Archive for fevereiro, 2013


Impopular: São Paulo teve prefeito, que se meteu com inspeção veicular e hoje corre o risco de perder eleição até para deputado.

Impopular: São Paulo teve prefeito, que se meteu com inspeção veicular e hoje corre o risco de perder eleição até para deputado.

Quando soube, não acreditei.

Vi a notícia sendo fartamente veiculada pela grande mídia (clique aqui, aqui e aqui).

Mas, para crer que era verdade, precisava ver o comunicado oficial.

E aqui está.

Do Portal da Prefeitura de São Paulo:

Prefeitura anuncia processos administrativos contra a Controlar

18 de Fevereiro de 2013

Projeto de Lei

O prefeito explicou que os procedimentos são fruto da análise feita do contrato e correrão paralelamente à proposta de mudanças na legislação referente à inspeção.

O prefeito apresentou os principais pontos do projeto de lei em reunião com líderes das bancadas da Câmara Municipal e, depois, a jornalistas.

Haddad afirmou que novas diretrizes serão fundamentadas em critérios técnicos, produzidos pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em estudo que será contratado pela Prefeitura. Para definir a periodicidade e o sistema de fiscalização serão avaliadas variáveis como a tecnologia utilizada nos motores e a composição dos combustíveis.

Entre as propostas apresentadas aos vereadores, está a devolução integral da taxa para os munícipes cujos veículos sejam aprovados na fiscalização. Esta medida, caso aprovada pela Câmara, já valeria para o exercício de 2013.

Outra novidade seria a possibilidade de exigir a inspeção de veículos licenciados em outros municípios que circulem mais de 120 dias por ano no território de São Paulo. O modelo de concessão atualmente utilizado também deverá ser revisto e provavelmente substituído pela contratação de empresas especializadas.

Para o prefeito, as mudanças poderão conter a perda de arrecadação tributária motivada pelo atual sistema de fiscalização. Segundo estudos da Secretaria Municipal de Finanças, há previsão de perdas de cerca de um bilhão de reais nos próximos anos no total arrecadado pelo IPVA, devido à migração para outras cidades do licenciamento dos veículos.

O prefeito explicou que a análise técnica desenvolvida no município pode subsidiar uma futura lei no âmbito estadual da inspeção veicular. Um dos principais problemas do modelo atual é a evasão de licenciamentos na região metropolitana para “fugir” da inspeção.

Bem diferente do que se viu na campanha eleitoral…

No video, Haddad é curto e grosso.

“Nós não aprovaremos nenhuma taxa e eu prometo acabar com a taxa da Controlar”

O projeto apresentado destoa da propaganda política.

Isso foi desnecessário. E infeliz.

O valor de R$ 47,44 cobrado pela inspeção veicular, é bem menor que o valor do IPVA.

Muitas pessoas que tem carros licenciados em outros municípios, não transferem para São Paulo pelo valor da taxa.

Na verdade, não transferem por achar a cobrança abusiva.

Mais uma cobrança no colo de quem já paga tanto e recebe tão pouco.

Parece difícil acreditar que vão transferir os veículos para São Paulo, depois de serem ameaçados.

Nem mesmo Kassab, em seus piores anos, chegou a juntar cobrança com ameaça.

O episódio será, sem dúvida, valiosa munição para a oposição demotucana em 2014.

Eles já devem estar comemorando o projeto de Haddad.

O homem que prometeu ACABAR COM A TAXA DA CONTROLAR, agora pretende cobrá-la de veículos de outros municípios.

Ora, se Haddad não pretendia acabar com a taxa de inspeção, mas MODIFICÁ-LA, deveria ter deixado bem claro em sua campanha eleitoral.

Agora corre o risco de, em pouco mais de um mês de governo, conseguir o que Serra conseguiu em uma trajetória política bem mais longa.

A fama de mentiroso.

E tudo por R$ 47,44…

Veja também:

“Apelação”: Serra aposta em eleitor sem memória e critica adversários que lembram que ele deixou o cargo…

Alckmin estuda romper convênio que dá acesso aos dados do Detran à Controlar: Kassab pode estar sendo isolado…

Imagem: jornalrapidix.com.br

Anúncios

Fica no seu lugar. De onde não deveria ter saido.

Um lugar onde, de preferência, não possa nem ser ouvido.

O povo, para certos grupos políticos e midiáticos, tem que se informar vendo futebol e novelas...

O povo, para certos grupos políticos e midiáticos, tem que se informar vendo futebol e novelas…

Esse é o pensamento daqueles que, em 1964 apoiaram o golpe (clique aqui e aqui).

Esse é o pensamento daqueles que queriam o impeachment de Lula (clique aqui).

Lula que, por duas vezes, foi eleito democraticamente e deixou a presidência sob aprovação popular recorde.

Para eles a vontade popular, manifesta através do voto, não tem o menor valor.

Eles que se esqueceram do mensalão de Eduardo Azeredo, ex-presidente nacional do PSDB, e massacraram os réus da AP 470.

São eles que usam o aumento de combustíveis, algo comum nos tempos de FHC (clique aqui) para atacar Dilma e minimizam a redução nas contas de luz, algo inédito.

Porém um país que destina mais da metade de suas despesas para programas sociais (clique aqui), não pode estar distante de povo.

E o povo sabe disso.

Tanto que, depois de perder em 2002, a oposição e a mídia perderam em 2006 e perderam em 2010.

Além de, em 2012, perderem a maior cidade brasileira.

A oposição e a mídia estão sentindo isso.

E precisam fazer alguma coisa para sobreviver.

Da Carta Maior:

Imprensa e toga: a tentação do golpe

03/2/2013

Não deve ser motivo de surpresa que os membros dos dois campos (midiático e jurídico) se vejam empenhados em mudar as regras formais do jogo político, inaugurando uma série de eventos dramáticos com o objetivo último de deslegitimar o governo eleito pelo povo.

O natural para a estrutura midiática é dominar opiniões, vontades e votos.
É a estrutura midiática capaz de fazer o povo votar em representantes das elites.
Fazer o povo votar contra o povo.
Porém, no momento em que isso deixa de ocorrer, torna-se necessária a adesão e o fortalecimento de uma estrutura auxiliar.
Foi o que ocorreu em 1964, quando o partido das elites (a UDN), unido com a estrutura midiática, já não conseguia dominar opiniões, vontades e votos.
Precisavam de uma estrutura auxiliar.
Os militares.
Só não contavam que os militares, de estrutura auxiliar, se tornaria a principal.
Agora, mais uma vez, a estrutura midiática não se mostra capaz de dominar opiniões, vontades e votos.
Não se mostra capaz de fazer o povo votar em representantes das elites.
E, mais uma vez, vemos o partido das elites, unido com a estrutura midiática, buscando uma estrutura auxiliar para exercer o seu domínio.
Porém, dessa vez, não buscarão amparo com os milicos.
Em pleno século XXI, isso seria inconcebível…
Então, já que não podem mais torturar e matar adversários, vão colocar sobre eles todo o peso da lei.
Mesmo que a lei já não represente mais a justiça (clique
aqui).
O julgamento da AP 470 deixou isso bem claro.
Quando as luzes da imprensa e da justiça focalizaram apenas o lado vermelho do valerioduto.
Deixando de lado os verdadeiros criadores do “mensalão” (clique
aqui).
Vão torturar e matar reputações. Vão cassar direitos políticos.
Afinal, eles conseguiram nova estrutura auxiliar.
A estrutura da toga…

Veja também:

Metade dos gastos de Dilma vai para programas sociais

Por que o mensalão de Azeredo foi desmembrado?

Dois pesos e dois mensalões – JANIO DE FREITAS

Imagem: historiabrasileira.com

Para quem tem pouca memória, é bom dar uma breve passada pelos tempos de Fernando Henrique Cardoso.

E olha que, naquele tempo, ninguém sequer pensava em falar em redução nas tarifas de energia.

O PSDB "cuidando" do petróleo brasileiro... Lembram como era?

O PSDB “cuidando” do petróleo brasileiro… Lembram como era?

Da Veja:

Dinheiro fácil

Para fazer caixa, o governo aumenta
o preço da gasolina nas refinarias

09/12/1998

O motorista recebeu uma ferroada na boca do tanque na última sexta-feira. O governo autorizou as refinarias de petróleo a aumentar o preço dos combustíveis, as distribuidoras e os postos repassaram o aumento, e o resultado é que o litro da gasolina poderá ficar entre 6% e 8% mais caro. Quem não tem carro, da mesma forma, pode sentir alguma dor. O gás de cozinha também subiu. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, FGV, a inflação pode subir até 0,30 ponto porcentual em dezembro só por causa desse aumento. A gasolina é uma das charadas mais antigas e inquebráveis da economia brasileira. Em 1990, o barril de petróleo custava 28 dólares no mercado internacional — enquanto a gasolina valia o equivalente a 84 centavos de real. O preço do petróleo despencou. Custa agora 11 dólares o barril. O brasileiro não se beneficiou com a redução. Pagava na semana passada cerca de 80 centavos de real por litro. E agora deverá pagar ainda mais.

O aumento da semana passada faz parte do esforço governamental para arrecadar mais dinheiro, de forma a cobrir seus rombos. Se a gasolina fica mais cara, calcula Brasília, cresce a receita nos impostos cobrados sobre o combustível.

Aumentar combustíveis para cobrir rombos…

Bem diferente do que ocorre agora, quando a Petrobras libera reajustes com valores abaixo do esperado pelo mercado (clique aqui).

Bem diferente do tempo de FHC, quando tinha reajuste de combustível para cobrir rombo no governo.

Realmente, a oposição está cheia de moral para criticar o governo Dilma.

Veja também:

P36: Ato terrorista!! Ou simplesmente cagada… (part.01)

P36: Ato terrorista!! Ou simplesmente cagada… (part.02)

P36: Ato terrorista!! Ou simplesmente cagada… (part.final)

Imagem: loupigaroupi.zip.net