Archive for março, 2012


Se estão pagando promessa, dá até para imaginar o que pediram…

Uma notícia envolvendo alguém ligado ao governo, ganha matéria de capa.

Porém, o senador Demóstenes ficou relegado a um pedacinho da orelha da capa.

Na matéria a revista tenta mostrar que é isenta.

Como se isso fosse possível.

Do Luis Nassif Online:

Esqueçam Policarpo: o chefe é Roberto Civita

31/03/2012

Veja se antecipou aos críticos e divulgou um dos grampos da Policia Federal em que o bicheiro Carlinhos Cachoeira e o araponga Jairo falam sobre Policarpo. Pinça uma frase – “o Policarpo nunca vai ser nosso” – para mostrar a suposta isenção do diretor da Veja em relação ao grupo.

É uma obviedade que em nada refresca a situação da Veja. Policarpo realmente não era de Carlinhos Cachoeira. Ele respondia ao comando de Roberto Civita. E, nessa condição, estabeleceu o elo de uma associação criminosa entre Cachoeira e a Veja.

Não haverá como fugir da imputação de associação criminosa. E nem se tente crucificar Policarpo ou o araponga Jairo ou esse tal de Dadá. O pacto se dá entre chefias – no caso, Roberto Civita, pela Abril, Cachoeira, por seu grupo.

Como diz Cachoeira, “quando eu falo pra você é porque tem que trabalhar em grupo. Tudo o que for, se ele pedir alguma informação, você tem que passar pra mim as informações, uai”.

O dialogo mostra apenas arrufos entre subordinados – Jairo e Policarpo.

Os seguintes elementos comprovam a associação criminosa:

  1. Havia um modus operandi claro. Cachoeira elegeu Demóstenes. Veja o alçou à condição de grande líder politico. E Demóstenes se valeu dessa condição – proporcionada pela revista – para atuar em favor dos dois grupos.
  2. Para Cachoeira fazia trabalho de lobby, conforme amplamente demonstrado pelas gravações até agora divulgadas.
  3. Para a Veja fazia o trabalho de avalizar as denúncias levantadas por Cachoeira.

Havia um ganho objetivo para todos os lados:

  1. Cachoeira conseguia afastar adversários, blindar-se contra denúncias e intimidar o setor público, graças ao poder de que dispunha de escandalizar qualquer fato através da Veja.
  2. A revista ganhava tiragem, impunha temor e montava jogadas políticas. O ritmo frenético de denúncias – falsas, semi-falsas ou verdadeiras – conferiu-lhe a liderança do modelo de cartelização da mídia nos últimos anos. Esse poder traz ganhos diretos e indiretos. Intimida todos, anunciantes, intimida órgãos do governo com os quais trabalha.
  3. O maior exemplo do uso criminoso desse poder está na Satiagraha, nos ataques e dossiês produzidos pela revista para atacar Ministro do STJ que votou contra Daniel Dantas e jornalistas que ousaram denunciar suas manobras.

Em “O caso de Veja”, no capítulo “O repórter e o araponga” narro detalhadamente – com base em documentos oficiais – como a cumplicidade entre as duas organizações permitiu a Cachoeira expulsar um esquema rival dos Correios e se apossar da estrutura de corrupção, até ser desmantelado pela Polícia Federal. E mostra como a Veja o poupou, quando a PF explodiu com o esquema.

Civita nem poderá alegar desconhecimento desse ganho de Cachoeira porque a série me rende cinco ações judiciais por parte da Abril – sinal de que leu a série detalhamente.

Os próprios diálogos divulgados agora pela Veja mostram como se dava o acordo:

Cachoeira: Esse cara aí não vai fazer favor pra você nunca isoladamente, sabe? A gente tem que trabalhar com ele em grupo. Porque os grande furos do Policarpo fomos nós que demos, rapaz. Todos eles fomos nós que demos. Então é o seguinte: se não tiver um líder e a gente trabalhar em conjunto… Ele pediu uma coisa? Você pega uma fita dessa aí e ao invés de entregar pra ele fala: “Tá aqui, ó, ele tá pedindo, como é que a gente faz?”. Entendeu?

Desde 2008 – quando escrevi o capítulo – sabia-se dessa trama criminosa entre a revista e o bicheiro. Ao defender Policarpo, a revista, no fundo, está transformando-o em boi de piranha: o avalista do acordo não é ele, é Roberto Civita.

Em Londres, a justiça processou o jornal de Rupert Murdoch por associação indevida com fontes policiais para a obtenção de matérias sensacionalistas. Aqui, Civita se associou ao crime organizado.

Se a Justiça e o Ministério Público não tiverem coragem de ir a fundo nessa investigação, sugiro que tranquem o Brasil e entreguem a chave a Civita e a Cachoeira.

Depois dessa, o que podemos dizer?

Veja também:

Comemoração de 31 de março: Um país que cultua torturadores e assassinos merece ser considerado sério??

Presidente do DEM chama denúncia de sociedade entre bicheiro e Demóstenes de “fase ruim”… E você? Chama do quê??

Para quem não sabe, 31 de março marca o Golpe de Estado no Brasil em 1964.

Ou seja, há 48 anos atrás, o cidadão perdeu o direito de escolher seus governantes.

Perdeu, até mesmo, o direito de reclamar por seus direitos.

Quem reclamou foi perseguido, torturado…

Foi covardemente assassinado (clique aqui).

Vladimir Herzog – Jornalista da TV Cultura de SP, suicidado pela ditadura militar

Do BLOG DO SAKAMOTO:

30.03.2012

O 31 de Março deveria ser feriado nacional

Deveríamos transformar o 31 de Março em feriado nacional. Talvez assim possamos garantir que esse dia nunca seja encarado por nós e, principalmente, pelas gerações que virão como um grande Primeiro de Abril, como se o golpe de 1964 nunca tivesse existido.

Cicatriz que não deveria ser escondida mas permanecer como algo incômodo, à vista de todos, funcionando como um lembrete. Não vivemos três décadas de piada, apesar da elite militar e parte da elite econômica do país terem rido muito às custas de quem pedia liberdade e democracia nos Anos de Chumbo.

Pouco me importa o que pensam os verde-oliva da reserva que tomam seu uísque nos Clubes Militares enquanto, saudosos, lançam confetes ao Dia da Revolução (sic). Demonstrações de afeto a um período autoritário são peça de museu, então que fiquem, democraticamente, com quem faz parte do passado. Mas eles precisam saber que, desta vez, a História não vai ficar com a versão dos golpistas. E que o mundo que eles ajudaram a construir, mais cedo ou mais tarde, vai embora com eles. Não por vingança, mas por Justiça.

Em nome de uma suposta estabilidade institucional, o passado não resolvido permanece nos assombrando. Seja através de um olhar perdido da mãe de um amigo que, da janela, permanece a esperar o marido que jaz no fundo do mar, lançado de helicóptero. Seja adotando os métodos desenvolvidos por eles para garantir a ordem e o progresso.

Durante a ditadura, os militares armaram uma farsa para encobrir o assassinato do jornalista Vladimir Herzog. A explicação trazida à público, de suicídio na cela, não convenceu e a morte de Vlado tornou-se símbolo na luta contra o regime. Mas fez escola.

Tempos atrás, aqui em São Paulo, um homem de 39 anos foi encontrado enforcado pouco mais de duas horas depois de ter sido preso. Supostamente, era traficante e transportava cocaína. Supostamente, teria se enforcado usando um cadarço de sapato. Questionado por jornalistas se não é praxe da polícia retirar os cadarços de sapatos de presos, um policial afirmou que o acusado usou um pedaço de papelão para arrastar um cadarço que estava fora da cela. Seria cômica se não fosse ofensiva uma justificativa dessas.

Como aqui já disse, o impacto de não resolvermos o nosso passado se faz sentir no dia-a-dia dos distritos policiais, nas salas de interrogatórios, nas periferias das grandes cidades, em manifestações, nos grotões da zona rural, com o Estado aterrorizando ou reprimindo parte da população (normalmente mais pobre) com a anuência da outra parte (quase sempre mais rica). A verdade é que não queremos olhar para o retrovisor não por ele mostrar o que está lá atrás, mas por nos revelar qual a nossa cara hoje.

Lembrar é fundamental para que não deixemos certas coisas acontecerem novamente. Que o governo tenha a decência de instalar urgentemente a Comissão da Verdade que, mesmo esvaziada na versão em que foi aprovada, trará um pouco de luz às trevas. Que o Supremo Tribunal Federal considere que crimes contra a humanidade, como a tortura, não podem ser anistiados, nunca. Que a história dos assassinatos sob responsabilidade da ditadura seja conhecida e contada nas escolas até entrar nos ossos e vísceras de nossas crianças e adolescentes a fim de que nunca esqueçam que a liberdade do qual desfrutam não foi de mão beijada.

Mas custou o sangue, a carne e a saudade de muita gente.

Cinco generais foram empossados presidentes, porém não foram eleitos.

Dar a presidência de um país para alguém que o tomou à força, é o mesmo que dar em casamento uma criança que acabou de ser estuprada (clique aqui).

E ainda tem gente que chama o golpe de “Revolução Democrática” (clique aqui).

E você? Chama de quê?

Veja também:

Tudo gente boa: Colega de Kassab será julgado por trabalho escravo

DIADELUTO

Imagem: blogln.ning.com

João Lyra não é um membro qualquer do PSD.

Ele é presidente do PSD em Alagoas!!

O político do PSD de Kassab foi flagrado em 2008, submetendo 53 trabalhadores à escravidão.

E, apesar de tudo, foi eleito deputado federal em 2010.

Do Terra:

STF julgará deputado mais rico do País por trabalho escravo

29 de março de 2012

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por seis votos a quatro, abrir ação penal contra o deputado federal João Lyra (PSD-AL), acusado de submeter trabalhadores a regime escravo em uma de suas usinas de cana-de-açúcar em Alagoas. Caso seja condenado, o deputado pode ficar de dois a oito anos preso. De acordo com informações declaradas à Justiça Eleitoral, João Lyra é o deputado federal mais rico do País, com uma fortuna pessoal avaliada em R$ 240,39 milhões.

A denúncia foi formulada pela Procuradoria-Geral da República a partir de um flagrante realizado entre os dias 20 e 26 de fevereiro de 2008 pelos integrantes do Grupo Móvel de Combate ao Trabalho Escravo, do Ministério do Trabalho. De acordo com o processo, foram detectadas mais de 40 irregularidades trabalhistas nos canaviais e na sede da usina Laginha Agroindustrial, uma das empresas do Grupo João Lyra, no município de União dos Palmares.

De acordo com a denúncia, 53 trabalhadores foram submetidos a condições análogas à escravidão. No alojamento não havia janelas, mas buracos que não permitiam ventilação adequada. Em vez de colchões, os trabalhadores recebiam pedaços de espuma com espessura entre cinco e dez centímetros.

O grupo do Ministério do Trabalho também afirmou que não eram oferecidas instalações sanitárias, e os ônibus utilizados para o transporte ofereciam risco de vida. Além disso, os trabalhadores exerciam carga acima de seis horas extras diariamente sem receber qualquer adicional.

Nem todo partido tem imagem de futuro…

O compromisso de um parlamentar deveria ser o de representar o cidadão.

Deveria ser o de melhorar sua condição de vida.

Porém, qual compromisso assumiu João Lyra?

E o PSD? Um partido que tem tal figura por presidente, qual mensagem passa ao eleitor?

Só de pensar, dá medo…

Veja também:

O DEM pede que a PGR aponte culpados no caso Demóstenes/Cachoeira, mas e se o acusado fosse do PT??

Presidente do DEM chama denúncia de sociedade entre bicheiro e Demóstenes de “fase ruim”… E você? Chama do quê??

Imagem: historiaonlinecefs.zip.net

Daí não precisa justiça.

Não precisa Procuradoria Geral…

Bastam a Globo, a Veja, a Folha, o Estadão e outros “veiculos da informação”, que podem “apontar culpados e esculhambar à vontade…

Nossos veículos midiáticos são poderosos, mas são isentos??

Do Terra:

Novo líder do DEM, Agripino pede que PGR aponte culpa e culpados

27 de março de 2012

O presidente do Democratas, senador Agripino Maia (RN), assumiu a liderança do partido no Senado, nesta terça-feira, substituindo o senador Demóstenes Torres. Envolvido em suposta associação com o contraventor Carlinhos Cachoeira, preso recentemente acusado de chefiar uma quadrilha de exploração de jogos ilegais em Goiás, Demóstenes foi pressionado a deixar o cargo de líder nesta manhã no Senado.

Agripino Maia voltou a cobrar que a Procuradoria Geral da República aponte os fatos para reduzir o clima de desconforto entre senadores. “É preciso identificar claramente culpa e culpados, para que não fique perante a opinião pública a suspeita sem causa definida”, disse.

Ao dizer que o partido não fará julgamento nem defesa antecipada, Maia ressaltou que, caso as investigações apontem que Demóstenes faltou com a ética, o partido será firme. “A história do partido demonstra claramente que não convivemos com fatos aéticos. O partido tem tradição e história a zelar e o fará”, finalizou.

Parece sensato não fazer julgamento nem defesa antecipada porém, ao julgar e condenar ministros do governo Dilma, que não foram judicialmente condenados (clique aqui), não houve sensatez.

Houve oportunismo.

Também não houve sensatez ao veicularem o escândalo do mensalão, sem apresentarem provas contundentes.

O escândalo foi fartamente veiculado, porém Roberto Jefferson admitindo a inexistência do mensalão foi mostrado de forma bem discreta (clique aqui).

Falar que o partido não fará julgamento nem defesa antecipada, quando o acusado pertence ao partido, parece fácil…

Até quando o interesse pessoal estará à frente do coletivo?

Até quando seremos reféns da covardia e da mentira??

Veja também:

Presidente do DEM chama denúncia de sociedade entre bicheiro e Demóstenes de “fase ruim”… E você? Chama do quê??

Precatórios: A justiça é rápida e implacável, quando quem deve é você. Mas e quando você é o credor??

Imagem: Bessinha em http://tudo-em-cima.blogspot.com.br

Infeliz. É o mínimo que se pode dizer da afirmação do senador Agripino Maia, presidente do Democratas, a respeito das denúncias contra seu colega de partido Demóstenes Torres.

“Fase ruim”, foi o que afirmou.

“Fase ruim”quer dizer que o fato de Demóstenes Torres ter se associado a Carlinhos Cachoeira, suspeito de chefiar a exploração ilegal de jogos em Goiás não é, para o presidente da legenda, falha de conduta.

É, na verdade, uma tremenda falta de sorte, visto que o fato tornou-se um escândalo.

E se não tivessem descoberto?

Seria “fase boa”??

Agripino e Demóstenes

Do Terra:

Demóstenes passa por ‘uma fase ruim’, diz presidente do DEM

27 de março de 2012

O presidente do Democratas, senador Agripino Maia (RN), afirmou na tarde desta terça-feira que o colega de bancada, Demóstenes Torres (GO) “está passando por uma fase ruim”. Acuado pela própria legenda, que o pressiona para que se explique sobre sua ligação com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, o senador goiano pediu hoje afastamento da liderança do DEM no Senado. As informações são da Agência Senado.

A possível expulsão do senador goiano dos quadros do DEM (clique aqui), não aplaca o mal estar criado, com relação a sigla.

Sigla que amarga profunda queda de credibilidade junto ao eleitor. Tanto que segue encolhendo dramaticamente ao longo dos anos (clique aqui).

E, se seus representantes continuarem tendo “fases ruins”? Será que o partido voltará a crescer?

Acho difícil…

Veja também:

Revista diz que Demóstenes Torres teria faturado R$ 50 mi ao associar-se com bicheiro

Sem renovação: O PSDB vai disputar a prefeitura de São Paulo com a mesma cara…

Imagem: robsonpiresxerife.com

A cara de pau!!

Cara de pau de quem, em 2004, mentiu descaradamente ao eleitor paulistano.

Serra deu a palavra de que seguiria como prefeito até o final do mandato.

Mentiu, e considerou a mentira uma coisa sem importância.

Tanto que há alguns dias qualificou o documento que assinou como “um papelzinho” (clique aqui).

Do alto de sua ignorância, Serra esqueceu que a palavra de um homem público vale mais que um papel.

A palavra do homem é como ferro em brasa. E pode marcá-lo para sempre.

Um mentiroso, dificilmente voltará a ter crédito.

E o partido que dá apoio ao mentiroso?? Como será lembrado?

Do ÚLTIMO SEGUNDO:

José Serra vence prévias e será o candidato do PSDB em São Paulo

Serra obteve 52,1% dos votos, contra 31,2% de Aníbal e 16,7% de Tripoli. Dos 20 mil filiados aptos a votar, 6,2 mil compareceram

25/03/2012

Ou seja, nem 1/3 dos tucanos se preocuparam em comparecer.

E, dos que compareceram, 47,9% rejeitaram o ex-governador.

Se, nem mesmo os militantes do PSDB acreditam que Serra é a melhor opção para São Paulo.

Então quem vai acreditar?

Falando em acreditar…

Logo teremos debates entre os candidatos e veremos a reprise de um velho filme.

José Serra diante das câmeras fazendo promessas.

Fica a pergunta:

Se Serra teve 47,9% de rejeição entre os amigos tucanos, qual será sua rejeição entre os eleitores??

Eleitores que já foram rejeitados e abandonados pelo agora candidato.

Veja também:

Precatórios: A justiça é rápida e implacável, quando quem deve é você. Mas e quando você é o credor??

Porcamente avaliado em São Paulo, Kassab dá entrevista bisonha e ensina o povo a votar…

Tente ficar sem pagar um imposto.

Você poderá ir para a dívida ativa e seu credor através de um Procurador do Estado pode lhe executar para que você faça o pagamento.

Caso não pague, poderá vir uma ordem de penhora.

Ou seja, dar o calote no Estado é ir para o inferno.

Mas, e se o calote é dado pelo Estado?

Do Portal em:

Dinheiro para pagar precatórios está parado em SP

02/03/2012

A Prefeitura de São Paulo depositou R$ 1,17 bilhão, entre dezembro de 2009 e fevereiro de 2012, em conta do Tribunal de Justiça do Estado para pagamento de precatórios, mas o dinheiro está praticamente parado – apenas cerca de 20% desse montante foi levantado pelos credores.
O TJ alega graves dificuldades em sua estrutura para dar conta da verificação de valores e a montanha de pagamentos. Os pagamentos começaram a ser realizados em março de 2011 e, até agora, o valor total liberado é de R$ 258,89 milhões.

Hoje, a ministra Eliana Calmon, corregedora nacional da Justiça, reúne-se com o presidente do TJ, desembargador Ivan Sartori. O tema central do encontro é o atraso da corte paulista em dar curso aos processos de pagamento dos precatórios. “É uma agenda positiva, não tem nenhuma divergência, nenhuma discrepância”, observou Sartori. “Meu relacionamento com a ministra é bastante cordial. Os precatórios em São Paulo estão atrasados porque não temos estrutura, é esse o problema. Eu quero resolver.”

O presidente do TJ diz querer resolver, porém o presidente da Comissão de Dívida Pública da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo (OAB-SP), Flávio José de Souza Brando diz outra coisa.

Do BRASIL 247:

Advogado acusa TJ-SP de se beneficiar com verba de precatórios

Advogado acusa TJ-SP de se beneficiar com verba de precatóriosFoto: Divulgação

SEGUNDO FLÁVIO JOSÉ DE SOUZA BRANDO, DA OAB-SP, TRIBUNAL RETÉM VERBA E ALEGA “FALTA DE ESTRUTURA” PARA JUSTIFICAR O ATRASO

05 de Março de 2012

O presidente da Comissão de Dívida Pública da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional São Paulo (OAB-SP), Flávio José de Souza Brando, disse que o Judiciário não cumpre a lei e está se beneficiando com a verba repassada pelo governo paulista e pelas prefeituras para o pagamento de dívidas de precatórios.

De acordo com o advogado, enquanto os credores levam calote, o Tribunal de Justiça recebe cerca de R$ 80 milhões ao mês com a taxa de spread paga pelo Banco do Brasil em contrapartida aos valores depositados. Segundo Brando, o tribunal retém R$ 4 bilhões em verbas repassadas pelo governo estadual e prefeituras.

Enquanto isso…

Do BAHIA NEGÓCIOS:

Oitenta mil credores morreram na fila dos precatórios em São Paulo, sem receber o seu dinheiro

20 de março de 2012

Agora que saiu o relatório da corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, sobre a situação dos precatórios no estado de São Paulo, dá para se ter uma noção do tamanho da bagunça…

Do Consultor Jurídico:

Precatórios em São Paulo não seguem ordem cronológica

21/03/2012

O relatório sobre a situação dos precatórios no estado de São Paulo, entregue nesta quarta-feira (21/3), em Brasília, pela corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, ao presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, aponta que um dos principais problemas detectados no pagamento de precatórios em São Paulo é a não observação da ordem cronológica obrigatória e a forma de proceder ao levantamento dos credores. De acordo com o relatório “é necessária uma correição geral na ordem cronológica de apresentação”.

A falta de estrutura para lidar com algo tão sério é um desrespeito com a cidadania.

É desrespeitar a Constituição Federal.

“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza” (clique aqui).

Um credor do Estado não pode, por exemplo, deixar de pagar o IPTU e pedir para descontá-lo de seu precatório.

Até quando seremos vítimas da desigualdade?

Veja também:

Porcamente avaliado em São Paulo, Kassab dá entrevista bisonha e ensina o povo a votar…

Fraudes em São Paulo: Despachantes usam dados sigiliosos do Detran para “quebrar” multas

O prefeito que conta com aprovação de apenas 26% dos eleitores, segundo o Datafolha, ao falar dos problemas de São Paulo, procurou poupar os responsáveis.

“Eu sinceramente não tenho ideia por que São Paulo não tem metrô. Não vou desmerecer quem fez, mas 70 km é muito pouco. (…) Eu sinceramente nem tinha nascido (quando as obras do metrô começaram), não sei se foi lobby da indústria automobilística, lobby das indústrias de ônibus ou se foi incompetência mesmo, porque naquela época não foi feito metrô”, afirmou o prefeito, que após a palestra ressaltou que a crítica não se refere à gestão do PSDB no governo. “Pelo contrário. Estava falando de 50, 60 anos atrás”, explicou. *

Ele diz que sinceramente não tem idéia…

Se não tem idéia, “Por qué no te callas?”

É curioso ver que o prefeito da maior cidade brasileira faça uma avaliação com tamanha estupidez.

Há 50, 60 anos atrás as pessoas andavam de bonde. Não havia o trânsito que existe hoje.

Talvez Kassab não saiba, já que não havia nascido.

O fato concreto é que, quando a população de São Paulo sentiu os efeitos do trânsito e precisou de um governo atuante, esse governo não estava lá.

E qual foi esse governo abandonou o metrô de São Paulo por quase 20 anos?

Kassab não sabe?

Ou não tem interesse em falar…

Por fim, Kassab recomendou aos eleitores que, neste ano, cobrem compromissos de seus candidatos à sucessão municipal, sem citar sua preferência eleitoral. Ele ainda recomendou a fiscalização do cumprimento dessas promessas de campanha. “No mundo de hoje, é difícil assumir um compromisso e não honrá-los, porque a tecnologia deixa tudo documentado”, disse.

Ironicamente, o pré-candidato que conta com o apoio de Kassab, o ex-governador José Serra (PSDB), vem sendo cobrado justamente por um compromisso firmado em 2004, quando assinou um termo em que garantia que não deixaria a prefeitura para concorrer ao governo do Estado – o que ele acabou fazendo, em 2006. Kassab disse à imprensa após a palestra que dessa vez Serra ficará durante todo o mandato, caso seja eleito. *

Pior que Kassab falando, só o Kassab governando...

Pior que Kassab falando, só o Kassab governando...

Kassab garante que Serra, sendo eleito, ficará no cargo.

Além de Kassab, Alckmin também garante (clique aqui).

Serra tem muitos fiadores… Ele precisa ter!!

Hoje em dia, uma promessa de Serra tem conotação de piada.

Veja também:

Briga? Tumulto? Guerra? Não… É o Metrô de SP.

Administração Kassab: São Paulo, que já não faz coleta seletiva de lixo agora proíbe doação de reciclável

Imagem: animatunes.com.br

*Do Portal Terra

O Detran tem sido encarado como problema pelo atual governo.

Afinal, o órgão saiu da Secretaria de Segurança, foi para a Secretaria de Gestão Pública e agora vai para a Secretaria do Planejamento (clique aqui).

Mas se tudo está correndo bem, por que tantas mudanças?

E, ao que parece, as mudanças ainda não deram resultado…

Da Band:

Detran: despachantes usam dados sigilosos

19 de março de 2012

Em entrevista ao repórter Agostinho Teixeira, profissional disse que cobra para retirar multas de motoristas infratores

Despachantes têm acesso a dados sigilosos sobre quem tem problemas com multas no Detran (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) e consultam os pontos no site, de acordo com denúncias de ouvintes feitas à Rádio Bandeirantes nesta segunda-feira.

Em entrevista ao repórter Agostinho Teixeira, um despachante que se identificou como “Santana” disse que consegue todos os dados das pessoas por meio do site do Detran. ” Pegamos os dados sigilosos e cobramos R$850 à vista, por exemplo, para retirar multas de infratores”.
Santana ainda afirma que no DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário) de São Paulo o processo de retirada é bem mais rápido. Esse despachante está localizado em São Miguel Paulista.

O coordenador do Detran, Daniel Annemberg, afirmou, também em entrevista à rádio, que é a primeira denúncia dessa natureza e promete apurar o ocorrido. ” Nosso portal é absolutamente seguro e nunca tivemos problemas. Os dados não vazam de forma alguma para outro lugar. Provavelmente, neste caso, a pessoa pode ter conseguido de outra forma”, defende-se.

Governo ainda não conseguiu resolver os problemas do Detran / Divulgação

Problema: O Detran deveria fazer parte da solução…

A maneira como a informação foi obtida, deve ser objeto de investigação.

Porém isso não muda um fato concreto.

A INFORMAÇÃO VAZOU!!

Se despachantes tem acesso a dados sigilosos e vendem facilidades, é porque contaram com o auxílio de alguém.

Alguém em condições de dar o acesso ou passar informações.

Isso é grave, e deve ser investigado.

Antigamente os policiais eram responsáveis pelos problemas do Detran/SP.

Agora podemos ver que o ‘buraco é mais embaixo’…

Nós pagamos as multas, que não são baratas.

Porém quem fiscaliza, se encontra em condições de fiscalizar?

Veja também:

Quando a ditadura fala mansinho: Não se enganem! Eles estão na sala de casa.

Cidadania é para todos!! Menos em Sao Paulo… Diretora de Kassab afirma em reunião: ‘Pra ser cidadão em São Paulo, tem que pagar’

Enquanto isso, continuamos a levar nossa sacolinha ao mercado.

Pensamos, com isso, estar contribuindo com o meio ambiente.

A coleta seletiva da prefeitura, mostra o quanto se importam com a natureza (clique aqui e aqui).

Mostra também o quanto se importam com quem trabalha.

Veja abaixo artigo do Movimento Nacionais dos Catadores de Recicláveis.

Do MNCR:

Prefeitura de São Paulo proíbe doação de reciclável a catadores

registrado em: Sudeste, direitos humanos

Prefeitura não tem política de inclusão social e geração de trabalho

Prefeitura de São Paulo proíbe doação de reciclável a catadores

No início do mês de março, fiscais da Prefeitura de São Paulo percorreram lojas da Rua 25 de Março com ameaçade multa de R$ 11.000 aos comerciantes que doarem material aos catadores.

Ao que tudo indica a prefeitura tem como referência a Lei nº 14.973/2009 e o Decreto nº 51.907, que responsabilizam os grandes geradores de resíduos pela reciclagem, dispositivo legal que impediria o trabalho dos catadores. Por essa lei, estabelecimentos comerciais e instituições que produzem mais de200 litros de lixo por dia ou condomínios com mais de 1.000 devem contratar empresa para coletar os resíduos e pagar pelo serviço.

Esta lei não proíbe a doação de material aos catadores, mas o decreto diz que só as empresas autorizadas com lista publicada no site da prefeitura podem realizar o serviço; nessa lista não há nenhuma cooperativa de catadores mencionada.

Por outro lado, na cidade de São Paulo, apenas 20 cooperativas de catadores têm parceria com a prefeitura para trabalhar no Programa de Coleta Seletiva, que significa quantidadeinsuficiente para atender toda a cidade. Outros 90 grupos de catadores trabalham demaneira organizada, mas em péssimas condições, sem infraestrutura e sem parceria com o poder público. Dessa forma, arcam com todos os custos operacionais da coleta, como aluguéis, combustível, e outras despesas.

Outros 16 mil catadores trabalham de maneira individual pelas ruas da cidade com carroças e são obrigados a vender seus materiais a sucateiros a preços irrisórios. A falta de apoio aodesenvolvimento da atividade de catação têm tornado inviável a organização dos catadores e as leis têm, progressivamente, excluído ainda mais esses trabalhadores do processo departicipação efetiva na cadeia produtiva.

A natureza está sendo destruída.

Todos os dias.

Todos o tempo.

De forma implacável.

O prefeito, que já sujeriu que cidadãos se mudem (clique aqui), ao invés de trabalhar para solucionar problemas, mostra que está cada vez mais distante do povo que o elegeu.

Veja também:

A educação na lata do lixo: São Paulo descarta livros novos

Cidadania é para todos!! Menos em Sao Paulo… Diretora de Kassab afirma em reunião: ‘Pra ser cidadão em São Paulo, tem que pagar’

É nisso que dá não punir criminosos…

Quando não são punidos, começam a acreditar na justiça através do crime.

Eles agora vão comemorar o aniversário do golpe militar (clique aqui).

Será que os órgãos de imprensa, que apoiaram a ditadura, estarão por lá?

Quando se fala em punição por crimes da ditadura, eles são esquecidos.

Senhores que lucraram em cima da desgraça alheia…

Eles não serão responsabilizados?

Grupos como a Rede Globo, que nasceu sob o amparo militar.

Que cresceu, recebendo apoio ilegal de grupos internacionais.

Eles passaram por cima da Constituição (clique aqui).

Tv Tupi, a concerrente da Globo foi tirada do ar, cassada, em julho de 1980 pelo governo militar

Tv Tupi, a concerrente da Globo foi tirada do ar, cassada, em julho de 1980 pelo governo militar

Com apoio ilegal, a Globo pôde concorrer com as demais emissoras de modo desigual.

Enquanto suas concorrentes TV Excelsior e TV Tupi foram perseguidas e cassadas pelo governo militar, a Globo só fazia crescer.

TV Excelsior, tirada do ar pelo regime militar em outubro de 1970

TV Excelsior, tirada do ar pelo regime militar em outubro de 1970

Em contrapartida, a Globo apoiava o regime torturador e assassino.

Eles, com suas novelas e noticiários, entravam nas casas e influenciavam o pensamento popular.

A democracia chegou, retirando poder dos militares.

Mas o poder da mídia, construído durante a ditadura, permanece intocável.

Eles até hoje tem grande influência, e beneficiam seus ‘eleitos’.

O que dizer do benefício de um, diante da destruição dos demais?

O que dizer ao ver uma emissora, que foi a voz da ditadura, até hoje falando alto?

O Brasil é mesmo um país diferente…

Por aqui, torturadores e assassinos tem liberdade, até mesmo para ameaçar o governo.

E, até quando vão ameaçar?

Veja também:

Tupi: a TV cassada na ditadura faria 61 anos

Insubordinados, militares farão festa pelo golpe de 64

DIA DE LUTO

Imagem: sampaonline.com.br/historiadatv.blogspot.com

“A cidadania é o direito a ter direitos, pois a igualdade em dignidade e direitos dos seres humanos não é um dado. É um construído da convivência coletiva, que requer o acesso ao espaço público. É este acesso ao espaço público que permite a construção de um mundo comum através do processo de asserção dos direitos humanos.” (HannahArendt)

O conceito de cidadania tem origem na Grécia clássica, sendo usado então para designar os direitos relativos ao cidadão, ou seja, o indivíduo que vivia na cidade e ali participava ativamente dos negócios e das decisões políticas. Cidadania, pressupunha, portanto, todas as implicações decorrentes de uma vida em sociedade.

Ao longo da história, o conceito de cidadania foi ampliado, passando a englobar um conjunto de valores sociais que determinam o conjunto de deveres e direitos de um cidadão “Cidadania: direito de ter direito” (clique aqui e aqui).

Porém São Paulo deu outro significado para cidadania.

Quem afirma é a diretora da secretaria municipal de Habitação de São Paulo, Maria Cecília Sampaio.

Ela fez tal afirmação, ao comunicar a desapropriação de uma favela, atingida por um incêndio em fevereiro.

Veja o artigo abaixo.

Da Rede Brasil Atual:

‘Pra ser cidadão em São Paulo, tem que pagar’, diz diretora de Habitação da prefeitura

13/03/2012

Para a diretora da secretaria municipal de Habitação de São Paulo, Maria Cecília Sampaio, para ser cidadão na capital paulista, é preciso pagar. Ela dirige a Habinorte, uma das regionais daquela secretaria, e deu as declarações durante reunião de trabalho com moradores da Favela do Coruja, na Zona Norte da capital paulista.

“Pra morar nesta cidade, pra ser cidadão em São Paulo, que é a terceira maior cidade do mundo, tem que trabalhar, tem que ter um custo e tem que ter condição de pagar. É o preço que se paga pra morar numa cidade como essa.” E avisa: “Neste terreno a gente pretende começar um processo de desapropriação.”

Em sua fala, Maria Cecília ainda “aconselha” os pobres que a ouviam a procurar cidades menores “para poder aguentar.”

Cidadania: Em São Paulo é tudo mentira....

Cidadania: Em São Paulo é tudo mentira....

A representante de Kassab fez afirmação emblemática.

Sem meias palavras…

Se não tem dinheiro, vá ser cidadão em outra cidade!!

Aqui,“tem que pagar” para ter direitos.

“Tem que pagar” para ter dignidade.

Está fundada a prostituição da cidadania!!

Veja também:

A educação na lata do lixo: São Paulo descarta livros novos

Os governantes do apocalipse: Após os caminhoneiros, trabalhadores da Fundação Casa ameaçam parar…

Imagem: inclusaobrasil.blogspot.com