R$ 1,4 bilhão!!
Sem licitação!!
E saiu do seu bolso, caro contribuinte.
O curioso é que o golpe (extratosféricamente maior que o chamado “mensalão do PT”) não gerou indignação no país…
Foi há dez anos, o presidente brasileiro ainda era o tucano FHC.

tucano alckmin ladrão

Da Folha:

Sem conclusão, CPI do Sivam termina hoje

28/05/2002

O primeiro grande escândalo do governo Fernando Henrique Cardoso, que derrubou um ministro e dois assessores presidenciais, dá seus últimos suspiros. O enterro está marcado para hoje, data da última sessão da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Sivam, instalada para apurar acusações de corrupção e tráfico de influência no contrato de US$ 1,4 bilhão para a criação do Sistema de Vigilância da Amazônia.
“Fizemos um serviço de Sherlock Holmes. Procuramos, procuramos, mas não achamos nada de novo”, declarou o deputado Confúcio Moura (PMDB-RO), relator da comissão.
Em suas conclusões, Moura limitou-se a encaminhar cópia de seu trabalho -um resumo de informações requentadas- ao Ministério Público Federal, que acompanha o caso desde 96 e não denunciou ninguém.
“O governo usou sua maioria e conseguiu mais uma vez abafar esse escândalo”, declarou o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), responsável pelo requerimento que, em 1996, aprovou a instalação da CPI.

Quem hoje acusa o PT, há dez anos tratava de jogar a sujeira debaixo do tapete.

E com a ajuda de sua bancada aliada.

Continuando…

O escândalo do Sivam estourou em 1995, com o vazamento de gravações, feitas pela Polícia Federal, de conversas entre o embaixador Júlio César Gomes dos Santos e o empresário José Afonso Assumpção. Nos diálogos gravados, ambos defendiam os interesses da empresa americana Raytheon, que arrematou, sem licitação, o contrato de US$ 1,4 bilhão do Sivam.

R$ 1,4 bilhão. Quase dez vezes o que Roberto Gurgel, Procurador Geral da República, alega que o PT tenha pago no chamado “mensalão” (clique aqui).

Continuando…

As suspeitas sobre irregularidades no Sivam começaram antes mesmo do grampo da PF. A empresa Esca, selecionada também sem licitação para gerir a rede de softwares do Sivam, fraudou guias de recolhimento do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Afastada do projeto, a Esca faliu logo depois. Mas seus funcionários formaram uma outra companhia, a Atech, e voltaram a integrar o Sivam.
“A Atech, nacional, foi contratada sem licitação por uma questão de segurança, porque é ela quem vai centralizar as informações colhidas pelos equipamentos. Essa CPI não poderia acabar sem conhecermos as verdadeiras relações dessa empresa com a americana Raytheon”, declarou o deputado Chinaglia, que por duas vezes tentou prorrogar os trabalhos da comissão, mas não conseguiu por falta de quórum na sessão.
O fato é que a CPI, esvaziada, não investigou nada relacionado a empresas, sob o argumento de que o Ministério Público e o Tribunal de Contas da União já haviam feito esse trabalho -apesar dessa atuação ainda não ter gerado nenhuma consequência prática para os personagens envolvidos no caso.

Agora vemos a mesma mídia, que foi tão compreensiva e permissiva com o governo FHC .

Que também costuma ser compreensiva e permissiva com governos tucanos, como o de SP (envolvido em escândalos monstruosos como o da

CDHU e o da Alstom).

Mas esses não aparecem no Jornal Nacional…

Gritar por justiça é muito bom.

Desde que a justiça seja PARA TODOS!!

Veja também:

Corrupção no Brasil: Quem fala a verdade? Os números ou a grande mídia?

Governador Alckmin impede investigação sobre corrupção em São Paulo

Alckmin proíbe ações do Estado contra amigo de Covas

Imagem: geraldoalckminpsdb.blogspot.com

Anúncios