Política não se faz com diálogo?

E, dessa forma, democrática, se definem soluções para os problemas de nosso município, nosso estado.

Para os problemas de nosso país.

Pois existem políticos que pensam de forma bem diferente.

Do Portal iG:

Ao reconhecer dificuldade com diplomacia de composição, Soninha afirma: “ prefiro o estilo Serra grosso de ser”

24/04/2012

Em meio a problemas para conquistar aliados para sua futura campanha, Soninha Francine (PPS) afirmou ter dificuldades para conduzir os diálogos de composição.

A pré-candidata do PPS disse não gostar muito “da parte diplomática” do processo de aliança, “de ter de falar algo em que não acredita só para não deixar a conversa morrer”.

Questionada a respeito da necessidade de diplomacia para poder governar, Soninha fez uma referência curiosa ao tucano José Serra.

– Precisa (ser diplomática), mas é diferente porque aí existe autoridade concedida. Nessa hora, prefiro o estilo Serra grosso de ser. É melhor do que ficar dando tapinha nas costas ou prometendo avaliar, encaminhar para assessor. A diferença entre mim e ele é que ele tem menos paciência do que eu para ouvir – declarou ela.

O estilo Serra foi visto, quando o então governador não negociou com seu funcionalismo.

Mas, em seu lugar, enviou a PM para negociar.

Também foi visto há pouco, quando simplesmente atropelou os demais candidatos que, seguindo as regras, disputavam a candidatura tucana à prefeitura.

Mas Serra não seguiu as regras.

Não foi Serra que provocou o adiamento das prévias de seu partido? (clique aqui)

Não foi Serra que, ao descumprir as regras de seu próprio partido, provocou sua ruptura? (clique aqui)

Dos cerca de 20 mil filiados ao partido na cidade, participaram da votação apenas 6.229 (clique aqui)

E, desse pequeno número, 47,9% não escolheram Serra.

Veja também:

Serra racha PSDB ao meio

Imparcialidade na informação: Veja cede seu editor para integrar a campanha de Serra

Imagem:amoralnato.blogspot.com

Anúncios