Por muitos anos, nossa independência foi digna de escárnio.

Dizer “Independência ou Morte” sobre um cavalo, não quer dizer muita coisa…

Na verdade, estudiosos dizem que foi sobre um burro (clique aqui ).

Quadro Independência ou Morte, de Pedro Américo, pintado em 1888. Em 1822 o pintor nem era nascido...

Independência não quer dizer nada, quando as palavras não são seguidas de ações concretas.

Em 1822 foi declarada nossa “independência”. 

Em 1824 o Brasil começou a apelar para empréstimos externos.

Precisamente em 20.08.1824, com banqueiros ingleses (clique  aqui ).

O empréstimo foi utilizado, em parte,  na liquidação da dívida de Portugal com a Inglaterra, compromisso assumido pelo Brasil através do Tratado de Paz e Aliança, firmado em 1825 com Portugal, pelo qual aquele país reconhecia nossa Independência.

Ou seja, D. Pedro I comprou nossa “independência”.

E comprou com dinheiro emprestado…

A mentira da “independência” começou a cair por terra 187 anos depois.

Em 2009 o Brasil foi convidado pelo FMI a fazer parte do clube dos credores do fundo (clique aqui ).

Em 2010, de fato, o Brasil tornou-se credor do FMI (clique aqui ).

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn (lembram-se dele?), assinaram oficialmente aporte financeiro brasileiro em favor do FMI.

Dessa forma,em 22/01/2010, “independência” no Brasil não precisou mais ficar entre aspas.

De fato, com todos os problemas que temos, o Brasil pode se dizer INDEPENDENTE.

E conseguiu sem dar um grito sequer…

Veja também:

Roberto Jefferson acusa nosso melhor presidente: Quem é Roberto Jefferson?

Cidadão brasileiro: Vítima dos governos. Vítima dos criminosos…

Anúncios