Candidato que se diz “democrata”, precisa aprender a conviver com pergunta difícil.

Em 2010 os questionamentos sobre os caríssimos pedágios cobrados pelo governador que acabava de deixar o cargo para disputar as eleições presidenciais, acabaram custando a cabeça de dois consagrados jornalistas da TV Cultura.

Heródoto Barbeiro e Gabriel Priolli.

Ex-diretor de jornalismo da TV Cultura, o jornalista Gabriel Priolli foi demitido, Priolli havia preparado uma reportagem sobre os pedágios nas rodovias paulistas – tema que incomoda o ex-governador José Serra (clique aqui).
Sobre as razões da demissão de Heródoto, veja o video onde o jornalista entrevista Jose Serra, pouco antes de sua demissão.

Agora, ao que parece, mais uma cabeça de jornalista pode estar indo para a ‘guilhotina’.

Do Terra:

Serra discute com jornalista sobre kit anti-homofobia

16/10/2012

Em entrevista à rádio CBN na manhã desta terça-feira, o candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo no 2º turno, José Serra entrou em conflito com jornalista Kennedy Alencar que o questionou sobre o kit anti-homofobia do Estado de São Paulo.

Serra foi questionado pelo jornalista Kennedy Alencar sobre o kit anti-homofobia do Estado de São Paulo e o apoio de lideres conservadores como o Pastor Silas Malafaia. Em contrapartida, o tucano perguntou a Kennedy se ele havia lido o material. Enquanto o jornalista respondia que leu a cartilha e que viu semelhanças entre o material do governo federal, chamado pejorativamente de ‘kit gay’, e do governo estadual. Serra ainda continuou questionando. “Kennedy, fala a verdade. Você leu a cartilha inteira? Não leu, Kennedy”, afirmou o candidato.

Em resposta, o jornalista afirmou que fez uma pergunta objetiva ao tucano. Cortando sequencialmente o jornalista, Serra ainda afirmou: “faz favor, seja educado e ouça o que eu estou falando”. “Você está falando de uma cartilha que você não leu. Leia e você vai ver que são coisas muito diferentes”, completou. O candidato do PSDB ainda afirmou que a pergunta do jornalista “envolve uma mentira”, por considerar que as cartilhas “são completamente diferentes”. Por fim ele afirmou que o jornalista teria outra preferência política. “Eu sei que você tem suas preferências políticas, modere-se Kennedy, você está na CBN. Não pode fazer campanha eleitoral aqui na CBN.

Segundo o candidato tucano, a cartilha do MEC incentiva o bissexualismo.

Apesar de discordar radicalmente da opinião de Serra, apesar do espanto de ver argumentação tão estúpida…

Sua opinião deve ser respeitada.

É dessa maneira que se faz DEMOCRACIA.

E José Serra fez exatamente o oposto disto.

O candidato cortou o jornalista e o chamou de mentiroso (pois afirmou que ele não leu a cartilha, mesmo após ter ouvido do jornalista que ele havia lido).

A falta de respeito e de educação é característica de quem não tem o que dizer.

É coisa de ditador!

Para fazer tão grotesco papel, seria melhor que Serra tivesse ficado calado.

Seria melhor que tivesse ficado em casa.

Veja também:

Carlinhos Cachoeira e a justiça brasileira: Estão querendo soltá-lo…

Gráfica da Folha de São Paulo que vazou ENEM é condenada pela Justiça: E aí? Serra vai colocar no horário eleitoral?