Alckmin já havia causado polêmica, ao aparecer junto com Ney Santos, ex-presidiário e ligado a organização criminosa PCC.

Ao que parece, eles combinaram o discurso.

Primeiro o governador.

Da Folha:

‘Quem não reagiu está vivo’, disse Alckmin sobre confronto da Rota

12/09/2012

Agora o bandido.

Do Terra:

‘Tá vendo o que dá reagir’, diz suspeito de matar garota em SP

22/10/2012

As frases parecem até que foram ditas pela mesma pessoa.

Parecem, mas não foram.

Não foram ditas pela mesma pessoa, mas se pode perceber a perfeita sintonia entre eles.

Sintonia que falta entre governo e polícia.

A falta de investimento em inteligência policial, a falta de um plano de valorização profissional para homens que arriscam suas vidas, buscando oferecer um pouco mais de segurança para a sociedade.

Diante da inércia do governo, podemos ver em São Paulo, policiais sendo literalmente caçados por criminosos.

Neste ano, já temos um aumento de mais de 40% de policiais assassinados (clique aqui).

E o número de baixas só faz aumentar.

No mês passado.

Mais de 70 policiais foram mortos em SP em 2012

Nesse mês.
Sobe para 81 o número de policiais mortos em São Paulo

Se nem sequer os policiais conseguem ter segurança, o que dizer do cidadão comum?

Cidadão que paga um preço altíssimo e não recebe retorno dos impostos pagos.

Até quando veremos o crescimento do crime e da sensação de insegurança em São Paulo?

Veja também:

Ladrões matam garota de 15 anos e debocham

Candidato da coligação demotucana é acusado de envolvimento com o PCC

Suspeito de elo com PCC movimenta R$ 6 mi por mês

Imagem: osamigosdopresidentelula.blogspot.com