) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região, em São Paulo, a Companhia do Metropolitano (Metrô) elevou de 5,71% para 6,17% (entre reposição e aumento real) a proposta de reajuste salarial na data-base (1º de maio), entre outros itens. A proposta será levada à assembleia prevista para esta tarde na sede do Sindicato dos Metroviários, na zona leste da capital paulista. A avaliação é de que houve avanço na negociação – e, por isso, a greve iniciada à zero hora pode terminar ainda hoje.

Os trabalhadores estão demonstrando boa vontade em discutir uma proposta ridícula.

Nem mesmo os 6,17% (entre reposição e aumento real), que foram oferecidos hoje pelo Metrô, merecem respeito.

Aumento real??? Não me façam rir…

Os 6,17% também não cobrem a inflação!!

Culpar os trabalhadores pela paralização que castiga São Paulo é, no mínimo, uma grande covardia.

Quase tão grande quanto um governador que se vale de seu poder para achatar o salário dos trabalhadores.

Veja também:

Caras de pau!! Veja os 29 parlamentares brasileiros que defendem o trabalho escravo!!

São Paulo, a capital do ‘mundo cão’: Kassab ao retirar camelôs do centro, expulsa também deficientes físicos!!

Imagem: noticias.uol.com.br

Pelo jeito, o único aumento a que o cidadão tem direito, é o da tarifa.

Colocar mais trens na linha já não adianta.

Muito menos colocar mais passageiros no trem!

Na verdade, andar na linha 3 do Metrô é viajar pelo inferno.

Será que o paulistano merece começar um dia de trabalho dessa maneira?

Buscando um pouco de conforto, muitos acordam mais cedo e embarcam no sentido contrário 

Do UOL:

Passageiros aumentam, mas governo reduz em 20% investimentos na linha 3 do metrô de SP

 

17/05/2012

A cada dia mais lotada, a linha 3-vermelha do metrô de São Paulo, cenário da colisão entre dois trens na manhã de ontem (16), recebeu menos investimentos do governo do Estado na comparação entre os anos de 2010 e 2011.

De acordo com dados do próprio Metrô, no total, foram investidos na linha R$ 236 milhões no ano retrasado, contra R$ 188 milhões do ano passado –o que representa uma retração de 20,4%. No mesmo período, o número de passageiros transportados saltou de 329 milhões para 336 milhões –aumento de 1,91%.

A linha 3 é o principal meio de transporte da população que vive na zona leste, região mais populosa da capital, cortada ao meio pela malha metroviária. Por conta disso, a linha é a campeã no número de passageiros transportados entre todas as linhas da capital paulista, que tem o metrô mais lotado do mundo.

Comparar nosso metrô com o da Cidade do México (que tem quase a mesma idade) é uma covardia.

O metrô mexicano tem 11 linhas, 175 estações e 177 km de linhas. Bem à frente das nossas modestas 5 linhas,  64 estações e 74,3 quilômetros de linhas (clique aqui e aqui).

E olha que a Cidade do México não está localizada em um país considerado rico.

Nós só vencemos nossos irmãos latino-americanos em número de passageiros transportados (clique aqui).

Nesse quesito, somos campeões mundial!!

Um vergonhoso título ostentado pelos homens que logo farão vinte anos de governo…

Veja também:

Briga? Tumulto? Guerra? Não… É o Metrô de SP.

Metrô de SP é o mais lotado do mundo

Imagem: fatosetc.blogspot.com

O Detran tem sido encarado como problema pelo atual governo.

Afinal, o órgão saiu da Secretaria de Segurança, foi para a Secretaria de Gestão Pública e agora vai para a Secretaria do Planejamento (clique aqui).

Mas se tudo está correndo bem, por que tantas mudanças?

E, ao que parece, as mudanças ainda não deram resultado…

Da Band:

Detran: despachantes usam dados sigilosos

19 de março de 2012

Em entrevista ao repórter Agostinho Teixeira, profissional disse que cobra para retirar multas de motoristas infratores

Despachantes têm acesso a dados sigilosos sobre quem tem problemas com multas no Detran (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) e consultam os pontos no site, de acordo com denúncias de ouvintes feitas à Rádio Bandeirantes nesta segunda-feira.

Em entrevista ao repórter Agostinho Teixeira, um despachante que se identificou como “Santana” disse que consegue todos os dados das pessoas por meio do site do Detran. ” Pegamos os dados sigilosos e cobramos R$850 à vista, por exemplo, para retirar multas de infratores”.
Santana ainda afirma que no DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário) de São Paulo o processo de retirada é bem mais rápido. Esse despachante está localizado em São Miguel Paulista.

O coordenador do Detran, Daniel Annemberg, afirmou, também em entrevista à rádio, que é a primeira denúncia dessa natureza e promete apurar o ocorrido. ” Nosso portal é absolutamente seguro e nunca tivemos problemas. Os dados não vazam de forma alguma para outro lugar. Provavelmente, neste caso, a pessoa pode ter conseguido de outra forma”, defende-se.

Governo ainda não conseguiu resolver os problemas do Detran / Divulgação

Problema: O Detran deveria fazer parte da solução…

A maneira como a informação foi obtida, deve ser objeto de investigação.

Porém isso não muda um fato concreto.

A INFORMAÇÃO VAZOU!!

Se despachantes tem acesso a dados sigilosos e vendem facilidades, é porque contaram com o auxílio de alguém.

Alguém em condições de dar o acesso ou passar informações.

Isso é grave, e deve ser investigado.

Antigamente os policiais eram responsáveis pelos problemas do Detran/SP.

Agora podemos ver que o ‘buraco é mais embaixo’…

Nós pagamos as multas, que não são baratas.

Porém quem fiscaliza, se encontra em condições de fiscalizar?

Veja também:

Quando a ditadura fala mansinho: Não se enganem! Eles estão na sala de casa.

Cidadania é para todos!! Menos em Sao Paulo… Diretora de Kassab afirma em reunião: ‘Pra ser cidadão em São Paulo, tem que pagar’

O mesmo governo. A mesma história…

A história de dor e descaso no centro de São Paulo é antiga.

Pessoas sendo mortas diariamente.

Dolorosamente.

Há tempos, somos obrigados a ver o crime sendo cometido abertamente.

O tráfico ocorre, de forma ostensiva, já fazendo parte do cotidiano.

A Cracolândia já mudou de endereço (clique aqui).

Autoridades já a declararam extinta.

”Não existe mais a velha cracolândia deteriorada, a serviço da droga, a serviço do crime. Cada vez mais essa é uma página virada na história de São Paulo”, afirmou o prefeito Gilberto Kassab em outubro de 2007.

O tempo passou, Kassab foi reeleito (está aí desde 2004, quando chegou junto com Serra).

Já a segurança pública, está nas mãos do PSDB desde 1994, quando chegaram com Covas ao governo estadual.

Eles, que em tanto tempo pouco fizeram, agora fazem o quê?

Filme de terror: Ano após ano, verdadeiros "zumbis" vagam pelas ruas (vítimas do crack e do abandono)

Do UOL:

Em sete dias, operação prende 51 e apreende apenas meio quilo de crack em São Paulo

10/01/2012

Da Agência Brasil:

Defensoria Pública de São Paulo já coletou 32 denúncias de abuso em operação policial na cracolândia

11/01/2012

Do G1:

Juiz diz que ação na Cracolândia fez criação de posto voltar à estaca zero

11/01/2012

O desembargador Antonio Carlos Malheiros afirmou na tarde desta quarta-feira (11), na Câmara Municipal de São Paulo, que a ação policial na Cracolândia e a dispersão dos usuários de crack fizeram voltar à estaca zero o trabalho feito há cinco meses pela área de Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) de criação de um posto móvel para julgar com maior rapidez ações de internação compulsória.

O trabalho de combate ao tráfico é realizado com ações de inteligência policial.

Os grandes fornecedores devem ser identificados e detidos.

Uma ação rápida, além de ser política e oportunista, pune somente usuários e pequenos traficantes (que, geralmente, também são usuários).

O dependente precisa de amparo para superar suas crises (clique aqui e aqui).

A polícia deve trabalhar em conjunto com a assistência social.

Isso leva tempo e investimento.

Tempo, nossos governantes tiveram de sobra.

E investimento? Com mais de 31% do PIB do país (clique aqui), São Paulo não dá assistência adequada, mas não por falta de dinheiro…

Até quando veremos a incompetência e a truculência governando?

Até quando a Cracolândia fará parte do cotidiano em São Paulo?

Veja também:

Favela do Moinho: Falha em implosão custou R$ 3,5 milhões. E Kassab acha que foi um sucesso…

São Paulo: A “indústria das multas” chega à calçada. Enquanto isso, a Democracia vai para o buraco…

Imagem: missaonolar.blogspot.com