Enquanto o PT pensa em aliança com o desgastado Kassab e, dessa forma, acaba também se desgastando. Os tucanos pensam na melhor alternativa para manter um de seus maiores redutos.

Afinal a cidade de São Paulo, representando isoladamente 12,26% de todo o PIB brasileiro (clique aqui), é algo que não pode ser desprezado.

O rodado José Serra, apesar de forte candidato, já manifestou total falta de interesse em disputar nova eleição municipal.

Porém, podemos ver surgindo uma nova possibilidade…

Serra ensaia aliança com Henrique Meireles

Serra ensaia aliança com Henrique Meirelles

O essencial para que o acordo saia é a possibilidade de atender interesses de todas as partes. Serra quer ser candidato à presidência da República em 2014 e aposta que o rival Aécio Neves é um “balão com pouco gás”. Meirelles gostaria de administrar São Paulo, desde que não tenha que enfrentar o teste das urnas. E Kassab, que montou o terceiro maior partido do País, mas é mal avaliado em seu território, precisa de uma vitória em São Paulo para preservar influência dentro do próprio PSD.

Vencer uma eleição e, logo após, abandonar o cargo, não é algo que um político de respeito gostaria de ver em sua história.

Abandonar todas as promessas feitas em campanha.

Agir como um desertor.

Porém, quando é poder que está em jogo, o estômago pode ficar em segundo plano.

Serra já agiu assim uma vez, não seria difícil repetir a dose.

O PT, por outro lado, ao se aproximar de Kassab, aprovado por apenas 20% dos paulistanos (clique aqui), pode reduzir dramaticamente suas chances de vitória.

Isso, mesmo que o “apoio problema” não se concretize.

Com Kassab no palanque petista, o PSDB consegue eleger até um poste para prefeito.

Talvez nem seja necessário incomodar o “quase aposentado” Serra…

Veja também:

Controlar: MP pede afastamento de Kassab por fraude

Ao atacar Haddad, Magno Malta se mostra como “político de ocasião”

Imagem: AGÊNCIA ESTADO

Anúncios