Archive for maio, 2015


Fúria Paulistana

Transito

As horas passam.

06:00, 07:00, 08:00h.

Passam

como carros

na nossa mente.

Mas, na nossa frente

Os carros

estão parados.

09:00, 10:00, 11:00h.

Estado crítico.

O sol implacável.

A cabeça

pobre cabeça

quase tão quente quanto o sol.

O garoto do rodízio

de talão cheio.

Quase tão cheio

quanto a nossa paciência.

Pacíência…

Difícil encontrar a essa hora.

E

o dia nem chegou na metade.

12:00, 13:00, 14:00h…

Hora do almoço.

Talvez sim.

Talvez um lanche.

Falta de tempo!!

15:00, 16:00, 17:00h

O dia corre.

Tenho que correr.

Correr

contra o tempo.

Correr

Contra tudo.

Filas intermináveis.

Incontáveis.

Nos bancos

no trânsito.

Vou de Metrô.

Surpresa!

Fila

No Metrô.

Não posso reclamar.

Tem fila

para isso.

Filas virtuais.

No telefone

quem atende

não é uma pessoa.

Devem estar

ocupadas.

Talvez

em outras filas.

Não posso reclamar.

Desisti.

18:00, 19:00, 20:00h

Caminho de volta.

Todos estão

nas ruas.

Parece uma festa.

Mas

não tem ninguém contente.

A cabeça

Pobre cabeça

Ela pesa demais.

Os carros

Como sempre

Parados.

Gostaria de estar

em casa

Mas

tudo parece tão longe…

Na verdade

tudo ficou para amanhã.

Veja também:

As sacolinhas e a natureza. Você perdeu? Mas e a natureza? Será que ganhou?

Oportunidades

 

Imagem: www.b32.com.br

Em São Paulo, foram tomadas medidas pela “presevação da natureza” pelos supermercados.

E as velhas sacolinhas foram banidas, dando lugar às chamadas sacolas biodegradáveis.

Para variar, a conta da “mudança ecológica” foi para o bolso do consumidor.

Os pequenos mercados ainda dão uma ou duas sacolinhas como cortesia ao cliente.

Já as grandes redes (que auferem lucros bem maiores) não movem um dedo por seu cliente.

Ou pelo meio ambiente.

E o meio ambiente?

Será que está sendo, realmente beneficiado pela medida “ecológica”?

O que colocamos nas sacolas biodegradáveis?

1 Garrafas PET. De refrigerantes, suco, água e outras bebidas.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO 450 ANOS.

https://tonigumauskas.files.wordpress.com/2012/06/garrafaspetnosrios.jpg?w=640

2 Latas de alumínio. De refrigerantes e cervejas.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO 200 a 500 ANOS.

3 Embalagens plásticas. Para macarrão, feijão, arroz, detergente, desinfetante, iogurte, etc.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO 450 ANOS.

3 Embalagens de vidro. Para azeitonas, palmito, champignon, doce de leite, etc.

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO ATÉ 1 MILHÃO DE ANOS.

Clique aqui e veja estes a mais outros exemplos do que é vendido nos supermercados.

Sobre as embalagens plásticas, o cenário pode ser até pior (clique aqui).

E os supermercados acham que trocando a sacolinha estão fazendo uma grande coisa?

Mas e os inúmeros produtos embalados em materiais altamente nocivos à natureza?

Produtos que são, diariamente vendidos nos supermercados?

Isso pode?

Será que, ao concordarmos com isso, não estamos passando um recibo de estupidez?

Vamos continuar pagando pela sacolinha e fechando os olhos para todo o resto?

Será que não é o momento de deixar de comprar nas grandes redes para prestigiar quem nos oferece a tal sacolinha?

Será que não é o momento de começar a cobrar quem produz embalagens poluentes?

Afinal, preservar a natureza se faz com ATITUDES CONCRETAS.

E não com medidas paliativas e imbecis…

Veja também:

Tenta Esquecer-me (Mário Quintana)

Dia do beijo? Uma grande bobagem…

Imagem:sosriosdobrasil.blogspot.com