Enquanto isso, continuamos a levar nossa sacolinha ao mercado.

Pensamos, com isso, estar contribuindo com o meio ambiente.

A coleta seletiva da prefeitura, mostra o quanto se importam com a natureza (clique aqui e aqui).

Mostra também o quanto se importam com quem trabalha.

Veja abaixo artigo do Movimento Nacionais dos Catadores de Recicláveis.

Do MNCR:

Prefeitura de São Paulo proíbe doação de reciclável a catadores

registrado em: Sudeste, direitos humanos

Prefeitura não tem política de inclusão social e geração de trabalho

Prefeitura de São Paulo proíbe doação de reciclável a catadores

No início do mês de março, fiscais da Prefeitura de São Paulo percorreram lojas da Rua 25 de Março com ameaçade multa de R$ 11.000 aos comerciantes que doarem material aos catadores.

Ao que tudo indica a prefeitura tem como referência a Lei nº 14.973/2009 e o Decreto nº 51.907, que responsabilizam os grandes geradores de resíduos pela reciclagem, dispositivo legal que impediria o trabalho dos catadores. Por essa lei, estabelecimentos comerciais e instituições que produzem mais de200 litros de lixo por dia ou condomínios com mais de 1.000 devem contratar empresa para coletar os resíduos e pagar pelo serviço.

Esta lei não proíbe a doação de material aos catadores, mas o decreto diz que só as empresas autorizadas com lista publicada no site da prefeitura podem realizar o serviço; nessa lista não há nenhuma cooperativa de catadores mencionada.

Por outro lado, na cidade de São Paulo, apenas 20 cooperativas de catadores têm parceria com a prefeitura para trabalhar no Programa de Coleta Seletiva, que significa quantidadeinsuficiente para atender toda a cidade. Outros 90 grupos de catadores trabalham demaneira organizada, mas em péssimas condições, sem infraestrutura e sem parceria com o poder público. Dessa forma, arcam com todos os custos operacionais da coleta, como aluguéis, combustível, e outras despesas.

Outros 16 mil catadores trabalham de maneira individual pelas ruas da cidade com carroças e são obrigados a vender seus materiais a sucateiros a preços irrisórios. A falta de apoio aodesenvolvimento da atividade de catação têm tornado inviável a organização dos catadores e as leis têm, progressivamente, excluído ainda mais esses trabalhadores do processo departicipação efetiva na cadeia produtiva.

A natureza está sendo destruída.

Todos os dias.

Todos o tempo.

De forma implacável.

O prefeito, que já sujeriu que cidadãos se mudem (clique aqui), ao invés de trabalhar para solucionar problemas, mostra que está cada vez mais distante do povo que o elegeu.

Veja também:

A educação na lata do lixo: São Paulo descarta livros novos

Cidadania é para todos!! Menos em Sao Paulo… Diretora de Kassab afirma em reunião: ‘Pra ser cidadão em São Paulo, tem que pagar’

Anúncios