Sobre as falhas do ENEM, será que Serra vai atacar seus ‘amigos’ da Folha?

Ou será que continuará fazendo acusações mentirosas e covardes…

Sobre educação, ver Jose Serra falar no assunto, chega a dar calafrios.

Ainda mais se quem estiver ouvindo for professor.

Com Serra governador, não houve políticas de valorização salarial ao professor (clique aqui).

E com relação ao tratamento dado ao docente, descontente com as condições de trabalho e salário, no governo Serra as tratativas foram todas feitas com a PM (clique aqui, aqui e aqui).

Um pouco do tratamento dado por Serra aos professores: Se pudesse, ele também levaria a PM ao debate…

Quem apóia Serra, deve gostar de ver milhões de analfabetos funcionais sendo formados com a progressão continuada (clique aqui).

Analfabetos que acreditarão na primeira mentira veiculada na imprensa.

Ou no horário eleitoral.

Do Estadão:

Campanha tucana usa falhas do Enem contra Haddad

10 /10/2012

Em 2009, primeiro ano em que foi ampliado para funcionar como processo seletivo das universidades federais, o exame vazou, foi cancelado e adiado pelo Ministério da Educação – o caso foi revelado pelo Estado. Em alguns locais, estudantes fizeram manifestações contra a prova.

A equipe de Serra escalou a juventude do PSDB para protagonizar a ofensiva contra o Enem. Eles visitaram universidades públicas e particulares nos últimos dias para recrutar estudantes interessados em fazer críticas públicas ao exame e ao candidato.

Agora a verdade.

Do Sul 21:

Gráfica da Folha de São Paulo que vazou ENEM é condenada pela Justiça a indenizar o Governo

15/10/2012

A Justiça Federal determinou que o consórcio formado pela gráfica Plural do grupo Folha, que edita o jornal Folha de São Paulo, terá que pagar ao governo R$ 73,4 milhões, em função do vazamento da prova do ENEM em 2009.

O valor deverá ser pago ao INEP (Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais).

Em setembro de 2009, o circuito de segurança da gráfica registrou o momento em que um funcionário saía do local com exemplares do caderno dois da prova do Enem debaixo da blusa. Depois ele tentou vender as provas para tevês e jornais.

Ainda falando em educação, Serra deveria ser o último a dar lições de moral.

O reitor da USP, João Grandino Rodas, foi escolhido por Serra, apesar de ter sido o perdedor na eleição democrática para o cargo (clique aqui).

A última vez que ocorreu uma intervençao do governo do estado na universidade, foi em 1981, durante a ditadura militar.

Essa é a idéia de democracia do Serra.

O resultado disso é um reitor sem apoio de alunos e funcionários e que precisa se impor através do medo (clique aqui).

Do medo e da falta de informação.

Quem precisa disso para alcançar seus objetivos, é porque não merece alcançá-los.

Veja também:

Confundido com professor, policial é torturado pela PM de Serra

Do Rodoanel ao desmoronamento do Metrô: Enquanto petistas são crucificados, ninguém mais fala das vidas que se perderam nas obras de Serra

Imagem: viomundo.com.br